Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2011

25/06/2011 - 21:52

Pela primeira vez o teatro trata transexual seriamente

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Luiz Antonio - Gabriela" no Galpão do Folias até 17 de julho

O teatro tem tratado com muita simpatia os transexuais e apresentado com grande humor como é o caso de Tango Bolero e Cha Cha Cha entre outros. A peça que mais se aproximou de tentar combater o preconceito mais ou menos generalizado foi Transex, há alguns anos, de autoria de Rodolfo Garcia Vázquezs. Transex se apresentou nos Satyros com Ivam Cabral como protagonista, enfocando uma personagem extremamente sonhadora,  gentil, delicada em sensível como, acredita-se que,  são muitas mulheres, em comparação aos homens. Em Luis Antonio Gabriela,  Nelson Baskerville tem a coragem de escrever e dirigir uma montagem confessadamente autobiográfica. Trata de um irmão que, sem condições de se dar bem por aqui (como acontece com boa parte dos transexuais), imigra para a Espanha como prostituta.

Aqui quando alguém se dá bem é em salão de cabeleireiro, algumas pouquíssimas vezes no palco e olhe lá. Basta lembrar que a maioria dos condomínios não as aceita como moradoras. Vale lembra que o autor do texto acatou intervenção dramatúrgica de Verônica Gentilin. Mas a brilhante direção (incluindo cenário, iluminação que assina com Marcos Felipe) é só do tarimbado Baskerville mesmo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , ,
24/06/2011 - 16:08

Espectros é atração irresistível para um público adulto

Compartilhe: Twitter

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Nelson Baskerville e Clara Carvalho em "Espectros"

Espetáculo embalado pelo zelo na sondagem das almas humanas de dramaturgos da envergadura do norueguês Henrik Ibsen (1828-1906) com participação, cem anos após a morte do criador, Ibsen, de Ingmar Bergman (1918-2007), papa do psicologismo abismal, Espectros provoca no espectador um  prazer  racional  em mentes adultas privilegiadas.

Adultas, por que em sintonia com o sublime dos questionamentos do homem e da sua culpa, fazendo da nossa espécie manobra dos deuses, acredite-se neles ou não. Há nesta primorosa análise do texto da dupla Ibsen/ Bergman pelo diretor Francisco Medeiros, um fator que faz o espetáculo alçar voo para além do Realismo. É o tom de tragédia clássica que fez a imortalidade dos míticos herois/ heroinas de Ésquilo, Sófocles e  Eurípides. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , ,
23/06/2011 - 17:29

Gianecchini: o galã cruel

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Reynaldo Gianecchini e Maria Manoella em "Cruel"

O ator Reynaldo Gianecchini tem uma trajetória pautada pela “fuga do estereótipo”, conforme afirma, e sempre se dispõe a enfrentar desafios no teatro. Assim é em sua nova empreitada: o galã das telenovelas promete surpreender na pele de um personagem do sueco August Strindberg de Cruel, adaptação de Os Credores, do mesmo autor, assinada pelo ator Elias Andreato, quem dirige a peça, cuja estreia, para convidados, é hoje e a temporada

Erik Marmo e Maria Manoella em "Cruel"

Um triângulo nada convencional marca a trama da peça que traz, também, os atores Erik Marmo e Maria Manoella dividindo a cena com Gianecchini. Tekla (Manoella), uma escritora, casada com Adolfo (Marmo), artista plástico, vão passar uma temporada numa ilha. Lá está Gustavo (Gianecchini), ex-marido de Tekla, que ocultando sua identidade para Adolfo, com ela um jogo de crueldade para vingar-se destruindo o casal.

Em entrevista exclusiva a Michel Fernandes, o ator Reynaldo Gianecchini fala sobre seu percurso no teatro e na televisão, sobre seu trabalho em Cruel, sua decisão em dedicar-se apenas ao teatro em 2011, entre outros.

Michel Fernandes – O que o move a realizar projetos ousados, como montar um clássico de Strindberg, tendo carreira televisiva de destaque? Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
22/06/2011 - 16:12

O lado oculto do palco

Compartilhe: Twitter

Guto Rocha/Assessoria de Imprensa FILO

Alemães em "Teatro Delusio"

Em Teatro Delusio, companhia alemã mostra, com o uso de máscaras, a relação entre três técnicos e artistas que passam pela casa de espetáculo

Personagens imprescindíveis para que um espetáculo aconteça, os técnicos estão sempre no lado oculto dos teatros.  Em Teatro Delusio, montagem que a companhia alemã Familie Flöz apresentou no FILO 2011, esses profissionais têm suas funções reveladas com uma boa dose de humor.

Teatro Delusio é a casa de espetáculos onde trabalham três técnicos: Bernd, um homem que sofre de um cansaço crônico e está sempre cumprindo ordens; Bob, jovem forte e imprevisível, e Ivan, que controla os outros dois colegas.  A montagem conta, sem o uso de palavras, as histórias desses três homens e as relações que eles mantêm com os artistas que brilham nas peças de teatros, óperas e balés que são apresentadas na casa.

“É uma relação cheia de conflitos, permeada por seus sonhos, angústias, medos e ambições”, comenta o ator Hajo Schüeler, um dos fundadores da companhia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags:
21/06/2011 - 23:59

Encanto das mãos

Compartilhe: Twitter

Guto Rocha/Assessoria de Imprensa FILO

Chinês titeriteiro apresentam "Hand Stories"

Hand Stories mostra saga de cinco gerações de titeriteiros para preservar a arte de manipular bonecos

Laços familiares mantidos por meio da habilidade de manipular bonecos, manifestação artística que, como genes, é transmitida de pai para filho há mais de dois mil anos na China. Em Hand Stories, o titeriteiro chinês Yeng Faï narra a saga de cinco gerações de sua família, todos mestres nesta  arte.  O espetáculo foi apresentado no Teatro Londrina, dentro da programação do FILO 2011.

