Publicidade

Publicidade

Arquivo de dezembro 2nd, 2011

02/12/2011 - 23:06

Um casório entre a astúcia e a gargalhada até domingo no SESI

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Nani de Oliveira, Suzana Alves e Nicolas Trevijano em "O Casamento Suspeitoso"

SÃO PAULO – Restam apenas duas oportunidades, amanhã e domingo, 20h, no Teatro Popular do SESI, para dar vazão ao riso singelo proporcionado pel’ O Casamento Suspeitoso, de Ariano Suassuna, sob direção de Sérgio Ferrara.

Seguindo a mesma linha de outros textos seus como O Auto da Compadecida ou O Santo e a Porca, o paraibano de nascimento, Ariano Suassuna, por sua vez bebe nas águas da commedia dell’arte e outras fontes como Molière e Carlo Goldoni, para dar forma a tipos extremamente brasileiros que habitam o interior do nordeste.

Mesmo sendo de 1957 – e quantas mudanças sociais, tecnológicas, entre outras, parecem nos catapultar a séculos além -, a peça ainda traz consigo a realidade rural e seus valores coronelistas e retrógrados perfeitamente risíveis e reais ainda nos dias de hoje.

O casamento que dá título à peça é o de Geraldo (Joaz Campos) e Lúcia (Suzana Alves em surpreendente composição), uma moça interessada  nas finanças do futuro marido que vê seus  planos maculados pela severa Dona Guida (Beth Dorgan), o protótipo da matriarca desconfiada, e as artimanhas da dupla Cancão (Marco Atonio Pâmio) e Gaspar (um hilário Rogério Brito) que, abençoados por Guida, provocam as confusões para desmascarar a vigarista.

Susana Cláudia, mãe de Lúcia, vivida por Nani de Oliveira, é o grande destaque do espetáculo provocando intensas e seguidas gargalhadas, sobretudo nas cenas com o “carvãozinho de Arapiraca”,  o delicioso Gaspar.

Completa o elenco, dando garantias de momentos divertidos, Nicolas Trevijano, José Rosa, Sonia Maria, além dos músicos Breno Alvarenga e João Paulo Soran. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , ,
02/12/2011 - 19:13

Espectador ganha o centro do palco em Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois de se apresentar em Brasília e Rio de Janeiro no ano passado, o espetáculo chega à cidade para duas temporadas no CCBB, a primeira até o dia 15 de dezembro e no ano que vem, de 11 de janeiro a 2 de fevereiro

"Cartas de Amor - Electropoprockoperamusical" - foto Guga Melgar

SÃO PAULO – Uma experiência inusitada: o espectador entra no teatro do CCBB-SP e é encaminhado para o centro do palco, com pequenos módulos dispostos aleatoriamente no espaço, com folhas secas jogadas no chão. Ao redor, quatro telões de vídeo e dois quartos, cada um com cama e uma pequena estante com monitor de vídeo. Os atores recebem as pessoas e indicam onde devem se sentar. Percebe-se então que o público fica onde seria a sala daquela casa semi-abandonada. Aos poucos, os atores se dirigem aos espectadores e recitam pequenos versos de amor ao pé do ouvido. Pronto, o clima está estabelecido para que Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical tenha início.

As 14 instalações musicais — rock, pop, MPB— tratam de relações amorosas e conduzem a peça. O roteiro e as letras das músicas, de Flavio Graff, foram criados a partir de histórias encontradas em cartas de amigos dos componentes do grupo, em feiras de antiguidades, além de poemas e referências pessoais de Graff, que também assina a direção ao lado de Emílio de Mello. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , ,
02/12/2011 - 15:04

Aline Muniz lança seu mais novo trabalho em noite calorosa

Compartilhe: Twitter

Edson Júnior, especial para o Aplauso Brasil (Edson@aplausobrasil.com)

Aline Muniz lança "Onde Tudo Faz Sentido"

SÃO PAULO – Tudo fez sentido na voz de Aline Muniz na noite de ontem no Teatro do Shopping Frei Caneca, palco escolhido para lançamento de álbum e turnê nacional de Onde Tudo Faz_Sentido, segundo trabalho da cantora, cuja sonoridade romântica dá fôlego novo ao amor.

Aline é dona de voz adequada à bossa nova e ao cool jazz , entretanto consegue ultrapassar limites de estilos e flutua intensa sobre o pop assinando composições e interpretando com teatralidade o que encontra nos versos de um repertório que traduz o amor em suas inúmeras possibilidades. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo