Publicidade

Publicidade
12/04/2012 - 23:12

A plateia bate palma e pede bis

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Sylvia Bandeira vive Marlene Dietrich

SÃO PAULO – E não é para menos. Parece que a gente está participando de um show maravilhoso e íntimo que nos apresenta pessoalmente ninguém menos do que Marlene Dietrich em Marlene Dietrich – As Pernas do Século, de Aimar Labaki, em cartaz no Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca). Tudo bem simples, sem os exageros da Broadway. Mas em compensação Sylvia Bandeira nos leva para passear na Alemanha, na França e até no Brasil, cantando as músicas da época tão bem que não dá pra saber se quem canta melhor Non, Je Ne Regrette Rien é ela ou a Edith Piaf.

É simplesmente fantástico, ainda mais que contracenam com ela José Mauro Brant, Márcia Luna Cabral e Silvio Ferrari – os três com larga experiência em musicais – fazendo papeis variados neste musical, surpreendendo  o tempo todo pela qualidade do trabalho seja como atores seja como cantores.

Com enorme eficiência também se apresenta o trio musical que inclui piano (Roberto Bahal), violoncelo (Jefferson Martins) e clarinete (Fernando Oliveira) que num teatro íntimo, como o Nair Bello, tem o mesmo efeito de uma grande orquestra e a vantagem de criar no público a ilusão de uma participação muito maior no espetáculo.

"Marlene Dietrich - As Pernas do Século"

O ótimo texto foi escrito por Aimar Labaki  (autor de teatro e principalmente de novelas, jornalista e ex-crítico teatral) a direção surpreendente leva a assinatura de William Pereira que durante os últimos quatro anos só tem dirigido óperas. William se encarrega também dos cenários adequados que incluem algumas projeções de vídeo (ópera prima produções), quem se encarrega da iluminação é o fantástico Paulo Cesar Medeiros (que no caso cumpre seu papel sem que seu trabalho chame muita atenção, pois é tudo concebido para ser singelo) e os figurinos são de muito bom gosto de adequação, são de Marcelo Marques.

Há momentos em que se tem a sensação de estar assistindo uma filmagem internacional executada na época da protagonista. Maravilhoso! Ninguém deve perder.

Roteiro:
Marlene Dietrich – As Pernas do Século
. Texto: Aimar Labaki. Direção e cenografia: William Pereira. Elenco: Sylvia Bandeira, Marciah Luna Cabral, José Mauro Brant e Silvio Ferrari. Músicos: Roberto Bahal (piano), Vinícius Carvalho (clarinete), Luciano Correa (violoncelo). Direção musical e arranjos: Roberto Bahal. Figurino: Marcelo Marques. Visagismo: Beto Carramanhos. Iluminação: Paulo Cesar Medeiros. Preparação vocal: Marciah Luna Cabral. Preparação corporal: Marcia Rubin. Coreografia do tango: Paulo Masoni. Direção de produção: Lúdico Produções Artísticas

Serviço: Teatro Nair Bello (200 lugares), Shopping Frei Caneca, Rua Frei Caneca, 569 – 3° andar. telefone: 3472-2414. Sexta, às 21h30. Sábado, às 21h. Domingo, às 18h. Ingressos: R$ 60. Bilheteria: de terça a quinta, das 13h30 às 19h30; sexta e sábado a partir das 15h; domingo a partir das 14h. Aceita todos os cartões de débito e crédito. Não aceita cheque. Estacionamento R$ 6 até duas horas. Vendas: www.ingresso.com e tel.: 4003-2330. Classificação etária: 14 anos. Duração: 90 minutos. Temporada: até 27 de maio

*Doutora em Teatro pela USP, Livre Docente pela Unicamp.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo