Publicidade

Publicidade
16/08/2011 - 22:19

Woody Allen nos palcos paulistanos

Compartilhe: Twitter

*Maurício Mellone

Mais conhecido como diretor de cinema, Allen escreve para teatro desde os anos 1960 e essa peça é montada pela primeira vez no Brasil, com Fabio Assunção e Norival Rizzo nos papéis centrais

A inteligência de argumentos, o humor e a eloquência verbal (a quantidade excessiva de palavras sem, às vezes, deixar o interlocutor pensar) são as marcas de Woody Allen já consagradas no cinema. Entretanto, o conhecido diretor de cinema começou sua carreira escrevendo para teatro e sua marca registrada já está delineada nos textos teatrais. Isso fica evidente em sua peça Adultérios (Central Park West), primeira montagem brasileira que está em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, com direção de Alexandre Reinecke e tendo no elenco Fabio Assunção, Norival Rizzo e Carol Mariottini.

O encontro de um escritor e roteirista de cinema com um mendigo em pleno Central Park, à beira do rio Hudson, é o mote central da trama. O inusitado desse encontro é que o mendigo Fred (Fabio Assunção), mesmo sendo esquizofrênico, é inteligente, sagaz e, em determinado momento, não só ganha a confiança do roteirista Jim Swain (Norival Rizzo), como passa a ser seu conselheiro.

Jim está no parque para colocar um ponto final em sua relação com a amante Barbara (Carol Mariottini) e Fred o reconhece; diz que Jim roubou sua história para o roteiro do filme que faz sucesso de bilheteria e quer receber parte dos lucros. A chegada da bela mulher só põe mais lenha na fogueira. No final da peça há uma reviravolta no argumento e o público é surpreendido, mais uma sacada de mestre de Woody Allen.

Fábio Assunção (Fred) e Norival Rizzo (Jim)

O grande destaque da montagem é a sintonia entre os atores. A composição de Fred é exemplar: Fábio não só incorpora o gestual de um mendigo, como modifica sua voz. O talentoso Norival Rizzo anexa a seu brilhante currículo mais uma composição emocionante: a virada da trama no final fica evidenciada por sua fisionomia. Destaque ainda para o cenário de André Cortez, que com ripas de madeira, dá ao espectador a sensação de estar no Central Park.

Roteiro:
Adultérios
(Central Park West). Texto: Woody Allen. Direção e adaptação: Alexandre Reinecke. Tradução: Raquel Ripani. Com: Fábio AssunçãoNorival RizzoCarol Mariottini. Cenografia: André Cortez. Figurinos: Leopoldo Pacheco. Iluminação: Caetano Vilela. Trilha sonora original: Eduardo Queiroz. Direção de produção: Giuliano Ricca.
Serviço:
Teatro Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – 6º Andar). Sextas, às 21h30, Sábados, às 20h e às 22h, Domingos, às 19h. Preços: Sextas: R$ 50,00, Sábados: R$ 70,00 e Domingos: R$ 60,00. Duração: 60 minutos. Lotação: 600 lugares. Classificação Etária: 12 anos.Horário de funcionamento da bilheteria: terça à quinta, no 6º andar, das 13h às 19h; de sexta a domingo, no 6º andar, das 13h até o início dos espetáculos. Telefones da bilheteria: 3472.2229 e 3472.2230.Vendas  11.4003.1212 e pela Internet: www.ingressorapido.com.br/prefeitura
Temporada: Até 25 de setembro de 2011.

*Maurício Mellone é editor do site Favo do Mellone

Woody Allen nos palcos paulistanos

*Maurício Mellone

Mais conhecido como diretor de cinema, Allen escreve para teatro desde os anos 1960 e essa peça é montada pela primeira vez no Brasil, com Fabio Assunção e Norival Rizzo nos papéis centrais

A inteligência de argumentos, o humor e a eloquência verbal (a quantidade excessiva de palavras sem, às vezes, deixar o interlocutor pensar) são as marcas de Woody Allen já consagradas no cinema. Entretanto, o conhecido diretor de cinema começou sua carreira escrevendo para teatro e sua marca registrada já está delineada nos textos teatrais. Isso fica evidente em sua peça Adultérios (Central Park West), primeira montagem brasileira que está em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, com direção de Alexandre Reinecke e tendo no elenco Fabio Assunção, Norival Rizzo e Carol Mariottini.

O encontro de um escritor e roteirista de cinema com um mendigo em pleno Central Park, à beira do rio Hudson, é o mote central da trama. O inusitado desse encontro é que o mendigo Fred (Fabio Assunção), mesmo sendo esquizofrênico, é inteligente, sagaz e, em determinado momento, não só ganha a confiança do roteirista Jim Swain (Norival Rizzo), como passa a ser seu conselheiro.

Jim está no parque para colocar um ponto final em sua relação com a amante Barbara (Carol Mariottini) e Fred o reconhece; diz que Jim roubou sua história para o roteiro do filme que faz sucesso de bilheteria e quer receber parte dos lucros. A chegada da bela mulher só põe mais lenha na fogueira. No final da peça há uma reviravolta no argumento e o público é surpreendido, mais uma sacada de mestre de Woody Allen.
O grande destaque da montagem é a sintonia entre os atores. A composição de Fred é exemplar: Fábio não só incorpora o gestual de um mendigo, como modifica sua voz. O talentoso Norival Rizzo anexa a seu brilhante currículo mais uma composição emocionante: a virada da trama no final fica evidenciada por sua fisionomia. Destaque ainda para o cenário de André Cortez, que com ripas de madeira, dá ao espectador a sensação de estar no Central Park.

Roteiro:
Adultérios
(Central Park West). Texto: Woody Allen. Direção e adaptação: Alexandre Reinecke. Tradução: Raquel Ripani. Com: Fábio AssunçãoNorival RizzoCarol Mariottini. Cenografia: André Cortez. Figurinos: Leopoldo Pacheco. Iluminação: Caetano Vilela. Trilha sonora original: Eduardo Queiroz. Direção de produção: Giuliano Ricca.
Serviço:
Teatro Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – 6º Andar). Sextas, às 21h30, Sábados, às 20h e às 22h, Domingos, às 19h. Preços: Sextas: R$ 50,00, Sábados: R$ 70,00 e Domingos: R$ 60,00. Duração: 60 minutos. Lotação: 600 lugares. Classificação Etária: 12 anos.Horário de funcionamento da bilheteria: terça à quinta, no 6º andar, das 13h às 19h; de sexta a domingo, no 6º andar, das 13h até o início dos espetáculos. Telefones da bilheteria: 3472.2229 e 3472.2230.Vendas  11.4003.1212 e pela Internet: www.ingressorapido.com.br/prefeitura
Temporada: Até 25 de setembro de 2011.

*Maurício Mellone é editor do site Favo do Mellone

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags:

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo