Publicidade

Publicidade

Arquivo de outubro 3rd, 2010

03/10/2010 - 13:46

Tchekhov “made in Taiwan”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Coreografia teve como ponto de partida "O Jardim das Cerejeiras", de Tchekhov

Semana passada e a que entra, correm soltas as discussões acerca do que o teórico francês Jean-Pierre Sarrazac chama de “etiqueta cuja tendência é se despregar” ao abordar o nome “pós-dramático” empregado pelo teórico alemão Hans-Thies Lehmann, na disciplina de pós-graduação, ministrada pela estupenda Sílvia Fernandes, que faço na USP. O espetáculo de dança Wispher of Flowers, da Cloud Gate Dance Theater, de Taiwan (China), em cartaz no Teatro Alfa até terça-feira (5), além de belo instiga as reflexões sobre a arte contemporânea.

Mesmo sem utilizar rótulos, se preferir “etiquetas”, a coreografia da Cloud Gate, é a tradução coreográfica das sensações do coreógrafo Lin Hwai-min para a peça O Jardim das Cerejeiras, do russo Anton Tchekhov. E tal transposição que, apesar de não se ater ao enredo ou aos personagens do texto dramático, desperta reflexões sobre esse tipo de apropriação, já que alguns sentimentos da peça, mesmo que de forma desvinculada ao tema objetivo da mesma – como a exuberância e felicidade do cerejal e suas murmurantes folhas; à desolação da perda do mesmo –, continuam em Whisper of Flowers.

O que há é um espetáculo com movimentos leves como se os bailarinos flutuassem como as folhas do jardim das cerejeiras num incessante vento (um ventilador escondido na coxia) que dá o clima de “sussurro, murmúrio, rumor” (“whisper”) de flores que dá nome a peça.

Vale a pena ver esse espetáculo embalado por belas suítes para violoncelo de Bach que abre tantos focos para discussões estéticas das apropriações que demarcam a arte contemporânea.
<a href="“>
Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Dança, Música e Cinema, Multimídia Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo