Publicidade

Publicidade
06/04/2012 - 12:26

O Tchekhov filosófico do Grupo Galpão

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Grupo Galpão estreia "Eclipse"

CURITIBA – Ano passado, o Grupo Galpão apresentou a estreia nacional de Tio Vânia, de Tchekhov, em montagem delicada e concisa sob direção de Yara de Novaes, e durante a coletiva de imprensa realizada no Festival de Curitiba, um dos atores da trupe mineira, Eduardo Moreira, informou que outro núcleo do Grupo imergia em pesquisas sobre contos do autor russo. Esse estudo, coordenado pelo russo Jurij Alschitz, estreia hoje Eclipse no Festival, que completa o projeto Viagem a Tchekhov, lançado ano passado pelo Galpão.

O núcleo de atores de Eclipse passou por um processo de criação bastante inusitado em que o uso de tecnologias como teleconferências via Skype, protagonizaram a cena com o envio de cartas a Jurij nas quais explanavam os temas que gostariam de abordar no universo tchekhoviano. Inês Peixoto, uma das atrizes desse núcleo, escolheu abordar a infância presente em Tchekhov.

“Embora as peças de Tchekhov não abordem diretamente a infância, mesmo que se saiba que este período para o autor tenha sido de muito sofrimento e pobreza, os contos trazem esse tema, e, mesmo que a predominância final do tema que abordo seja o caos, em alguns trechos e frases do conto que trabalhei com a infância, estão dispostos no meu texto final.”, afirma Inês Peixoto.

Eclipse é uma conjunção  de cinco monólogos baseados em contos tchekhovianos, com dramaturgia e direção de Jurij Alschitz, em que cinco personagens discutem questões filosóficas presentes na obra de Tchekhov, enquanto esperam o final de um eclipse solar.

Outra curiosidade do processo se deu com a atriz Lydia Del Picchia que afirmou que enviou em sua carta a Jurij  a pergunta: “Tchekhov pode ser dançado?”, e o diretor enviou como resposta um simples não. Mas “quando percebi, estava em cena de sapatilhas de ponta. Verifiquei a carta que enviei a Jurij e pensei: esse diretor é bem danado.”.

“Em nosso primeiro contato com Jurij, ele disse desejar participar de um processo, não apenas de uma montagem. Ele deseja juntar sua realidade com a realidade do Galpão para a realização de um espetáculo que contivesse essas duas facetas.”, competou Lydia Del Picchia.

Segundo o ator Chico Pelúcio, a intenção do diretor foi a de “oferecer ao ator um momento de trabalho solitário.” O diretor percebe a força coletiva do Galpão e faz a inteferência individual. Assim como Tchekhov, Jurij é o rei do paradoxo, e Eclipse nasce do embate entre diretor e atores.

Grupo Galpão estreia "Eclipse"

A versatilidade do Grupo Galpão

À beira de completar três décadas de existência, o mineiro Grupo Galpão é exemplo de trabalho coletivo inquieto e de alta qualidade. Sem rede de proteção, joga-se a desafios, experimentando linguagens que vão do teatro popular de rua aos exercícios naturalistas mais tradicionais, mesmo sem perder a identidade de trupe multidisciplinar.

Desde 2009, quando participou do filme Moscou, de Eduardo Coutinho, o Grupo Galpão iniciou o seu flerte com o autor russo e, no ano passado, lançou o projeto Viagem a Tchekhov, uma imersão ao universo tchekhoviano.

“Para nosso espanto, Jurij disse que Tchekhov é ‘solar’, e não pessimista como circula a visão sobre a obra do autor.” – afirma Simone Ordones.

Para Inês Peixoto  “a versatilidade do Grupo se mostra nessa conexão entre trabalhos que exigem preparo interior e aqueles mais externos em que predominam a máscara, personagens tipificados, a utilização de virtuosismos corporais, musicais, etc.”

Viagem a Tchekhov ganha o Brasil após Festival de Curitiba

O próximo passo do Grupo Galpão, após as apresentações no 21º Festival de Curitiba, é levar o projeto Viagem a Tchekhov – os espetáculos Eclipse e Tio Vania – ao Rio de Janeiro e São Paulo para celebrar 30 anos do Grupo Galpão.

CLIQUE AQUI para saber mais sobre o Festival de Curitiba

*Michel Fernandes viajou a convite do Festival de Curitiba

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo