Publicidade

Publicidade
03/02/2011 - 21:28

“Recordar é Viver” é inesquecível

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, colunista e crítica teatral do Aplauso Brasil

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Quem ler o programa da peça Recordar é Viver talvez até hesite em assistir, pois parece que o brilhante autor, Hélio Sussekind, classifica os personagens que protagonizam a história como muito problemáticos –

Suely Franco e Sérgio Britto

pai doente e mãe com síndrome do pânico –, mas não é bem assim. Qualquer pessoa que sentar na platéia vai rolar de rir e certamente verá um maravilhoso retrato de sua própria família.

A intimidade que se tem em qualquer clã que cresceu junto é pouco igualável fora deste âmbito e, mesmo que resulte num enorme afeto, este será tão acompanhado pela total falta de cerimônia, a ponto de que, quem vê de fora, julgar como muito pouco respeito mútuo.

Contribuem para esse resultado impecável, a direção totalmente coerente de Eduardo Tolentino, não só no que tange à leitura apresentada pelo elenco competentíssimo, mas também no que concerne ao espetáculo, propriamente dito.

A iluminação de Paulo César Medeiros tem a eficiência de sempre. O mesmo ocorre com os cenários e figurinos de Lola Tolentino totalmente adequados e de extremo bom gosto. Lembrando de tudo, a gente fica até curiosa de saber como seriam os bastidores entre mãe e filho (Lola e Eduardo) até chegarem ao acordo sobre o visual que se vê no palco…

Suely Franco (a mãe) está arrasando a ponto de nem o Sérgio Brito (o pai) lhe fazer concorrência. José Roberto Jardim

José Roberto Jardim, Suely Franco e Sérgio Britto em "Recordar é Viver"

(Henrique) surpreende com a precisão com que interpreta o filho tímido que na verdade é o protagonista. Seus irmãos Paula e João (Ana Jansen e Camilo Bevilacqua) também convencem nos papéis e conquistam o público, assim como Anna Cecília Junqueira, a delicada Bruna, namorada de Henrique.

Em síntese é uma montagem maravilhosa que você não pode perder.

Recordar é Viver

Até 27/02. Sextas e sábados, às 21h e domingos, às 19h. Duração: 85 min.
Não recomendado para menores de 14 anos
R$ 32,00 (inteira); R$ 16,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).
320 lugares.
Teatro Anchieta do SESC Consolação
Rua Dr. Vila Nova, 245
Tel: 11 3234-3000

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags:

Ver todas as notas

1 comentário para ““Recordar é Viver” é inesquecível”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by michel fernandes, michel fernandes. michel fernandes said: No blog: “Recordar é Viver” é inesquecível http://bit.ly/gu1uGl […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo