Publicidade

Publicidade
28/03/2012 - 23:52

Os Monólogos da Vagina estreia no Teatro Brigadeiro com novo elenco

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Imara Reis dirige nova montagem da peça de Eve Ensler

SÃO PAULO – Para comemorar o sucesso da comédia Os Monólogos da Vagina, a capital paulista sedia a estreia de mais uma temporada do espetáculo, que entra em cartaz no Teatro Brigadeiro, em São Paulo, a partir desta sexta-feira (30). A ocasião também marca o lançamento no Brasil do movimento feminista V-DAY.

Integram o elenco dessa nova temporada as atrizes Fafy Siqueira, Chris Couto e Adriana Lessa, sob direção de Imara Reis. Das três, apenas Fafy já fez parte do elenco anterior, que já contou com nomes como Zezé Polessa, Tânia Alves, Cláudia Rodrigues, Cissa Guimarães, Lucia Veríssimo, Elizângela e Maximiliana Reis.

Os Monólogos da Vagina, de autoria da escritora e ativista americana Eve Ensler, já foi encenado em mais de 150 países e em mais de 50 idiomas diferentes.

A autora coletou depoimentos verídicos tentando entender o porquê de ser tão problemático falar sobre vagina. Seu objetivo era celebrar esse órgão feminino que está diretamente relacionado à sexualidade da mulher. O texto se desdobrou em diversas problemáticas como a violência contra a mulher. A mídia começou a prestar atenção e a peça se transformou num grande sucesso mundial.

Cássio Reis, produtor responsável pela montagem de Os Monólogos da Vagina no Brasil, assistiu ao espetáculo nos Estados Unidos e o que mais lhe chamou atenção é o cunho social da obra, na medida em que alerta a sociedade para a necessidade de se combater o preconceito e atos que colocam a integridade das mulheres em risco.

Fafy Siqueira, Chris Couto e Adriana Lessa formam novo elenco de "Os Monólogos da Vagina"

A primeira temporada aconteceu em 2000, no Teatro Clara Nunes, no Rio de Janeiro, e aqui, como no mundo todo, a peça se transformou num fenômeno teatral. Viajou por diversas cidades brasileiras, sendo vista por mais de dois milhões de espectadores.

Mantendo a concepção original da montagem assinada por Miguel Falabella, Os Monólogos da Vagina segue à risca o texto original, mas pretende ganhar mais modernidade nos cenários e figurinos, além de utilizar projeções.

A diretora Imara Reis foi convidada pelo produtor Cássio para dirigir as atrizes. Para a diretora, o maior trunfo desse trabalho é poder dar visibilidade ao órgão feminino e começar a mostrar a luta das mulheres pelo direito ao prazer e à valorização do seu próprio corpo.

“A autora Yvy representa toda uma geração do final dos anos 1960”, diz diretora. ”Vagina é a origem de todos nós e falar sobre ela é dar visibilidade a algo que as pessoas ainda têm vergonha em pronunciar o nome”, completa.

Imara também fez questão de salientar que o Parlamento europeu acabou de sediar uma apresentação de Os Monólogos da Vagina que contou com a presença da autora, fato que evidencia a importância da peça no mundo.

A única das três atrizes que já representou a peça em temporadas anteriores é Fafy Siqueira (2008) e, segundo a atriz, apesar de não ter havido mudanças no texto e a diretora manter a concepção original, o ritmo das cenas mudou.

“Elas (Chris Couto e Adriana Lessa) trouxeram um novo frescor à montagem . São atrizes muito diferentes de mim e me proporcionaram uma nova maneira de entender a peça e de interpretar”, conta. ¨

Fafy Siqueira, que acaba de participar da minissérie Dercy de Verdade, declarou que o que mais lhe encanta nesse trabalho é a possibilidade de encenar um texto que ensina sem ser didático.

“O preconceito continua, mas é importante a abertura de espaços para reflexões no teatro”, opina a atriz.

Conta que após as apresentações da peça, muitas pessoas a procuravam no camarim e relatavam que pela primeira vez pensaram abertamente sobre a sexualidade feminina. Houve relatos, inclusive, de mães e filhas que começaram a dialogar sobre o assunto após assistirem ao espetáculo.

"Os Monólogos da Vagina"

Segundo Fafy, as cenas que lhe dão maior satisfação são as mais sérias, pois fogem dos seus papéis no teatro, que são prioritariamente de humor.

“Falamos coisas que não são faladas abertamente no dia-a-dia e devido a isso eu fiquei mais corajosa, o que me ajudou inclusive a fazer a Dercy na TV”, finaliza.

Adriana Lessa, por sua vez, declara que está super empolgada com a peça e ressalta a sua importância como multiplicadora de reflexões sobre o combate à violência contra a mulher.

“Cada momento da peça percebemos que não estamos só. Sempre há alguém na plateia que se identifica com o que estamos dizendo no palco”, diz a atriz.

Chris Couto complementa, afirmando que o espetáculo proporciona que as atrizes exercitem a criação de vários personagens e tem o mérito de tratar de um assunto que ainda é tabu nos dias de hoje uma maneira divertida, descontraída e educativa.

Em cena, as atrizes vivem inúmeras mulheres que narram à plateia as suas histórias de vida, através de depoimentos bem humorados e outros em que o drama impera. Tudo o que é contado é baseado nas entrevistas originais colhidas pela autora. Uma diversidade de personagens, que para as atrizes é visto de modo positivo, pois contribui para o aprimoramento profissional.

A equipe acredita que o sucesso dos anos anteriores será repetido nesta nova temporada que vai até o dia 1 de julho.

O projeto V-DAY será implantado no Brasil a partir de 2013

Eve Ensler criou o V-DAY  animada com a boa recepção que OS MONÓLOGOS DA VAGINA teve em todas as localidades, inclusive em países islâmicos.

V-DAY é um movimento global criado para acabar com a violência contra as mulheres, incluindo estupro, agressão física, incesto, mutilação genital feminina, exploração sexual, etc. Em 2010, foi reconhecido como uma das mais respeitadas Organizações Sem Fins Lucrativos do mundo.

Ficha ténica:

Texto: EVE ENSLER

Concepção Original e Adaptação: MIGUEL FALABELLA

Direção de elenco: IMARA REIS

Elenco: FAFY SIQUEIRA, ADRIANA LESSA e CHRIS COUTO

Visagismo: ANDERSON BUENO

Figurinos: LÉO DINIZ

Uma produção de CÁSSIO REIS

Realização: PHOENIX PRODUÇÕES ARTÍSTICAS E ENTRETENIMENTO

OS MONÓLOGOS DA VAGINA:

Teatro Brigadeiro (700 lugares)

Av. Brigadeiro Luis Antonio, 884

Informações: 3107.5774

Vendas: www.ingresso.com e 4003.2330

Bilheteria: a partir de terça, às 14h. Aceita cartões de débito e dinheiro. Estacionamento conveniado Gigante, nº 759 – R$ 10

Sexta e Sábado às 21h. Domingo às 19h.

Ingressos: Sexta e Domingo R$ 50. Sábado R$ 60.

Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreia dia 30 de março

Temporada: até 1º de julho

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo