Publicidade

Publicidade
08/03/2012 - 17:08

A Vingança do Espelho homenageia Zezé Macedo

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Peça de Flávio Marinho faz parte do projeto "Trilogia da Comédia"

SÃO PAULO – A criadinha do Brasil, Greta Garbo brasileira, Carlitos de saias. Tantos apelidos foram dados para Zezé Macedo, uma das maiores comediantes brasileiras. A Vingança do Espelho: A História de Zezé Macedo, projeto idealizado por Eduardo Barata, dirigido por Amir Haddad, e com Betty Gofman, Tadeu Mello, Mouhamed Harfouch, Marta Paret e Marcelo Várzea no elenco, estreia no Teatro Vivo, nesta sexta-feira (9), 21h30, cumprindo temporada sempre as sextas às 21h30, sábados às 21h e domingo às 19h, com preço único promocional de R$10 na primeira semana de espetáculo.

“Homenagear Zezé Macedo não é só resgatar a memória das atrizes populares é também relembrar como é possível fazer uma linha interpretativa sofisticada, elegante, popular e extremamente brasileira”, esclarece Flávio Marinho autor da peça.

O espetáculo faz parte do projeto “Trilogia do Riso”, idealizado e produzido por Eduardo Barata, que conta a trajetória pessoal e profissional de grandes damas das comédias e das chanchadas: A Garota do Biquíni Vermelho, que homenageia Sônia Mamed; A Vingança do Espelho: A História de Zezé Macedo, sucesso de público e crítica durante a temporada no Rio de Janeiro e Consuelo Leandro, que será dirigido por Ernesto Piccolo.

“Comecei a pensar neste projeto em 2007. Iniciei a pesquisa e verifiquei que não há, com a exceção de Dercy Gonçalves, quase registros biográficos ou bibliográficos das atrizes que trabalharam com humor. Mergulhei nos vídeos e filmes, convidei o jornalista Daniel Schenker para a pesquisa. O Flávio foi um caminho natural, ele é um grande conhecedor de teatro, televisão e cinema, pesquisador e biógrafo do Oscarito. Logo depois pensei num diretor que pudesse retratar uma atriz tão brasileira, tão comunicativa e tão popular, Amir Haddad. Quando convidei a Betty tinha certeza que ela teria talento e a elegância artística necessária para interpretar a Zezé”, conta Eduardo Barata idealizador do projeto.

“Eu estava há 6 anos sem pisar num palco, um dos lugares que mais amo estar na minha vida. Não faltaram convites, interessantes até, mas tinha outro projeto importantíssimo como prioridade: Ser mãe. Quando minhas filhas estavam por completar 6 meses, recebo um telefonema do Eduardo Barata, produtor da peça, me convidando para interpretar Zezé Macedo. Não tive dúvida, aceitei de imediato, no primeiro minuto, o desafio. No telefonema, o Barata já foi me contando boa parte da interessantíssima biografia da Zezé. Coisas que ninguém sabe sobre a linda e muito comum vida dela. Assim que desliguei o telefone, me deu um friozinho na barriga”, revela Betty Gofman que tem em seu currículo o prêmio Shell de melhor atriz por sua atuação na comédia O Burguês Ridículo.

Beth Goffman vive Zezé Macedo em "A Vingança do Espelho"

Zezé nasceu em Silva Jardim, interior do Rio e perdeu os pais muito cedo. Casou e teve um filho. Perdeu o filho quando a criança tinha 1 ano de idade. O trauma foi tão grande que Zezé perdeu a voz e quando voltou, voltou do jeito que todo mundo conhece. Existem registros dizendo que a voz da Zezé, antes desta perda trágica era diferente da voz que se tornou conhecida nacionalmente.

De Silva Jardim foi para o Rio de Janeiro,onde teve inúmeros empregos até iniciar a carreira como atriz. Começou no rádio, no teatro e logo foi descoberta por Watson Macedo que a convidou para fazer sua primeira participação em cinema, O Petróleo é Nosso, em 1954, aos 38 anos de idade. Trabalhou muito na Atlântida, com Watson e Carlos Manga, os principais diretores das chanchadas. O grande parceiro de Zezé Macedo na cena cinematográfica foi Oscarito, que pedia aos produtores e diretores para que ela fosse sempre sua partner. Desses encontros, surgiram filmes memoráveis, como O Homem do Sputnik.

A atriz consolidou uma trajetória importante na TV, participando de vários humorísticos na Globo. Seu grande parceiro na emissora foi Chico Anísio. Ficou 11 anos no ar como a Dona Bela, na Escolinha do Professor Raimundo, com o inesquecível jargão: “SÓ PENSA NAQUILO”.

Zezé Macedo é uma personagem com várias faces. Muito reservada na vida pessoal, transmitia uma melancolia profunda e ao mesmo tempo, na vida profissional explodia despudoradamente. A atriz possui em seu currículo o feito de ter sido recordista em participações de filmes no Brasil: 108 longas.

A Vingança do Espelho, porque a Zezé Macedo foi uma atriz única, brincou muito com os conceitos da beleza e feiúra. Nunca o espelho teve tantas faces como no caso da Zezé Macedo”, diz Flávio.

O texto foge da biografia tradicional linear cronológica e narra a trajetória da primeira dama da chanchada: Zezé Macedo. Da sua aparência a seus amores, passando pelo sucesso no cinema e na TV, o espetáculo é desenvolvido utilizando a metalinguagem e tendo como cenário uma sala de ensaio.

“A montagem é a mais simples possível. A metalinguagem e uma companhia teatral no texto libertam a direção para encenar a construção de um espetáculo dentro de A Vingança do Espelho, conta Amir Haddad.

A VINGANÇA DO ESPELHO mostra uma companhia de teatro se preparando para encenar a vida de Zezé Macedo. O texto utiliza recursos de idas e vindas, buscando o passado em Silva Jardim, a adolescência, a perda do filho, além do auge da chanchada, a passagem pelo teatro de revista, os filmes, as relações de amor e amizade, a homenagem que ela recebeu de uma escola de samba, e até os bastidores da televisão.

“Zezé é uma atriz que conseguiu fazer algo em torno da caricatura, mas uma caricatura sem perder a ternura, com humanidade, com fragilidade. O espectador se importava com a Zezé, ao mesmo tempo em que ria dela”, finaliza o autor Flávio Marinho.

Ficha Técnica

Texto: Flávio Marinho

Direção: Amir Haddad

Elenco: Betty Gofman, Tadeu Mello, Mouhamed Harfouch, Marta Paret e Marcelo Várzea

Direção de Arte: Afonso Tostes

Iluminação: Paulo Denizot

Trilha Sonora: Alessandro Perssan

Idealização: Eduardo Barata

Produção: Barata Comunicação

Serviço

Local: Teatro Vivo

Capacidade: 290 lugares (268 numerados, 10 numerados obesos, 6 cadeirantes e 6 extras sem numeração)

End.: Avenida Doutor Chucri Zaidan, 860, Morumbi

Tel.: (11) 7420-1520

Dias: Estreia 08/03 para convidados, 09/03 para público. Até 29 de abril.

Horário: Sexta às 21:30, sábado às 21h e domingo às 19h.

Ingresso: Sexta R$ 40,00 (inteira) e 20,00 (meia); sábado e domingo R$ 50,00 (inteira) e 25,00 (meia).
Na primeira semana do espetáculo, preço único promocional R$ 10,00. Funcionamento da Bilheteria: 14h00 às 20h00 (terça a quinta); a partir das 14h00 (sexta a domingo)

Classificação: 12 anos

Duração: 110 minuto

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo