Publicidade

Publicidade
23/10/2010 - 15:32

Um cabaré chamado “A Gaiola das Loucas”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Miguel Falabella e Diogo Vilela protagonizam "A Gaiola das Loucas"

SÃO PAULO – O cabaré “A Gaiola das Loucas”, orgulho de St. Tropez, ergue suas cortinas para o público paulistano hoje, 21h, no Teatro Bradesco. Trata-se da estreia do musical homônimo dirigido por Miguel Falabella, protagonizado por ele e Diogo Vilela.

Baseado na peça “Le Cage Aux Folles”, do francês Jean Poiret, o espetáculo “A Gaiola das Loucas” conta a história de Georges (Miguel Falabella), dono de um cabaré – que dá nome à peça – famoso por seus shows em que transformistas cantam e dançam em diversos cenários com luxuosos figurinos, e Albin (Diogo Vilela), casado há 20 anos com Georges e estrela principal dos shows do cabaré, a vedete Zazá. Uma aventura de Georges nos bastidores do Lido de Paris resultou no nascimento de Jean Michel (Davi Guilherme) que, por inexperiência da mãe, recebeu o, nada convencional, lar de Georges e Albin/ Zazá como berço de criação.

Zazá/ Albin (Diogo Vilela) e Georges (Miguel Falabella)

Tudo corre perfeitamente bem quando, aos 20 anos de idade, Jean Michel se apaixona por Anne (Carla Martelli) e decide se casar.

Até aí o único problema é a preocupação normal de pais que acham o menino jovem demais para se casar: ele tem 20 anos. Só que Anne é filha única de Édouard Dindon (Maurício Moço), presidente do PTFM (Partido da Família, Tradição e Moralidade) e, uma de suas promessas de campanha, é acabar com os homossexuais da região.

Está armada a arena cômica para contornar a situação, regada por músicas como “I am What I am” (“Eu Sou o que Sou”) eternizada na voz pop de Glória Gaynor.

“A sonoridade das canções pertence ao que de melhor foi feito na velha Broadway”, diz Miguel Falabella.

“A Gaiola das Loucas” e o universo gay

Segundo conta Miguel Falabella, “A Gaiola das Loucas” foi escrita num momento em que a comunidade gay era dizimada pela AIDS (no início dos anos 1980 era, preconceituosamente, conhecida como “peste gay”, o que se mostrou ser um apelido precipitado).

“O Harvey Fierstein (músicas) e o Jerry Herman (texto), na direção oposta, quiseram celebrar o movimento gay, os que estavam sendo dizimados pela AIDS em 1983, com uma história de amor gay alegre, que fosse um show para toda família”.

Hoje se sabe que a AIDS não é uma “peste gay”, antes, é uma síndrome que pode atingir à qualquer um, independente de sua orientação sexual. Miguel pontua que é interessante notar a mudança de enfoque com a visibilidade do movimento gay e com as conquistas na área.

“A peça não é simplesmente uma farsa, é uma história de amor possível. É claro que as ‘bichisses’ fazem parte da graça, mas por trás disso tem uma história de amor que é possível. É muito interessante perceber como a relação com a platéia do espetáculo foi visto de forma diferente ao longo dos anos”, completa.

Ficha Técnica:


Texto:
Harvey Fierstein
Músicas e Letras: Jerry Herman
Versão Brasileira e Direção: Miguel Falabella
Direção Musical e Adaptação da Partitura Original: Carlos Bauzys
Diretor Musical Assistente: Daniel Rocha

Coreógrafo: Chet Walker
Coreógrafa Associada: Fernanda Chamma
Figurinista: Claudio Tovar
Cenógrafa: Clivia Cohen
Designer de Luz: Maneco Quindere

Designer de Som: Ademir Moraes Jr.
Visagista: Anderson Bueno

Elenco:
DIOGO VILELA                           Albin / Zazá
MIGUEL FALABELLA                            Georges
SYLVIA MASSARI  (participação especial)       Jacqueline
CARLA MARTELLI                        Anne Dindon
DAVI GUILHERMME                             Jean Michel
GUSTAVO KLEIN                         Francis
JORGE MAYA                                     Jacob
MAURICIO MOÇO                               Sr. Dindon
MIRNA RUBIM                            Sra. Renauld e Sra. Dindon

As loucas da Gaiola
ALBERTO GOYA          Dherma
ALISSON KLEIN          Clo Clo
BRENDA NADLER        Monique
BRUNO KIMURA          Lo Singh
CARLOS LEÇA                     Nicole e Sr. Renauld
CLARA CAMARGO                Bitelle

DANIEL CABRAL          Antoinette
LEONARDO SANDOVAL Josefine
MARCELO FREIRE                Swing
MARCELO VASQUEZ            Hanna
MAYSA MUNDIM          Angelique
OLIVIA TEIXEIRA                Paulette
PAULO DE MELO         Phaedra
RENATO BELLINI        Chantal

RODRIGO NEGRINI             Mercedes
THATI ABRA                       Odette

Números Musicais:

Primeiro Ato
Nós Somos Assim
Um Pouco Mais de Maquiagem
Com Anne em Meus Braços
Com Anne em Meus Braços (Reprise)
Canção na Areia
A Gaiola das Loucas
Can Can
Tango de Hanna
Eu Sou o Que Sou

Segundo Ato
A Lição de Masculinidade
Olha pra Nós
E Isso é Pro Papai
A Vida é uma só
Finalle

“A Gaiola das Loucas”

Teatro Bradesco (1457 lugares)
Bourbon Shopping São Paulo – Rua Turiassu, 2.100 – 3º piso – Pompéia
Informações: (11) 3670-4100
Bilheteria: domingo a quinta, das 12h às 20h; sexta e sábado, das 12h às 22h. Aceita todos os cartões de credito e débito. Não aceita cheque.
Vendas pela Internet: www.ingressorapido.com.bre telefone: 4003-1212.

Quinta e sábado, às 21h. Sexta, às 21h30. Domingo, às 19h.

Ingressos: de R$ 20 a R$ 170

Duração: 150 minutos (intervalo de 15 minutos)
Classificação: 12 anos
Gênero: Musical

Sessão especial para convidados, dia 25, às 21h
Estreia dia 23 de outubro
Temporada: até 19 de dezembro

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,

Ver todas as notas

3 comentários para “Um cabaré chamado “A Gaiola das Loucas””

  1. […] Sessão especial para convidados, dia 25, às 21h Estreia dia 23 de outubro Temporada: até 19 de dezembro Leia a materia completa Aplauso Brasil […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo