Publicidade

Publicidade
16/09/2011 - 15:24

Gabriel Villela mostra uma casa mineira que revela o que há por baixo dos panos

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

O romance de Lúcio Cardoso, Crônica da Casa Assassinada, considerado a obra-prima do autor mineiro, serve de base para que o diretor Gabriel Villela lance seu olhar sobre a hipocrisia família versus sociedade revelando o que há por debaixo dos panos em versão teatral homônima, com dramaturgia de Dib Carneiro Neto, que estreia hoje, 21h, no Teatro do SESC Vila Mariana.

“É um drama contemporâneo que tem dois pólos: o feudo familiar e o feudo externo – da sociedade”, sintetiza o encenador Gabriel Villela.

A trama gira em torno da família Menezes e dos que habitam o casarão da abastada família que vive do arrendamento do pasto de sua propriedade: três filhos, duas cunhadas e uma empregada. Como o livro de Lúcio Cardoso é composto por cartas de um personagem para o outro, o dramaturgo dividiu os personagens em dois nichos: o interno (aqueles que vivem no casarão) e o externo (as “vozes da sociedade”, formada por três narradores que representam diferentes, um Farmacêutico, um Padre e um Médico.

“O Dib (dramaturgo da peça) colocou uma lente de aumento na obra-prima de Lúcio Cardoso cuja casa é a protagonista. Ali, na casa, se escondem segredos, as loucuras e neuroses de uma família. Segredos que são comentados e narrados por três personagens de fora: um médico (que representa a ciência), um padre (que personaliza a religião) e um enfermeiro (o fofoqueiro que quer se aproveitar dessa família rica), e todos os fatos não seguem uma ordem cronológica. È como um quebra-cabeças que faz sentido aos poucos. Há uma polifonia – personagens situados em tempos diferentes da história falam em primeira pessoa e ao mesmo tempo, por exemplo”, explica Gabriel Villela.

Os temas abordados são bastante provocativos , espinhosos – como homossexualidade e incesto . Por exemplo, um dos filhos da família Menezes, Timóteo (interpretado pelo ator Sérgio Ruffino), é homossexual – segundo o ator, uma espécie de alter-ego de Lúcio Cardoso – e, devido à vergonha que sua condição traz aos Menezes, fica encarcerado na própria casa, “uma espécie de Sigismundo” (protagonista de A Vida é Sonho, de Calderón de La Barca).

Xuxa Lopes e Pedro Henrique Moutinho em "Crônica da Casa Assassinada", direção de Gabriel Villela

O elenco é formado por um grupo de excelentes atores – Xuxa Lopes, Sergio Rufino, Flavio Tolezani, Pedro Henrique Moutinho, Rogério Romera, Maria do Carmo Soares, Letícia Teixeira, Cacá Toledo, Helio Souto Jr., Marco Furlan  – que, segundo Villela, “nunca estiveram tão bem em cena quanto nesse espetáculo”.

A peça traz na bagagem a marca de  indicações ao Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro (Gabriel Villela (melhor direção e figurino), Marcio Vinicius (melhor cenografia), Domingos Quintiliano (melhor iluminação)).
Para roteiro:

Crônica da Casa Assassinada – Estreia 16 de setembro, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro SESC Vila Mariana. Texto: Dib Carneiro Neto, adaptado do livro de Lucio Cardoso. Direção – Gabriel Villela. Elenco – Xuxa Lopes, Sergio Rufino, Flavio Tolezani, Pedro Henrique Moutinho, Rogério Romera, Maria do Carmo Soares, Letícia Teixeira, Cacá Toledo, Helio Souto Jr., Marco Furlan.Cenários – Marcio Vinicius. Figurinos e Sonoplastia – Gabriel Villela. Iluminação – Domingos Quintiliano. Preparação Corporal – Rosely Fiorelli . Preparação Vocal – Babaya. Assistência de Direção – Cesar Augusto e Ivan Andrade.Costureira – Cleide Mezzacapa. Diretor de Palco – Alex Peixoto. Fotografia –João Caldas. Programação Visual – Ana Paula Grande . Ilustração – Carlinhos Muller. Direção de Produção – Claudio Fontana. Assessoria de Imprensa –Arteplural.  Classificação – 16 anos. Duração – 90 minutos. Temporada – sextas e sábados, às 21 horas e domingos às 18 horas. Ingressos – R$24,00 inteira. R$12,00 usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante. R$6,00 trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes.   Até 16 de outubro.

SESC Vila Mariana – Rua Pelotas, 141. Telefone – 5080-3000. Horário de funcionamento da bilheteria – Terça a sexta das 9h às 21h30, aos sábados das 10h às 21h30, domingos e feriados das 10h às 18h30. Informações – 0800 118220. Estacionamento – Veículos, motos e bicicletas – Terça a sexta, das 7h às 21h30; Sábado, domingo, feriado, das 9h às 18h30 – Taxas: R$ 3,00 a primeira hora e R$ 1,00 por hora adicional (matriculados); R$ 6,00 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (não-matriculados). Acesso para pessoas com deficiências.Estacionamento: a partir de R$ 3,00. Site – www.sescsp.org.br

SESC Vila Mariana

Rua Pelotas, 141 – Informações: 5080-3000 e 0800-118220

Twitter@sescvilamariana –

Facebook – http://facebook.com/sescvilamariana

Confira a galeria de fotos de Crônica da Casa Assassinada

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo