Publicidade

Publicidade
12/03/2012 - 19:21

Reynaldo Gianecchini volta em Cruel

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Reynaldo Gianecchini e Maria Manoella em "Cruel"

SÃO PAULO – Há pouco menos de um ano, o ator Reynaldo Gianecchini dividia a cena com a atriz Maria Manoella e o ator Erik Marmo na adaptação de Os Credores, de August Strindberg, que, sob direção e adaptação de Elias Andreato, inaugurou um horário alternativo no Teatro Faap com a peça rebatizada como Cruel. E nos bastidores de uma das sessões da peça que, sentindo fortes dores, Gianecchine procurou o médico e, após uma bateria de exames, recebeu o diagnóstico que o tirou do palco e das telas. Após cumprir a peregrinação do tratamento do linfoma, que acompanhamos pelo noticiário, ele volta de onde interrompeu sua trajetória artística: amanhã, 21h, re-inicia a temporada de Cruel.

Reynaldo Gianecchini. Maria Manoella e Erik Marmo em "Cruel"

Um triângulo nada convencional marca a trama da peça que traz os atores Erik Marmo como Adolfo, atual marido de Tekla, interpretada por Maria Manoella, os dois dividem a cena com Gianecchini, que dá vida à Gustavo, ex-marido de Tekla.

O dramaturgo sueco coloca em cena Tekla, uma escritora, casada com Adolfo, artista plástico, que decidem passar uma temporada numa ilha. Lá está Gustavo (Gianecchini), ex-marido de Tekla, que ocultando sua identidade para Adolfo, começa um jogo de crueldade para vingar-se destruindo o casal.

Para Gianecchini, sua busca como intérprete é o desafio. “Não sou acomodado, vivo em eterna busca, sempre quero dar um  novo passo”.

A história traz relações de amor e amizade, ódio e paixão, volúpia e desconfiança, entre outros sentimentos inerentes à natureza humana.

“Esses ingredientes compõem um duelo magnetizante em jogo cênico dinâmico e surpreendente”, segundo o diretor Elias Andreato, que também traduziu e adaptou o texto Creditors (Os Credores), de August Strindberg.

Para ele, o texto é absolutamente atual, além de conter narrativa extremamente instigante.

“Preferi Cruel ao título original, porque ele combina mais com a peça, com os personagens e com o autor, em relação à observação do cotidiano da alma humana”, explica Andreato.

“É teatro moderno. Strindberg foi o primeiro autor a fazer teatro em uma sala escura, onde o espectador só vai assistir; espiar sua própria vida pelo buraco da fechadura. E para isso precisamos ser naturais, convencê-lo de que isso é verdade”, diz ele. “Precisamos contar bem uma história, compor os personagens com todas as contradições, psicologismos, e emoções”, completa.

Maria Manoella concorda com ele. “Gosto de trabalhar com textos consagrados. Isso está cada vez mais raro. Acho uma grande oportunidade, um grande exercício. Essa peça é atual, moderna e quebra paradigmas. Aborda as relações humanas, de casal, envolvendo temas como lidar com separação, com o marido, o ex-marido, o ciúme… Enfim, assuntos do nosso dia a dia”.

Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo em "Cruel"

A energia dúbia de Adolfo é o que encantou Erik Marmo. “É muito interessante o paradoxo em que ele vive. É fraco e forte ao mesmo tempo. Loucamente apaixonado por sua esposa, é capaz de ir às últimas consequências”.

Ficha Técnica:

Cruel, de August Strindberg

Direção e Adaptação: ELIAS ANDREATO

Elenco: REYNALDO GIANECCHINI, MARIA MANOELLA e ERIK MARMO

Cenário e Figurino: FÁBIO NAMATAME

Iluminação: WAGNER FREIRE

Trilha Sonora Composta: DANIEL MAIA

Direção de Arte: LAURA ANDREATO

Assistente de direção: ALINE MEYER

Preparação Corporal: VIVIEN BUCKUP

Preparação Vocal: EDI MONTECCHI

Fotos: JOÃO CALDAS

Programação Visual: VICKA SUAREZ

Produção Executiva: MAGALI LOPES

Coordenação de Produção: EGBERTO SIMÕES

Produtoras: SELMA MORENTE e CÉLIA FORTE

CRUEL

Teatro FAAP (400 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Segundas e Terças, às 21h.

Ingressos: R$ 60

Duração: 70 minutos

Recomendação: 14 anos

De 13 de março a 15 de maio de 2012

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo