Publicidade

Publicidade
11/04/2012 - 18:21

O Grupo Galpão é ensemble sem medo de ousar

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

Grupo Galpão apresentou "Eclipse" no Festival de Curitiba

CURITIBA – Que o Grupo Galpão, sediado na capital mineira, é dos coletivos teatrais de maior inquietude e seriedade, não há o que objetar. Mesmo ao chegar a seu 30º aniversário, a coragem da trupe continua sua característica principal e, em Eclipse, que estreou no 21º Festival de Curitiba, eles se atiraram vendados e sem medo num terreno que não lhes é habitual, o intimismo filosófico, para trazer à cena discussões  presentes em contos de Checkov, sob direção do russo Juirij Alschitz, quem também assina o roteiro do espetáculo.

Cinco dos atores que compõem o ensemble Galpão – a palavra ensemble, segundo a concepção de Jurij trata-se de um coletivo de atores reunidos e dispostos a pesquisar a arte de interpretar, definição que cai feito luva na mão dos artesãos dessa trupe –, Chico Pelúcio, Inês Peixoto, Júlio Maciel, Lídya Del Picchia e Simone Ordones estão em cena para apreciar um eclipse solar quando, como por magia, a porta do espaço em que estão confinados se tranca e eles ficam presos por lá. E nesse ínterim, divagam em temas como fé, pecado , caos, talento etc.

Grupo Galpão estreia "Eclipse"

O “aqui agora” dialógico dos atores-personagens é quebrado pela narrativa épica emoldurada pela beleza e força filosófica de um Checkov distinto de seus textos dramáticos. Há, ainda, espaço para a metalinguagem tão presente nos trabalhos dessa trupe de saltimbancos que é o Grupo Galpão.

O diálogo intertextual com A Gaivota , peça escrita por Chekov, é evidente desde o princípio com o som de gaivotas sobrevoando o espaço; quando Lydia Del Picchia discorre sobre Talento, sobre sua necessidade em viver para a arte, recordamos do belíssimo e apaixonado discurso de Nina na peça citada acima; além, é claro, da morte da gaivota.

Realização: Grupo Galpão | Direção, Dramaturgia, Cenografia, Figurino e Treinamento: Jurij Alschitz | Elenco: Chico Pelúcio, Inês Peixoto, Julio Maciel, Lydia Del Picchia e Simone Ordones | Assistência de Direção e Preparação Vocal: Olga Lapina | Assistência de Direção e Pesquisa de Figurino: Diego Bagagal | Direção Musical e Arranjos: Ernani Maletta | Iluminação: Chico Pelúcio e Bruno Cerezoli | Vídeo Projeção: André Amparo, Chico de Paula e Bruno Cardieri | Sonoplastia: Ricardo Garcia | Caracterização: Mona Magalhães | Voz em Off: Barbara da Luz, Helena Del Picchia Pelúcio | Tradução: Eloquent Words | Revisão de textos: Eduardo Moreira e Arildo de Barros | Assistência de Cenografia: Amanda Gomes | Cenotécnica: Helvécio Izabel | Construção de Adereços: Raimundo Bento, Glauber Apicela e Tião Vieira | Fotos: Guto Muniz, Miguel Aun e Bianca Aun | Projeto Gráfico: Laura Bastos | Assessora de Comunicação: Beatriz França | Assistente de Comunicação: João Santos | Estagiária de Comunicação: Jussara Vieira | Assistência de Produção: Evandro Villela | Produção Executiva: Anna Paula Paiva e Beatriz Radicchi | Assessoria de Planejamento: Ana Amélia Arantes | Coordenação de Produção: Gilma Oliveira | Patrocínio: Petrobras | Classificação: 12 anos | Duração: 100 minutos.

*Michel Fernandes viajou a convite do Festival de Curitiba

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo