Publicidade

Publicidade
20/03/2012 - 12:58

Denise Weinberg faz mergulho na mente feminina

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Denise Weinberg protagoniza "Isso é o Que Ela Pensa"

Isso é o Que Ela Pensa, peça do britânico Alan Ayckbourn, dirigida por Alexandre Tenório traz Denise Weinberg na pele de Susan, uma mulher de meia-idade que após uma queda passa a viver entre a fantasia e a realidade

SÃO PAULO – Ao entrar no Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Sao Paulo, o público já é surpreendido: parte das pessoas é encaminhada para o palco e o restante é conduzido ao balcão superior. Tive o prazer de sentar-me na pequena arquibancada montada no palco, como se fizesse parte do cenário do espetáculo. Tudo isto tem uma razão de ser: o público por quase dividir a cena com os atores, torna-se cúmplice do drama vivido por Susan, a personagem central de Isso É o que Ela Pensa, peça escrita em 1985 pelo dramaturgo britântico Alan Ayckbourn e pela primeira vez montada no país.

Após uma pequena queda no jardim de sua casa, Susan — brilhantemente interpretada por Denise Weinberg — começa a conviver entre a fantasia, em que ela cria uma família ideal e harmoniosa, e a realidade, em que os familiares são distantes, frios e egoístas.

"Isso é o Que Ela Pensa"

Num primeiro momento, após os primeiros socorros, Susan domina a situação e sabe muito bem se conduzir entre a família de seus sonhos (todos com figurino branco) e a real, formada pelo marido Gerald (Mário César Camargo), um pastor nada sensual que se preocupa unicamente com a redação de seu livro sobre a história da paróquia, a cunhada Muriel (Clara Carvalho), que só pensa em manter contato com o marido falecido e o filho Rick (Eduardo Muniz), que entrou para uma seita e se nega a falar com os pais, além do médico trapalhão Bill (Mário Borges), único com quem Susan confessa ter alucinações. Mas com o passar do tempo, a mãe de meia-idade daquela família de classe média perde o controle e os familiares da sua imaginação começam a ter vida própria. Tanto a filha Lucy (Clarissa Rockenbach), como o marido Andy (Francisco Brêtas) e o irmão Tony (José Roberto Jardim) interferem na vida de Susan e ela entra em colapso.

Mais do que sequela pela queda, Susan vive uma grande revolução interior, tendo de rever seus princípios de vida. Para Denise Weinberg, a peça incita a um questionamento sobre a existência humana:

“A religiosidade hipócrita, a falta de afeto e de amor são capazes de provocar graves transtornos psíquicos, paralisando o indivíduo, que é obrigado a se retirar do palco dessa vida supostamente real. E eu me pergunto: o que é real? O que é loucura? O que vemos é realmente o que vemos? Perguntas que me atormentaram e me atormentam desde sempre”, diz a atriz.

Por ter assistido a peça do palco, fiquei impressionado com a atuação e entrega de Denise ao drama da personagem; o público (quase no corpo a corpo com a atriz) tem a chance de constatar a transformação física e psíquica por que Susan é obrigada a passar. Mais um momento ímpar na carreira desta atriz premiadíssima.

Outro destaque de Isso É o que Ela Pensa é para a direção e concepção cência de Alexandre Tenório, que dirigiu recentemente A Serpente no Jardim, também de Alan Ayckbourn.

Roteiro:
Isso É o que Ela Pensa (Woman in Mind)
.Texto: de Alan Ayckbourn. Direção: Alexandre Tenório. Elenco: Denise Weinberg, Clara Carvalho, Clarissa Rockenbach, Eduardo Muniz, Francisco Bretas, José Roberto Jardim, Mário Borges e Mário César Camargo. Iluminação: Domingos Quintiliano. Figurinos: Cássio Brasil. Direção musical: Miguel Briamonte. Programação visual: Paulo Falzoni. Fotos: Ligia Jardim. Coordenação de produção: Eduardo Muniz

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil/SP (125 lugares), Rua Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651/3652. Sextas e sábados, às 20h e domingos, às 19h. Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e 3,00 (meia-entrada). Compra antecipada de ingressos – www.ingressorapido.com.br. Bilheteria: de terça a domingo, das 9h às 21h. Acesso para portadores de deficiência. Classificação: 14 anos. Duração: 90 minutos. Sistema de ar condicionado. Temporada: até 06 de maio de 2012

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo