Publicidade

Publicidade
04/11/2011 - 16:38

Sub-Pop-Ópera dos Mendigos faz sessões gratuitas

Compartilhe: Twitter

Adriano Silva,especial para o Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Escrito e dirigido por Celso Correia Lopes, musical é inspirado em obra de John Gay

GRANDE SÃO PAULO (ABC) – O espetáculo Sub-Pop-Ópera dos Mendigos tem estreia marcada para hoje no Teatro Lauro Gomes, em São Bernardo do Campo. O texto, escrito em 1.727 por John Gay, tem direção e adaptação de Celso Correia Lopes, indicado ao Prêmio Femsa de Teatro infantil 2008, e direção musical de Reinaldo Sanches. A peça tem foco na discussão social e marca o debut do grupo O Maravilhoso Escritório Teatral.

A trama, dividida em três atos, consegue perpassar por diversos assuntos  como o crime consentido, suas justificações e implicações morais, além da inversão de valores na sociedade atual.

“Não se trata de um programa cultural do mainstream e sim algo mais alternativo que incentiva a reflexão”, afirma Celso.

Segundo o adaptador e diretor de Sub-Pop-Ópera dos Mendigos, o espetáculo sugere o pensar sobre contradições.

“A peça remete à pompa dos grandes espetáculos, em contraposição à palavra ‘sub’, que remete a algo situado abaixo, inferior”, conta.

"Sub-Pop-ópera dos Mendigos" faz estreia gratuita no Teatro Lauro Gomes em SBC

A ação da obra se dá no casamento dos personagens centrais, MacNavalha (Victor Merseguel) e Polly (Luciana1ão. Já a personagem Polly, é uma magnata. Em meio à cerimônia, surge a deixa para prostitutas, ladrões e cidadãos respeitados discutirem sobre as coisas em que acreditam.

O projeto tem do programa VAI – Valorização de Iniciativas Culturais da Prefeitura de São Bernardo do Campo.

Serviço

Sub-Pop-Ópera dos Mendigos

De Celso Correia Lopes

Texto Original John Gay

Classificação Indicativa – 16 anos

Dur. 120 minutos

Teatro Lauro Gomes

Rua Helena Jacquey, 171 – Rudge Ramos

São Bernardo do Campo

Entrada Franca

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo