Publicidade

Publicidade
10/05/2010 - 23:24

Montagem eficiente reverencia o mito Nara Leão

Compartilhe: Twitter

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Fernanda Couto é Nara Leão

Uma coisa é certa, cristalina: o carioca é mesmo um povo alegre que ama e pratica música, muita música. Outra constatação: nós, paulistanos, como povo, somos bastante formais diante de manifestações musicais. Resultado: os grandes sucessos das montagens musicais, importadas da Broadway ou genuinamente gestadas no Rio de Janeiro, nascem, crescem, multiplicam-se e jamais morrem nos palcos da ex-capital federal (será por isso a tradição?).

O currículo de produções musicais nos nossos palcos, afora as importadas do Rio, é bem modesto numericamente. Daí estarmos saudando agora o surgimento dessa biografia de uma das maiores cantoras da Musica Popular Brasileira (MPB), Nara Leão, tida com justa razão como musa da Bossa Nova. Nara está em cartaz na sala grande do simpático e bem freqüentado Teatro Augusta, no meio da semana.

NARA é musical

Esperamos que o paulistano que freqüenta (por amor ou ostentação) os musicais estrelados por grandes nomes habituais do gênero prove que, realmente, aprendeu a assimilar essas investidas surreais em que as pessoas expressam suas emoções através do canto, ainda por cima com muita coreografia e numa ambientação de sonho hollywoodiano.

Nara está longe dos requintes de produção do magnífico O Rei e Eu ( despedindo-se já do Teatro Alfa), mas ganha pontos no charme de uma Fernanda Couto que traduz, com serenidade e comedida doçura, a personalidade ímpar da garota classe-média-alta das praias de Ipanema, que sempre pautou sua vida pessoal e profissional andando em muito boa companhia, Boscoli à parte, no envolvimento amoroso. Mas, outros méritos podem ser creditados à montagem.

Um deles, o principal, é Pedro Paulo Bogossian, diretor musical, compositor, pianista e… mago à la Pigmalião, perito em forjar atores em músicos ou vice-versa principalmente, sempre com muita alegria e confiança entre as suas galatéicas criaturas cênicas, sendo o trio Rogério Romera, Silvio Venosa e Rodrigo Nunes, o mais recente feito. Mais um belo tento de Bogossian, esta delicada incursão aos sussurros melodiosos da bossa nova.

O trabalho do diretor e co-roteirista (com Fernanda Couto) Márcio Araujo está na leveza da reverência, na descontração do roteiro, dando a impressão de que tudo o que se vê no palco está acontecendo na hora, sem nenhum esforço aparente, jogando para baixo do tapete todo o suor e lágrimas que costumeiramente inundam os bastidores pré-estréia.

Nara traz também belos figurinos de Cássio Brasil moldados para a recriação de Fernanda-Nara, comprometidos mais com a época pré-hippie e menos com a particularidade do “tubinho” cultivada pela mídia de então. A iluminação de André Boll, a cenografia (inclusive projeções?) de Valdy Lopes servem à pulsação contínua de paz e amor buscada desde o roteiro.

Nara faz bem às almas ainda sensíveis ao bom gosto e inteligência das letras e músicas de uma MPB que não volta jamais, já que o “mundo musical” há muito está afogado pelo suceder frenético de “celebridades” forjadas pela mídia para qualquer coisa que se agite e  tussa diante de uma câmera de TV!

NARA– Augusta – sala principal, rua Augusta, 943, Consolação/telefone 3151-4141/ 302 lugares/quarta e quinta às 21 horas/ Ingresso R$ 3O/6O minutos/ Livre/ até 24-6/Ing. pelo telefone 2163-2000 ou pelo site” www.ingressorapido.com.br”

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, Matérias Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

3 comentários para “Montagem eficiente reverencia o mito Nara Leão”

  1. Guilherme Gonzalez disse:

    A peça faz a gente se sentir num apartamento do Leblon com vista para o mar e a brisa suave na voz doce de Fernanda Couto em plena Rua Augusta. Espero que os paulistanos descubram logo esse espatáculo tão bossa nova.

  2. Comecei a ouvir Nara leão pelo samba, e cheguei a todo seu repertório pela curiosidade. Uma grande cantora que sou escolher muito bem as músicas que cantava. É pena que o Brasil não dê a devida importãncia a tantos talendos como o dela!

    Divulgar Blog – Somente Coisas Legais

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo