Publicidade

Publicidade
30/08/2010 - 17:33

Lígia Cortez dirige peça mexicana inédita no Brasil

Compartilhe: Twitter

Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois de "Estrelas do Orinoco", Lígia Cortez dirige mais um texto latino-americano: "Mulheres Que Bebe, Vodka"

Empenhada em aproximar a dramaturgia latino-americana do público brasileiro, a atriz Lígia Cortez dirige Mulheres Que Bebem Vodka, do autor mexicano Victor Hugo Ráscon Banda, cuja estreia será nesta terça-feira (31), 19h30, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo.

Mulheres Que Bebem Vodka, pertencente ao grupo de autores nomeados Nova Dramaturgia Mexicana, conta, de maneira bem-humorada, a história de mulheres que emigraram da Polônia para o México atrás da própria sobrevivência, fugindo da guerra política ou, simplesmente, em busca de uma nova vida. Ewa (Selma Egrei) é produtora de casting para cinema e está escolhendo o elenco para o longa Estação Varsóvia, adaptação do romance de Joanna (Patrícia Gasppar) numa co-produção com o México e Estados Unidos. Ambas são amigas antigas que se perderam de vista na Europa e estão se reencontrando, após muitos anos, neste projeto. Aniela (Maria Manoella) e Bárbara (Martha Nowill) são atrizes candidatas ao papel de protagonista do filme. Concha (Regina França), a única mulher não polonesa, veio da guerrilha da Guatemala e é assistente de Ewa em seu estúdio.

O projeto cinematográfico se revela uma tentativa de busca de reconhecimento e adoção. Para a diretora Lígia Cortez, apesar das diferentes circunstâncias, o objetivo que as move é o mesmo, o desejo de pertencimento. “Elas partiram do país de origem por pura necessidade, e se deparam com as dificuldades de, em outras terras, se sentirem sempre estrangeiras”, explica ela.

Segundo Lígia Cortez, o espetáculo revela grande humor ao adentrar, sem estereótipos, no dia-a-dia de mulheres tão diferentes.

“É um texto rico e denso e mostra as relações de acolhimento entre mulheres, além da busca pelo reconhecimento e identidade”, afirma a diretora, que ainda completa: “É excelente o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) valorizar o teatro latino-americano tão pouco explorado em nosso País”.

MULHERES QUE BEBEM VODKA – Estreia para convidados dia 31 de agosto, terça-feira, às 19h30, no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo. Texto – Victor Hugo Ráscon Banda. Direção– Lígia Cortez. Elenco – Maria Manoella, Martha Nowill, Patrícia Gasppar, Regina França, Selma Egrei e Gina Monge. Tradução – Hugo Villavicenzio.Assistência de Direção – Joana Dória de Almeida.Cenografia – Ulisses Cohn. Figurinos e Visagem – Fábio Namatame. Trilha Sonora – Daniel Maia.Iluminação – Wagner Freire. Fotos e Vídeo – Edson Kumasaka. Idealização – Martha Nowill e LígiaCortez. Idealização – Mil Folhas Produções Artísticas. Realização – Centro Cultural Banco do Brasil. Direção de Produção – Norma-Lyds.Assistência de Produção – Ana Barros. Duração – 70 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Temporada – 01 de setembro a 11 de novembro. De terça a quinta-feira, às 19h30.Ingressos – R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia-entrada) para estudantes, idosos e professores.

Durante a temporada alunos de artes cênicas terão 5 ingressos gratuitos por sessão, que devem ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria do teatro mediante comprovação de matrícula no curso.

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô. Informações (11) 3113-3651/ 3113-3652. Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física// Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal. Capacidade – 125 lugares.www.bb.com.br/cultura ewww.twitter.com/ccbb_sp.

Estacionamento conveniado:

Estapar Estacionamentos

Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos)

(R$ 10,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB). Informações: (11) 3256-8935. Van faz o transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifício Zarvos) e na XV de novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a vinte metros da entrada do CCBB.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo