Publicidade

Publicidade
19/07/2011 - 21:02

Poesia de Bishop, Marta Góes e Regina Braga no palco do Eva Herz

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Regina Braga é Elizabeth Bishop

Dizem que os melhores vinhos são aqueles que aguardam mais tempo nas adegas para serem degustados. Não que a arte de Um Porto Para Elizabeth Bishop, em cartaz às quartas e quintas-feiras no Teatro Eva Herz, precisasse se depurar, nesse hiato de dez anos a pontuar a primeira da segunda montagem do monólogo, para encantar ao público. A poesia da norte-americana Elizabeth Bishop, decantada pelo olhar delicado e eficaz de Marta Góes interpretado com vigor e talento por Regina Braga re-encontram-se nessa celebração ao bom teatro.

O espetáculo dirigido por José Possi Neto, no mesmo posto que ocupou em 2001, ganha o contorno intimista proporcionado pelo espaço que ocupa. A perda, meramente plástica, é da cenografia de Jean-Pierre Tortil no que diz respeito ao revestimento do palco. Há uma década, acompanhava o material do restante da cenografia (toda ela de madeira clara), hoje é poluída pelo linóleo negro do palco que, definitivamente, não se conforma ao cenário.

Finalizando essa observação comparativa entre as montagens – que, na verdade, não diminuem a fruição da peça – é preciso falar dos efeitos de voz atingidos, aqui, na interpretação de Braga. A atriz consegue a sutileza de dividir a maneira de falar: quando narra fatos ocorridos na trajetória de Elizabeth Bishop o faz com um leve sotaque de uma estrangeira a saborear a musicalidade das palavras aprendidas no Brasil, com o tom íntimo e emocionado de quem escancara o que passa dentro de si.

Abordar a relação de Bishop e Lota da maneira franca, expondo detalhes que contribuem para conflitos entre casais, sem valorar com isso a sexualidade do par envolvido é um dado que faz de Um Porto Para Elizabeth Bishop texto ainda mais interessante.

Em  poucas frases, entretanto, Marta Góes deixa clara a cobrança elevada em casais formados por pessoas do mesmo sexo quando Bishop diz sobre a necessidade delas em se superarem para que se sentissem verdadeiramente aceitas.

Regina Braga como Bishop - Foto: Joao Caldas

Tal sopro delicado de extrema poesia é muito bem vindo de volta.

Roteiro: Um Porto para Elizabeth Bishop. De Marta Goes. Direção de José Possi Neto. Assistente de Direção: Mônica Sucupira. Com Regina Braga. Cenógrafo: Jean Pierre Tortil.Iluminador: Wagner Freire. Trilha Sonora: George Freire. Figurinista: Lu Pimenta. Visagismo: Fabio Namatame. Fotografia: João Caldas Direção de Produção: Brancalyone Produções Artísticas.

Serviço: Teatro Eva Herz da Livraria Cultura – Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073. Temporada: quartas e quintas às 21h. Até 28 de julho. Bilheteria: (11) 3170-4059. De segunda a sábado, das 14 às 21 horas e aos domingos e feriados, das 12 às 20 horas. Ingressos à venda pela Internet: www.teatroevaherz.com.br ou www.ingresso.com.br. Ingressos – R$ 40,00.Formas de pagamento: dinheiro e todos os cartões de débito e crédito – não aceitam cheque.Classificação etária: a partir de 14 anos. Duração: 70min. Capacidade do teatro: 166 lugares.

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para “Poesia de Bishop, Marta Góes e Regina Braga no palco do Eva Herz”

  1. Caio Cesar disse:

    Ola pessoa queria saber se vcs podem mandar as falas da peça Um Porto Para Elizabeth Bishop, faço teatro e gostaria de encenar a peça desde ja muito obrigado…

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo