Publicidade

Publicidade
05/08/2011 - 16:05

Marco Pigossi estreia em clássico de Molière

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Eruditas" - Marco Pigossi e Gláucia Rodrigues - foto de Cláudia Ribeiro 2011

Para celebrar duas décadas de vida, a Cia. Limite 151, do Rio de Janeiro, resolveu encenar uma comédia clássica do francês Molière, As Eruditas. Com a participação do ator Marco Pigossi (que estará na telenovela, Fina Estampa, da TV Globo), entre outros atores que entram na trupe de Edmundo Lippi, Gláucia Rodrigues e Wagner Campos, estreia hoje no Teatro Brigadeiro.

Penúltimo texto do autor, As Eruditas conta a história de Henriqueta (Janaína Prado) e Armanda (Jacqueline Brandão), duas filhas de Filomena (Theresa Amayo) e Crisaldo (Élcio Romar), um fidalgo da alta sociedade parisiense. Filomena deslumbra-se com o mundo das letras e da filosofia a ponto de querer casar Henriqueta com Tremembó (Gustavo Ottoni), um oportunista que tenta conquistar, com seus versos, a mão e o dote de uma das moças.Henriqueta – ao contrário de sua irmã – não se sensibiliza com os galanteios, preferindo para noivo Cristóvão (Marco Pigossi), um jovem preterido por Armanda devido à sua simplicidade intelectual. Com esta trama, Molière esmiúça a hipocrisia, a crueldade e outras fraquezas humanas. “Os vícios apontados por Molière no século XVII continuam presentes e universais”, destaca José Henrique, completando que Gláucia Rodrigues interpreta a desvairada Belisa.

"As Eruditas" - Janaína Prado e Marco Pigossi - foto de Cláudia Ribeiro

A peça, cujo texto foi montado pela primeira vez em 1672, traz no elenco Theresa Amayo, Marco Pigossi, Gláucia Rodrigues, Jacqueline Brandão, Gustavo Ottoni, Janaína Prado, Tony Giusti, Marcelo Sant´Anna, Renata Sabino e Élcio Romarcomo ator convidado. Com tradução de Millôr Fernandes e direção de José HenriqueAs Eruditas estreou em 2007 no Teatro Villa-Lobos, no Rio de Janeiro e, desde então, circulou por várias cidades do País.

O diretor José Henrique conta que a montagem é a mesma já apresentada em São Paulo com Jaqueline Lawrence. Acrescenta, no entanto, a entrada de três atores absolutamente novos em papeis importantes: Élcio Romar, Teresa Amayo e Marco Pigossi. “Isso dá um tempero diferente, já que cada um acrescenta algo de sua personalidade à obra”, comenta o diretor. “Não há truques nem tecnologia na encenação. Apenas o respeito ao maior gênio da história da comédia”, completa.

Para Marco Pigossi, que trabalhou recentemente com a Cia. Limite 151 na montagem de O Santo e a Porca, de Ariano Suassuna (São Paulo em 2010), a parceria tem sido prazerosa.

“Cada momento foi e está sendo uma lição aprendida. Tenho muito orgulho da companhia que há duas décadas vem montando peças e mostrando ao público um teatro popular, acessível, inteligente, de primeiríssima qualidade. Isso é muito difícil no Brasil. Estou realmente muito feliz em fazer parte desse momento”, comemora.

Para a temporada em São Paulo o ator vai dividir o tempo entre o palco e a TV. Pigossi está no elenco da novela Fina Estampa, a nova trama da Globo, escrita por Aguinaldo Silva. No teatro, será Cristóvão, um jovem de família simples, trabalhador e honesto.

“É um personagem que não tem a comicidade como característica principal, mas, por se tratar de um Molière tem algumas tiradas engraçadas”.

Nessa comemoração de 20 anos, o grupo escolheu a peça por se tratar de um Molière, que representa bem a trajetória do grupo, conhecido por privilegiar os clássicos da dramaturgia. A companhia já ensaia Thérèse Raquin, clássico do naturalismo, de Emile Zola, com tradução de Clara Carvalho e direção de João Fonseca, previsto para estrear em setembro no Teatro Laura Alvin, no Rio de Janeiro.

As Eruditas – Re-estreia dia 5 de agosto, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro Brigadeiro. Texto:Molière. Tradução: Millôr Fernandes. Direção: José Henrique. Elenco: Theresa Amayo, Élcio Romar, Gláucia Rodrigues, Jacqueline Brandão, Marco Pigossi, Gustavo Ottoni, Janaína Prado, Tony Giusti, Marcelo Sant´Anna e Renata Sabino. Cenários e Figurinos: Colmar Diniz.Iluminação: Rogério Wiltgen. Programação visual: João Carlos Guedes. Produção Executiva: Valéria Meirelles. Direção de Produção: Edmundo Lippi. Temporada: De 5 de agosto a 25 de setembro.  Sexta e sábado, às 21h e domingo às 19 horas. Ingressos: R$ 20,00.Duração: 80 minutos. Classificação Etária: 10 anos.

Teatro Brigadeiro. Av. Brigadeiro Luís Antonio, 884 – Bela Vista. Telefone – 3107.5774 / 3115.2637. Bilheteria de quarta a domingo a partir de 14 horas. Capacidade: 700 lugares.Projeto Selecionado pelo Programa BR de Cultura 2011/2012.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo