Publicidade

Publicidade
10/10/2011 - 20:26

Rindo com Lulu Pavarin

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplauso@gmail.com)

Elenco de "Serpente Verde, Sabor Maçã"

Jô Bilac e Larissa Câmara são os autores dessa tragicomédia, em que a misteriosa Senhora G serve chá aos visitantes: muitos entram na bela casa e poucos saem de lá. No Espaço Parlapatões e com direção de Lavínia Pannunzio, Lulu divide o palco com Angela Figueiredo, Luna Martinelli e Fernando Fecchio

Hoje é um belo dia para ocorrer um assassinato. No prólogo, um ator na penumbra já indica o clima da tragicomédia dos cariocas Jô Bilac e Larissa Câmara. Na cena inicial permanece o tom sombrio e a misteriosa e mentirosa Senhora G, interpretação visceral de Lulu Pavarin, oferece um inusitado chá verde (sabor maçã) à primeira visita (ou seria vítima), vivida por Luna Martinelli. É assim que a inquilina de uma bela casa — disputada pela proprietária (Angela Figueiredo), pelas vizinhas gêmeas (Luna) e por um inspetor disfarçado (Fernando Fecchio)— recebe seus visitantes. Dependendo das atitudes deles, a Senhora G define quem deve sobreviver ou não: o chá do bule prata é servido aos que a desagradam e o chá do bule dourado para quem lhe é simpático.  Serpente Verde, Sabor Maçã acaba de estrear e fica até 4 de novembro em cartaz.

A montagem para a diretora Lavínia Pannunzio recebeu forte influência dos filmes de mistério e terror:

“A peça é uma farsa, uma comédia de erros. É preciso que o público entre naquele universo bizarro, se assuste consigo mesmo e possa rir, se puder. A inspiração do visual da peça vem dos filmes, principalmente os de David Lynch, elegantemente expressionistas, quase caricaturais, mas extremamente humanos”, explica Lavínia.

Com o público já integrado ao clima tragicômico, aos poucos as pessoas, em total cumplicidade, começam a torcer para que a Senhora G ofereça o chá do bule prata, já que o caráter de suas visitas não é nada confiável.

Todos a procuram com interesse, ou na compra da casa ou nos objetos da decoração. Há um jogo de poder e dominação constante, em que “prevalece a barbárie. É a insanidade da vida pelo olhar da loucura”, segundo os autores, que delicadamente definem a peça como uma fábula dark.

Para amplificar o tom sombrio do espetáculo, o cenário de Cássio Brasil, a iluminação de Aline Santini, o figurino de Daniel Infantini e a trilha sonora do titã Branco Mello (casado com Angela) são primordiais, além do uso contínuo de gelo seco.

Lulu Pavarin vive momento especial na carreira: depois do sucesso no monólogo de Germano Melo e Michelle Ferreira Como ser uma pessoa pior, com direção de Mário Bortolotto, a atriz dá vida a essa inescrupulosa e ao mesmo tempo adorável Senhora G. Ela magnetiza o público: as pessoas se não justificam as ações da personagem, no mínimo a entendem.

Ressalto ainda a criatividade Jô Bilac. Depois de se deliciar com Limpe Todo Sangue Antes que Manche o CarpeteCachorro! e Rebú, novamente a plateia paulistana tem a chance de assistir a novo texto seu (agora em parceria com Larissa Câmara).No inventivo Serpente Verde, Sabor Maçã, o público é convidado a desvendar quem é aquela enigmática Senhora G (seria G de god/deus?) e quando começaram suas artimanhas.

Roteiro:
Serpente Verde, Sabor Maçã
. Texto: Jô Bilac e Larissa Câmara. Direção: Lavínia Pannunzio. Elenco: Lulu Pavarin, Angela Figueiredo, Luna Martinelli e Fernando Fecchio. Cenário: Cássio Brasil. Iluminação: Aline Santini. Figurino: Daniel Infantini. Trilha sonora: Branco Mello. Coreografia: Lara Pinheiro. Fotos: Fábio Messias.Coordenação geral: Angela Figueiredo.
Serviço:
Espaço Parlapatões (98 lugares), Praça Franklin Roosevelt, 158. Tel: 3258-4449.Temporada: quintas e sextas, às 21h. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00. Duração: 75min. Censura: 14 anos. Acesso a portadores de necessidades especiais. Estacionamento conveniado (R. Nestor Pestana, 129) Aceitam-se cartões de crédito e débitos de todos os bancos. Bilheteria: de terça a domingo, das 16h às 22 horas. Ingresso rápido 11 4003-1212 ou pelo sitewww.ingressorapido.com.br. Temporada até 04 de novembro de 2011.

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo