Publicidade

Publicidade

Arquivo de novembro 2nd, 2011

02/11/2011 - 21:17

Peça que Jean Cocteau escreveu para Piaf ganha nova versão em SP

Compartilhe: Twitter

Adriano Oliveira, especial para o Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

"O Belo Indiferente"

SÃO PAULO – Protagonizado por Djin Sganzerla, O Belo Indiferente, texto que Jean Cocteau escreveu especialmente para Édith Piaf, ganha montagem dirigida por André Guerreiro Lopes, cuja estreia será amanhã no SESC Consolação, com promessas de irreverência na sua abordagem sobre as relações humanas, especificamente o amor.

Pouco encenada no Brasil, O Belo Indiferente foi pouco montada no Brasil, mas tem em seu currículo, durante os anos 80 e 90 do século passado, atuações icônicas como as das atrizes Helena Ignez (sua mãe), Glauce Rocha e Maria Alice Vergueiro.

Apesar de se tratar de um monólogo, a montagem traz dois personagens. Ela (Djin Sganzerla) e Ele (Dirceu Carvalho). Ela fala e Ele se cala. O enredo é simples. Durante uma madrugada, uma cantora espera seu amor em um quarto de hotel. Seu amado Emílio, enfim, chega! Sem dizer uma palavra, anda pelo quarto, deita-se na cama e lê, tranqüilamente, seu jornal. Ela tenta por todos os meios atrair sua atenção, mas nenhuma estratégia é suficiente: ironia, raiva, sedução, confidências, denúncias, ameaças. Será que ele romperá essa indiferença silenciosa? – É o que público saberá quando for assistir ao espetáculo.

André Guerreiro Lopes, quem assina a direção, diz buscar ressaltar a atemporalidade e dramaticidade poética do texto.

“Fugimos de um enfoque naturalista para retratar a situação de uma mulher em crise e seu amante num quarto de hotel. Ao invés de ‘trazer para os dias de hoje’, buscamos o que existe de profundamente humano neste amor obsessivo…”, conta Lopes. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores Tags:
Voltar ao topo