Faï resolveu contar a sua própria história e a de sua família neste espetáculo por considerá-la muito particular, uma vez que, apesar de todas as adversidades que enfrentaram, a arte permaneceu. “Também queria que as pessoas conhecessem como acontece a transmissão de uma arte através das gerações”, comenta.

O titeriteiro começou a ser treinado aos quatro anos. Antes, ainda no berço, os bonecos manipulados por seu pai serviam para acalmar seu choro. Teve os ensinamentos interrompidos pela Revolução Cultural, do ditador chinês Mão Tse-Tung. Faï conta que seu pai foi preso pelo regime comunista e levado a um campo de trabalhos forçados, onde acabou morrendo. Então, seu irmão mais velho, também um exímio titeriteiro, continuou a ensiná-lo a manipular bonecos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags:
21/06/2011 - 21:11

O gesto como totalidade

Compartilhe: Twitter

Renato Forin Jr. / Assessoria de Imprensa FILO

"Dia Desmanchado" - Marcelo Bulgarelli

Marcelo Bulgarelli, do Teatro Torto (RS), apresentou técnica baseada na biomecânica em oficina e espetáculo

O FILO 2011 recebeu um dos principais estudiosos brasileiros da biomecânica – método de preparação do ator desenvolvido por Meyerhold, um dos encenadores mais importantes da primeira metade do século 20. Marcelo pertence ao grupo gaúcho Teatro Torto, que, com uma linguagem própria baseada no trabalho corporal do ator, compõe montagens como Dia Desmanchado, apresentado no Festival. Até o último sábado (18), o ator e protagonista do espetáculo-solo ministrou oficina com as técnicas do grupo:

A ação teatral – os princípios básicos da biomecânica para a construção da ação.

O título auto-explicativo resume o conteúdo dos cinco encontros dirigidos por Marcelo Bulgarelli. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags:
21/06/2011 - 19:46

Da arte de perceber o outro

Compartilhe: Twitter

Cia. Gira Dança (RN) fez intervenção em uma praça de Londrina

Cia. Gira Dança mobilizou o calçadão de Londrina em intervenção urbana que aproxima artistas e público

Renato Forin Jr. / Assessoria de Imprensa FILO

Dentro da cabine de telefone vermelha, em estilo britânico, localizada em frente ao Teatro Ouro Verde, quatro pessoas apertam-se, debatem-se, sobem umas sobre as outras, gritam. A porta se abre, e o rapaz de cadeira de rodas que estava do lado de fora salta num golpe de braços, entra no cubículo apertado e engrossa a massa humana. Fecha-se a porta. Um homem com máscara de oxigênio saltita em torno da cabine apoiando-se em pequenas muletas.

A essa altura, o círculo já é imenso: uma clareira circundada pelos pares de olhos curiosos dos transeuntes interrompidos. Um ou outro que esquece de olhar em volta, passa bem próximo e assusta-se. “É um grupo de teatro?”, pergunta a moça. Mas ninguém tem a resposta. A senhora ao lado sussurra em bom tom um “meu Deus, que susto!”, quando vê o artista de máscara. Já outra menos pávida e mais crente, conclui: “Estas pessoas estão possuídas por demônios”. E segue seu caminho com a benção divina, não sem antes dar uma olhadela para trás. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags:
20/06/2011 - 23:48

Brasil ganha a Triga de Ouro na Quadrienal de Praga

Compartilhe: Twitter

O Brasil recebeu hoje a Triga de Ouro em Praga! É a segunda vez que o Brasil é premiado como a melhor representação. A primeira foi em 1995.

Além disso, BR-3, do Teatro da Vertigem, dirigido por Antonio Araújo, foi considerada a melhor produção teatral do mundo inteiro dos últimos cinco anos, pela inovação de usar o espaço da cidade como espaço cênico.

Parabéns à equipe brasileira pela brilhante conquista!!!!

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags:
20/06/2011 - 22:52

Veja galeria de fotos de Cruel

Compartilhe: Twitter

Cruel, de August Strindberg

Direção e Adaptação: ELIAS ANDREATO

Elenco: REYNALDO GIANECCHINI, MARIA MANOELLA e ERIK MARMO

Cenário e Figurino: FÁBIO NAMATAME

Iluminação: WAGNER FREIRE

Trilha Sonora Composta: DANIEL MAIA

Direção de Arte: LAURA ANDREATO

Assistente de direção: ALINE MEYER

Preparação Corporal: VIVIEN BUCKUP

Preparação Vocal: EDI MONTECCHI

Fotos: JOÃO CALDAS

Programação Visual: VICKA SUAREZ

Produção Executiva: MAGALI LOPES

Coordenação de Produção: EGBERTO SIMÕES

Produtoras: SELMA MORENTE e CÉLIA FORTE

[slideshow id=37]

CRUEL

Teatro FAAP (506 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Segundas e Terças, às 21h.

Ingressos: R$ 40.

Duração: 70 minutos

Recomendação: 14 anos

Estreia 27 de junho.

Temporada: até 04 de outubro.

Autor: - Categoria(s): GALERIA DE FOTOS Tags:
20/06/2011 - 00:19

Assista a um vídeo em que Ilana Kaplan interpreta Ricardo Exatus

Compartilhe: Twitter

RICARDO EXATUS, primo do Roberto Justus, em duas partes

De Ilana Kaplan e Ana Kaplan.
<a href="“>
<a href="“>

Autor: - Categoria(s): Multimídia Tags:
Voltar ao topo