Publicidade

Publicidade
01/11/2011 - 14:17

Jô Soares dirige comédia maiúscula

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Luiza Lemmertz e Cassio Scapin em "O Libertino"

SÃO PAULO – A comédia aqui em São Paulo é uma evolução do teatro de revista, praticado a partir das farsas. Por essa razão, grande parte dos atores conhecem, desde o Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), bem as técnicas do teatro ridículo e ignoram as interpretações que não sejam satíricas. Quem me explicou isso foi Wolney de Assis (ator, diretor e professor de teatro) lá pela década de 1980. Mas as coisas continuam iguais na maioria das vezes. Não é o caso das encenadas pelo grupo TAPA e nem de O Libertino, de Eric-Emmanuel Shimitt, dirigida com extrema competência por Jô Soares, em cartaz no Cultura Artística Itaim, de quinta a domingo, o que a torna simplesmente imperdível.

O elenco, composto por dois atores e quatro atrizes está com tudo em cima, principalmente Luiza Lemmertz (filha da Júlia e neta da Lilian) e Luciana Carnieli.

Mas quem está arrasando é Cássio Scapin, quem protagoniza a peça. Ele é Diderot, um dos filósofos da ilustração francesa que alterna frases filosóficas e orgias divertidas, tudo isso ficcional. Parece que ele foi um conquistador, mas a peça foi escrita sem se ater a fatos reais.

Além dessas qualidades, a iluminação é do campeão Maneco Quinderé, os figurinos são do premiadíssimo Fábio Namatame, o ótimo cenário é de Chris Aizner e música adequadíssima de Eduardo Queiroz. Uma comédia muito engraçada e sem baixarias.

"O Libertino"

Confira galeria de fotos de O Libertino

LEIA TAMBÉM

“Contaminado pelo vírus da direção teatral”, Jô Soares volta em O Libertino

Roteiro:

O Libertino. Texto: Eric Emmanuel Schmitt. Tradução: Aline Meyer. Direção e adaptação: Jô Soares. Elenco: Cassio Scapin, Luciana Carnieli, Luiza Lemmertz, Tânia Casttello, Erica Montanheiro e Daniel Warren. Iluminação: Maneco Quinderé. Figurino: Fabio Namatame. Cenários: Chris Aizner. Música Original : Eduardo Queiroz. Direção de produção: Fernanda Signorini. Fotos: Jairo Goldflus.Programação Visual: Denise Bacelar. Realização: Cassio Scapin e Fernanda Signorini.

Serviço: Teatro Cultura Artística Itaim (303 lugares), Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830. Quinta e sábado às 21h. Sexta às 21h30. Domingo às 18h. Ingressos: Quinta R$ 40. Sexta e domingo R$ 50. Sábado R$ 60. Duração: 90 minutos. Recomendação: 16 anos. Televendas – 3258-3344  www.culturaartistica.com.br. Bilheteria: terça e quarta, das 15h às 19h. Quinta a domingo, das 15h até o início do espetáculo. Aceita cheque e todos os cartões de crédito e debito. Estacionamento conveniado no local, R$ 16.

Temporada: até 27 de novembro

*Doutora em teatro pela USP, Livre Docente pela UNICAMP

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo