Publicidade

Publicidade
21/04/2011 - 11:27

Chico Diaz em seu primeiro monólogo nos 10 anos do CCBB

Compartilhe: Twitter

 Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone, parceiro do Aplauso Brasil

"A Lua Vem da Ásia"

Sob direção de Moacir Chaves, o ator adaptou a obra de Walter Campos de Carvalho, A Lua Vem da Ásia, e permanece no CCBB até 05 de junho
 
 

 

Dentro das comemorações dos 10 anos do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo, o ator Chico Diaz protagoniza o primeiro monólogo de sua carreira, A Lua Vem da Ásia, adaptação que fez da obra homônima de Walter Campos de Carvalho.

Num momento de reflexão sobre sua vida e carreira, Chico Diaz ganhou do diretor Aderbal Freire-Filho a obra de Campos de Carvalho. Apaixonado pela narrativa surreal do autor, Diaz fez a adaptação para o teatro, em que o narrador-personagem conta suas experiências, possíveis e impossíveis, que no fundo buscam o entendimento do mundo e de si mesmo.

Na primeira parte do monólogo, o personagem se encontra hospedado num “hotel”, que na verdade mais parece um manicômio. Valendo-se do cenário de Fernando Mello da Costa, o personagem fica enclausurado num cubículo cercado por telas, onde são projetados textos e imagens. O relato de suas histórias, divagações, devaneios e pensamentos existenciais tem um tom intimista, que o aproxima do público, mesmo estando “preso”. Numa entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Chico diz que Campos de Carvalho é “contra toda restrição ao homem”, daí sua condenação à tirania, ao culto às aparências e ao pensamento cartesiano.

Chico Diaz em seu primeiro monólogo nos 10 anos do CCBB

Na segunda parte do espetáculo, o personagem foge e ganha literalmente o mundo. Numa ode à liberdade, ele conta como atravessou oceanos a nado tendo como companhia um casal de borboletas. Ou ainda como se transformou em mulher e serviu a um harém do sultão de Marrocos.

 O cenário também se expande e agora a tela ganha toda a dimensão do palco, com novas projeções.

 Com ironia e nonsense, o personagem revela a crítica do autor à sociedade consumista e belicosa e deixa, como legado à humanidade, sua escrita. O questionamento sobre vida e morte, lucidez e loucura fica registrado em sua escrita. O personagem (e o autor) é o que ele escreve. A escrita revela sua alma.

A Lua Vem da Ásia é a terceira obra de Campos de Carvalho adaptada para o teatro: Hugo Possolo, em 2008, levou ao palco A Vaca de Nariz Sutil e Aderbal Freire encenou O Púcaro Búlgaro em 2007. A composição e performance de Chico Diaz é o grande destaque dessa montagem, que já esteve nas unidades do CCBB de Brasília e Rio e fica em São Paulo até junho.

Roteiro:

A Lua Vem da Ásia, de Walter Campos de Carvalho. Atuação e adaptação: Chico Diaz. Direção: Moacir Chaves; supervisão de dramaturgia: Aderbal Freire Filho; cenografia: Fernando Mello da Costa; figurinos: Maria Diaz; iluminação: Renato Machado; vídeos: Eder Santos e Trem Chic; direção de movimento: Márcia Rubin; trilha sonora: Alfredo Sertã; preparação vocal: Rose Gonçalves; assistentes de direção: Gisela de Castro e Danielle Martins de Farias; aderecista / pintura de arte: Derô Martin; fotografia: Jaqueline Machado; produção executiva: Wagner Uchôa

Serviço: Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo. Temporada até 05/06, sextas e sábados às 19h30 e domingos às 18h. Capacidade: 125 lugares. Ingressos: R$15 (inteira) e R$7 (meia-entrada para estudantes, professores, funcionários e correntistas do Banco do Brasil e maiores de 60 anos). Ingressos antecipados pelo Ingresso Rápido: (11) 4003-1212 ou www.ingressorapido.com.br

Pagamento: cartões de crédito e débito Visa e Mastercard, cheque ou dinheiro.

Classificação: 14 anos. Duração: 80 minutos. Estacionamento conveniado – Estapar Estacionamentos, Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos) – R$ 10 pelo período de 5h. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB.

Transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifício Zarvos) e na XV de Novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a 20 metros da entrada do CCBB.

Acessibilidade: Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física Bilheteria/Informações: Terça a domingo, das 9h às 20h.Telefone: (11) 3113-3651 / 3113-3652 www.bb.com.br/cultura  www.twitter.com/ccbb_sp

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo