Publicidade

Publicidade

Arquivo de dezembro 2nd, 2010

02/12/2010 - 17:44

“12 Homens e Uma Sentença”: texto brilhante para interpretações sublimes

Compartilhe: Twitter

“12 Homens e Uma Sentença”, crédito Zineb Benchekchou

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Peça de Reginald Rose, com direção de Eduardo Tolentino de Araújo, fica em cartaz até 19 de dezembro no CCBB-SP

Uma história instigante e envolvente com um elenco de 12 atores afinadíssimos e de muito talento. Essa é a impressão de quem assiste “12 Homens e Uma Sentença”, que fica em cartaz no CCBB até 19 de dezembro.
Originalmente a história foi criada para uma série de TV dos EUA nos anos 50, mas ganhou, pelas mãos do ator Henry Fonda, uma versão para o cinema, com direção de Sidney Lumet. Só em 1963 chegou aos palcos do mundo, sempre com muito sucesso. E pela primeira vez é encenada no Brasil, graças aos produtores Ana e Mário Paz, que convidaram Eduardo Tolentino de Araújo para a direção. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
02/12/2010 - 15:04

As “Texturas Brasileiras” no Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Edson Jr., especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

Elza Soares no Auditório Ibirapuera

O Auditório Ibirapuera reúne sua orquestra para apresentação de fim-de-ano hoje (02) e amanhã (03) com a especialíssima participação de Elza Soares e Banda Mantiqueira.

A récita nomeada “Texturas Brasileiras” traz em seu repertório clássicos do cancioneiro popular como Vatapá (Dorival Caymmi), Palpite Infeliz (Noel Rosa), a divertida e ligeira Canção pra inglês ver (Lamartine Babo), entre outros.

Os arranjos ficaram a cargo de José Roberto “Branco”, Edson José Alves e Nailor Azevedo “Proveta”, diretor artístico da escola do Auditório. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , ,
02/12/2010 - 13:19

Quem tem medo do Teatrão?

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Cena do filme "Narradores de Javé", roteiro de Luís Alberto de Abreu

Aproveitei apenas o final, cheguei a tempo das duas últimas rodadas de perguntas, da mesa formativa do II Encontro de Teatro de Mauá. O convidado, o dramaturgo Luís Alberto de Abreu, elucidou algumas lacunas obscuras que a Brava Cia. de Teatro deixara no debate anterior – como as responsabilidades do governo em movimentar o panorama artístico por meio de Políticas Culturais mais eficazes e a negação de pertencer à classe artística, definindo-se como partícipes da classe dos trabalhadores.

A postura de Luís Alberto de Abreu, um dos principais nomes da dramaturgia brasileira, mostrou-se mais madura, serena. Ele acredita que os artistas devem agir na resolução de seus problemas e não simplesmente esperar que o governo e as políticas culturais resolvam questões de respeito ao universo das artes.

Contudo, necessitava fazer a provocação que dá título ao artigo: o Teatrão. Seria ele um famigerado vilão ou vítima de preconceitos? Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo