Publicidade

Publicidade

Arquivo de novembro 23rd, 2009

23/11/2009 - 12:47

Do Começo ao Fim chega aos cinemas

Compartilhe: Twitter
 
Filme traz temas polêmicos: Homossexualidade e Incesto.

Filme traz temas polêmicos: Homossexualidade e Incesto.

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

 

O filme já estreia sob a égide da polêmica. Do Começo ao Fim, novo trabalho do cineasta Aluizio Abranches, que dirigiu filmes como Um Copo de Cólera e As Três Marias teve, em maio deste ano, alguns trechos exibidos na Internet. Foi o suficiente para se instaurar uma grande curiosidade com relação à obra, que chega às telas brasileiras no dia 27 de Novembro.

 

 Assista ao teaser de Do Começo ao Fim

 

Foram milhões de acessos aos fragmentos da obra no Youtube. Tudo isso, porque Abranches em seu novo filme,revela a delicadeza de uma relação atípica: o amor entre dois irmãos, Thomás e Francisco.

 

É a partir de uma relação marcada pelos tabus do incesto e homossexualidade que o cineasta apresenta um manifesto em favor da liberdade em um mundo cada vez mais contaminado por regras e opressões. O filme conta a história de um amor incondicional como uma possibilidade, como um contraponto para um mundo cheio de violência, medo e intolerância, afirma Abranches. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags:
23/11/2009 - 11:49

Assista ao teaser de Do Começo ao Fim

Compartilhe: Twitter

<i>Do Começo ao Fim</i>

<a href="“>

Autor: - Categoria(s): Multimídia Tags: , , , ,
23/11/2009 - 00:41

Nas Quebradas de Plínio Marcos

Compartilhe: Twitter

Resenha e homenagem de Luis Fabiano Teixeira, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

<i>Plinio Marcos Brutal</i>, quadro de Luís Fabiano Teixeira

Plinio Marcos Brutal, quadro de Luís Fabiano Teixeira

 

Dia 19 de novembro fez dez anos que perdemos um dos dramaturgos mais sensíveis à realidade brasileira: Plínio Marcos. Em Santos, sua cidade natal, várias homenagens marcaram o dia, mas nenhuma delas pode substituir a experiência única que é ler qualquer texto do Plínio. Principalmente pela abordagem original de suas histórias, indignação diante de um mundo cada vez mais cruel e resistência a toda forma de perseguição. As Histórias das Quebradas do Mundaréu (1976), selecionadas, organizadas e revisadas pela atriz Walderez de Barros, estão aí para provar que ele não só foi o precursor da “literatura marginal” no Brasil como também continua sendo o seu maior expoente.

Mesmo em se tratando de narrativas curtas, a linguagem do livro vai além do apuro técnico, é uma imersão sem volta ao universo codificado da marginalidade e dos menos favorecidos. Se por um lado o autor economiza palavras, por outro esbanja tipos dos mais variados: assaltantes, homossexuais, prostitutas, macumbeiros, sambistas, jogadores de futebol e toda sorte de trambiqueiros. Por isso a organização dos capítulos por tema é menos uma preocupação estética que de funcionalidade. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo