Publicidade

Publicidade
12/04/2012 - 18:25

Eriberto Leão é destaque em A Mecânica das Borboletas

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"A Mecânica das Borboletas" - foto de Guga Melgar

SÃO PAULO – Depois de temporada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro, A Mecânica das Borboletas faz temporada na capital paulista. A estreia será amanhã no Teatro Anchieta (SESC Consolação). No elenco, Ana Kutner, Eriberto Leão, Otto Jr e Suzana Faíni. A direção é de Paulo Moraes, da Cia Armazém de Teatro.

A Mecânica das Borboletas é um texto inédito do dramaturgo Walter Daguerre e faz uma reflexão sobre a vida contemporânea ao abordar as escolhas da vida e as consequências que elas ocasionam.

O espetáculo faz referência à história de duas figuras mitológicas, relacionadas à  fundação de Roma: os  irmãos gêmeos Rômulo e Remo.

Rômulo (Eriberto Leão) sai de casa em busca de aventuras. Vinte anos depois, já um escritor conhecido, volta a sua terra natal para reencontrar a sua família e rever as suas origens. Descobre que seu pai, mecânico, morreu e que a família manteve a oficina, que funciona na própria residência e é administrada por Remo (Otto Júnior).

Para a família, que vive das lembranças do pai e nunca abandonou a vida no interior, as cobranças são inevitáveis e, para complicar o relacionamento conturbado devido à ausência de Rômulo por tanto tempo, Lisa (Ana Kutner), que namorou Rômulo na adolescência,  casou com o irmão.

Rômulo, apesar de não ter abandonado a convivência familiar, também possui um sonho: construir uma Harley Davidson. Um sonho que não se realiza porque uma peça desta moto, a borboleta do carburador, nunca chega.

O autor Walter Daguerre teve a ideia de contar esta história após uma viagem a Lavras do Sul, interior do Rio Grande do Sul.  Segundo o autor, ao observar os hábitos das pessoas do local, surgiram indagações sobre os que saem de suas cidades e os que resolvem ficar.

“Sentimentos de perdas prevalecem em quem busca o sonho de desbravar o mundo e em quem escolhe ficar no mesmo lugar, na mesma cidade. O primeiro, acha que perde a participação no crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da família. O outro tem a sensação de perda por não aproveitar novas oportunidades e experiências que conhecer o mundo pode proporcionar”, analisa Walter.

A história se passa na cozinha, na oficina e no jardim. A borboleta simboliza a mesmice, o apego às tradições, mas também é a ânsia pela liberdade, a vontade de que os sonhos se realizem e a vida se torne mais interessante.

Entre os destaques do cenário, idealizado por Carla Berri e Paulo de Moraes,  estão a carcaça cinza-chumbo e o motor de um Passat dos anos 1970, e uma moto Honda CD400, transformada numa Harley Davidson.

No elenco, destaque para a presença do ator Eriberto Leão. Conhecido por trabalhos na TV, Eriberto começou a sua carreira artística em São Paulo e participou de espetáculos como Alma de Todos os Tempos, direção de Gabriel Villela; Ventania, também dirigido por Villela; O Evangelho Segundo Jesus Cristo, com direção de José Possi Neto e Fala Baixo Senão eu Grito, 2007, montagem carioca que teve direção de Paulo de Moraes e foi a sua última temporada teatral em São Paulo.
Ficha Técnica:

Texto: Walter Daguerre

Direção: Paulo de Moraes

Cenário: Carla Berri e Paulo de Moraes

Iluminação: Maneco Quinderê

Figurinos: Rita Murtinho

Trilha Sonora Original: Ricco Viana

Elenco:

Ana Kutner (Liza)

Eriberto Leão (Rômulo)

Otto Jr (Remo)

Suzana Faíni (Rosália)

Produção Executiva: Gabriel Bortolini

Produção: Bianca de Felippes

Produtoras Associadas: Gávea Filmes e Akutner

Serviço

A MECÂNICA DAS BORBOLETAS

Teatro Anchieta – SESC Consolação (320 lugares)

Rua Dr. Vila Nova, 245. – Tel. 3234.3000

Informações da bilheteria: ingressoSESC. Você pode comprar os ingressos para os eventos do SESC/SP em qualquer unidade da Capital, do interior e do litoral do Estado. Consulte a lista de pontos de venda e escolha a que estiver mais perto de você: www.sescsp.org.br

Formas de pagamento: Dinheiro e cheque (à vista); cartões: Visa, Visa Electron, Mastercard, Mastercard Electronic, Maestro, Redeshop e Diners Club International (crédito e débito).

Sexta e Sábado às 21h; Domingo às 18h.

Ingressos: R$ 32

R$ 16 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 8 (trabalhador no comércio e serviço matriculado no SESC e dependentes).

Duração: 80 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreia dia 13 de abril

Temporada: até 27 de maio

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo