Publicidade

Publicidade
21/04/2010 - 23:40

Um musical para celebrar as diferenças

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Elenco principal do musical HAIRSPRAY, dirigido por Miguel FallabelaHá muitos anos li uma entrevista de Miguel Falabella para a extinta revista Interview em que ele assumia gostar do universo que circunda “as gordas americanas”. Talvez esse seja um dos motivos pelo qual ele traduziu, adaptou e dirigiu Hairspray, o delicioso musical que agora se encontra em cartaz em São Paulo.

A matriz de Hairspray está no filme que o cultuado cineasta John Waters dirigiu em 1988 com a célebre travesti Divine. A história gira em torno de Tracy Turnblad, uma jovem baixinha e gordinha que sonha em ser a Miss Hairspray. A ação do espetáculo tem como pano de fundo a segregação racial norte-americana da época, no caso, o começo dos anos 60.

Falabella mais uma vez foi feliz na transposição deste universo para os palcos, fez uma bela tradução das letras de Scott Wittman e Marc Shaiman, que junto com Marc O’Donnell e Thomas Meehan levaram a história de Warters para o palco. E Falabella soube escolher uma equipe excelente para cercá-lo na montagem.

Tracy Turnbal (Simone Gutierrez) e sua mãe, Edna (Edson Celulari)Simone Gutierrez é uma grata revelação para os musicais. Construiu uma Tracy carismática. Ao lado dela está sua mãe Edna, interpretada por Edson Celulari, que mostra uma grande habilidade em fazer esta tresloucada mulher. Edson, é bom lembrar, fez sua carreira teatral, em sua maior parte, representando papeis dramáticos. Hairspray é uma prova que ele tem fôlego para enveredar pelo território da comédia.

As antagonistas da história também estão bem defendidas por Arlete Salles e Danielle Winits. Jonatas Faro realiza com medida o papel de “galã da época”. Entre os coadjuvantes merece ser lembrado Frederico Reuter, que imprime malícia e comicidade ao seu Corny Collins, o apresentador do Concurso.

Um outro destaque na montagem é a exuberância de cores dos belos figurinos assinados por Marcelo Pies.

Em uma época em que o Brasil vive um retrocesso no respeito às diferenças, Hairspray se mostra mais do que um mero entretenimento, função aliás que cumpre muito bem. O espetáculo é também um libelo sobre a aceitação dos enjeitados pela sociedade.

Quem Será a Miss Hairspay?

Elenco:

Edson Celulari é Edna Turnblad

Simone Gutierrez é Tracy Turnblad

Arlete Salles é Velma von Tuslle

Danielle Winits é Amber von Tuslle

Jonatas Faro é Link Larkin

Frederico Reuter é Corny Collins

Heloisa de Palma é Penny Pingleton

Edgar Bustamante é Wilbur Turnblad

Graça Cunha é Motormouth Maybelle

Ivana Domenico é Prudy Pingleton, Professora de ginástica e a Carcereira

Tiago Abravanel é Sr, Spritzer, Sr.Pinky e o Guarda da Penitenciária feminina

Jeniffer Nascimento é Pequena Ines

Corina Sabbas, Karin Hils e Maria Bia Martins são as Dinamites

Ensemble:

Alice Reis

Bené Monteiro

Dani Calicchio

Danilo Barbieri

Danilo Morais

Gabriel Malo

Gabriela Petry

Julio Mancini

Karin Malka

Kassius Trindade

Luana Bichiqui

Marcelo Vasquez

Murilo Armacollo

Renata Brás

Rodrigo Negrini

Sandro Sabbas

Orquestra:

Direção Musical e Regência – Felipe Senna

Assistente de Direção Musical e Regência – Carlos Bauzys

Adaptação da Música e Orquestração Original – Felipe Senna

Músicos:

Paula Faour – Teclado II

Ecerson Moraes – Trombone

Kiko Andreolli – Baterista

Lucas Bojikian – Teclado I

Maico Lopes – Trompete

Marcelo Manfra – Sax alto / Tenor/ Flauta e Clarinete (Palheta II)

Paulinho Pupo – Sax alto / Tenor/ Baritono e Clarinete (Palheta I)

Pedro Milman – Piano

Tiago do Espitito Santo – Baixo

Vinicius Gomes – Guitarra

Ficha Técnica:

Book – Mark O´Donnell e Thomas Meehan

Músicas – Marc Shaiman

Letras – Scott Wittman e Marc Shaiman

Versão brasileira e direção – Miguel Falabella

Direção musical Felipe Senna

Coreógrafo – Jeff Whiting

Coreógrafa associada – Fernanda Chamma

Desenho de Luz – Maneco Quinderé

Desenho de Som – Tocko Michelazzo

Cenógrafo – Renato Scripilitti

Figurinista – Marcelo Pies

Serviço:

Como Comprar:

Bilheteria do Teatro Bradesco no Bourbon Shopping São Paulo (Rua Turiassu, 2100, piso Perdizes (3º.andar), tel. 11.3670.4141) e pelo www.ingressorapido.com.br – tel.: 11.4003.1212).

Sessões: Quinta, 21h00 / Sexta 21h30 / Sábado 17h00 e 21h30 / Domingo 18h00

Preços: de R$ 25,00 a R$ 170,00

* 25% desc. para clientes com cartão Bradesco e para clientes Zaffari com Bourbon card.

Lotação: 1.457 pessoas

Duração: 160’ com intervalo de 15’

Classificação etária: livre

Bilheteria: Dom a Qui, 12h às 20h / Sex e Sáb 12h as 22h00 – c.c.: Amex, Diners, MasterCard, Visa e Zaffari. Não aceita pagamento em cheque – em dias de espetáculo, a bilheteria fica aberta somente até o horário de início, com vendas exclusivas para o dia.

O Teatro Bradesco possui acesso para portadores de necessidades especiais, poltrona especial para obesos, ar condicionado, estacionamento coberto Bourbon Shopping com sistema Estapar, e Café em dois pisos.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

2 comentários para “Um musical para celebrar as diferenças”

  1. cassiano disse:

    Uma critica muito clara do que é esse musical , com a felicidade de trazer para grande publico o magnifica atriz SIMONE GUTIERREZ , na pele de tracy , nao so recomendo , como merece APLAUSOS …..

    • michelfernandes disse:

      aplausos e abraços a vc por tão gentil participação em nosso site!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo