Publicidade

Publicidade
14/03/2011 - 22:29

“Lixo e Purpurina”: reúne dois textos de Caio Fernando Abreu

Compartilhe: Twitter

 

Maurício Mellone, colunista colaborador do Aplauso Brasil

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone, parceiro do Aplauso Brasil(aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Monólogo com Davi Kinski é a síntese de Anotações sobre o amor urbano e Lixo e Purpurina, do escritor gaúcho que nos deixou há 15 anos

Como uma homenagem ao escritor Caio Fernando Abreu que faleceu há 15 anos, três rapazes — Kiko Rieser, responsável pela adaptação e dramaturgia, o diretor Chico Ribas e o ator Davi Kinski — criaram o espetáculo Lixo e Purpurina, que fica em cartaz no Espaço Cênico do SESC Pompeia até o dia 3 de abril.

A peça é uma coletânea de dois textos de Caio Fernando (Anotações Sobre o Amor Urbano e o conto homônimo ao espetáculo) e relata as aventuras de um rapaz auto-exilado na Inglaterra dos anos19 70.

Com dificuldade financeira, mas vivendo a efervescência cultural da época, ele vive em constante transformação emocional, do deslumbramento e euforia pelo novo, à solidão e depressão por estar longe da família, dos amigos e do país, que naquele momento estava na mais obscura e violenta ditadura  militar.

Um dos destaques da montagem é a trilha sonora criada pelo diretor que contribui para a construção do painel dos anos 1970.

No entanto, a densidade e o tom corrosivo dos textos de Caio exigem maior estofo e experiência de vida de quem o interpreta.

Davi, que tem apenas 22 anos, mesmo dizendo-se fã do autor, é inexperiente e tem pouca vivência.  Senti a falta do vigor e da profundidade da obra do grande e saudoso Caio Fernando Abreu.

 

Roteiro:
LIXO E PURPURINA – Espaço Cênico do SESC Pompeia
. TemporadaAté  03/04. Sextas e sábados, às 21h; domingos, às 19h. Texto: Caio Fernando Abreu. Adaptação e Dramaturgia: Kiko Rieser. Elenco: Davi Kinski. Direção: Chico Ribas. Assistente de Direção: Rodrigo Ferraz. Iluminação: Roberto Bueno Mendes. Trilha Sonora: Chico Ribas. Figurino: Rafael Caetano. Cenário: David Cejkinski e Chico Ribas. Cenotécnico: Albino Ribas. Fotografia: Raquel Espírito Santo.  

 

Serviço: SESC POMPEIA Rua Clélia, 93. Telefone – 3871-7700. Acesso para deficientes físicos. Não temos estacionamento. Funcionamento da bilheteria do SESC Pompéia – de segunda a sábado, das 9h às 21h e aos domingos e feriados, das 9h às 19h. Aceitam-se cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners Club International e American Express) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro, Redeshop e Cheque Eletrônico). Não recomendado para menores de 14 anos. R$ 12,00 (inteira); R$ 6,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). Para informações sobre outras programações, ligue 0800-118220 ou acesse o portal www.sescsp.org.br

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

11 comentários para ““Lixo e Purpurina”: reúne dois textos de Caio Fernando Abreu”

  1. luciana avermuscho disse:

    estive na sexta passada no sesc pompeia e vi o monologo e discordo completamente da questão do ator.
    fazia muito tempo que nao via um trabalho jovem, corajoso e bem fundamento como o desse menino no teatro, me emocionei muitissimo como sua atuação.
    quanto a trilha achei um pouco forçada, manipuladora, principalmente o final com janis joplin….

  2. Adaptar Caio Fernando Abreu para o palco é um desafio. Como arte, os textos de Caio se encerram em si. Fica difícil fazer jus ao texto, mas mesmo assim, eu gostei bastante do resultado.

  3. Sandra de Almeida Bastos disse:

    não concordo c a luciana, acho mesmo q faltou peso ao rapaz, q é muito esforçado, mas esforço não é suficiente pra fazer a mágica q o teatro precisa. agora, a adaptação parece ter jogado contra o escritor, faltou tato e a trilha realmente apela muito. enfim, espero q esse pessoal, cheio de vontade, consiga virar artista logo. beijos.

    • Kiko Rieser disse:

      Sandra, você pode não gostar, pode achar a trilha apelativa, etc, mas dizer que um dia a gente pode virar artista?! Segundo quem a gente já não o é? Segundo você? Guarde os julgamentos peremptórios pros juízes pra não parecer leviana.

  4. fernando disse:

    vi essa peça no fds de estreia, houve alguns problemas bem evidentes na operação da luz, porem de resto gostei muito e confesso que me supreendi. concordo com você rodrigo adaptar caio f é um grande desafio e pra mim esses garotos mandaram muitooo bem. realmente o ator não é um paulo autran (realmente ele ainda nem tem idade para se-lo), porem dentro do que foi proposto pela direção e pelo texto eu achei que ele mandou muito! a historia narra a experiencia de um jovem em outro país, para mim não haveria sentido algum ter alguem de mais idade….
    a cena final me deixou incomodado por uns dias, achei a imagem forte e não vi problemas na trilha….
    eu sou do tipo de cara que dificilmente comenta qualquer coisa por pura preguiça, porem Sandra, não me leve a mau mas achei um tanto ofensivo seu comentario, por acaso você decide quem é ou não artista?rsrs…
    não leva a mau
    abraços

  5. Eduarda disse:

    Li em algum lugar que esse ator por mais jovem que seja tem mais de 10 anos de carreira, com direito até indicação a Gramado!
    Quando decidi ver a peça foi pelo Caio, mas fiz questão de pesquisar o ator,p/ver se valia apena…
    E valeu muitissimo!
    Recomendo muito!!

  6. ana disse:

    discordo totalmente desse cara ai, achei a peça incrivel e o garoto é um tesão!

  7. davi kinski disse:

    quanta polemica! to adorando rsrs

  8. Renata disse:

    Assisti a peça e achei a sensibilidade do Davi nesta interpretação a flor da pele, chorei em vários trechos. NO dia que fui a plateia aplaudiu em pé, durante o espetaculo pareceu-me que todos estavam vivendo dentro daquele quarto que inspirava a solidão e a tristeza de não se encontrar em lugar algum. O Davi só tem 22 anos mas mostrou o seu dom poético e artistico.

  9. arthur disse:

    fiquei curioso pra assistir dpois de ler os comentarios,como moro perto arrisquei, fui hj e consegui ingresso. gostei da peça como um todo…..
    abçs

  10. kiko klein disse:

    ah eu achei o comentario da sandra ótimo..ela falou tudo com convicção e foi autêntica. perfeita!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo