Publicidade

Publicidade
30/04/2012 - 19:52

Rilke é protagonista de solo

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Ivo Müller vive Rainer Maria Rilke

Na pele do poeta, Ivo Müller novamente encena Cartas a um Jovem Poeta, que reúne cartas, poemas e trechos da obra do autor, considerado o maior poeta da língua alemã do século 20

Cartas a um jovem poeta

O senhor está olhando para fora, e é justamente o que menos deveria fazer neste momento. Ninguém o pode aconselhar ou ajudar, — ninguém. Não há senão um caminho. Procure entrar em si mesmo. Investigue o motivo que o manda escrever; examine se estende suas raízes pelos recantos mais profundos de sua alma; confesse a si mesmo: morreria, se lhe fosse vedado escrever?

(tradução de Paulo Rónai)

SÃO PAULO – Num cenário que reproduz o quarto em que Rainer Maria Rilke escrevia (apenas uma escrivaninha, cadeira, um mancebo, outra cadeira de balanço e alguns bonecos), o ator Ivo Müller, responsável também pela adaptação e direção do espetáculo, encarna o poeta no solo Cartas a um Jovem Poeta, que está de volta em nova temporada, agora no Viga Espaço Cênico até o final de maio.

Além da correspondência que Rilke manteve com o jovem indeciso entre a carreira literária e a militar — Franz Kappus representado no palco por um boneco que permanece de costas para a plateia—, a peça reúne também cartas que ele enviou à escritora russa Lou Salomé, além de poemas e trechos de outros livros do escritor.

O Poeta

Sem paz, sem amor, sem teto,
caminho pela vida afora.
Tudo aquilo em que ponho afeto
fica mais rico e me devora.

(do livro ‘Novos Poemas”, tradução de
Augusto de Campos)

"Cartas a um Jovem Poeta"

Como o jovem poeta pede conselhos a Rilke, o tom do espetáculo em muitos momentos é o professoral, com indicações de como se portar no mundo das palavras e na vida de uma maneira geral.

No entanto, o que me chamou a atenção foi justamente a vulnerabilidade daquele que profere as recomendações: os conselhos eram muito mais para o próprio Rilke ouvir do que para o jovem poeta e, no caso, os espectadores da peça.

Pelo olhar de Rilke, o espetáculo trata de temas como a formação humana, a criação artística, a relação do homem com o divino e a solidão, que ele diz ser propulsora da criação.

O Solitário

ainda um rosto de pedra, que só sente
a gravidade interna, de tão denso:
as distâncias que o extinguem lentamente
tornam seu júbilo ainda mais intenso.

(Tradução: Augusto de Campos)

Dos destaques de Cartas a um Jovem Poeta, ressalto a iluminação, assinada por Davi de Brito e Vânia Jaconis, que contribui para a introspecção e o tom intimista do espetáculo. A trilha sonora, com canções de Gustav Mahler, também merece atenção:

“Procurei um conterrâneo do Rilke, ambos nasceram na Boêmia (atual República Tcheca) e suas melodias funcionam como um contraponto perfeito à proposta da montagem”, explica Ivo Müller.

Os bonecos também ajudam neste contraponto: além daquele que representa o jovem poeta, há ainda o casal simbolizando os pais do escritor e a boneca representando a amante de Rilke, com que o ator em alguns momentos contracena.

O mundo estava no rosto da amada

O mundo estava no rosto da amada –
e logo converteu-se em nada, em
mundo fora do alcance, mundo-além.

Por que não o bebi quando o encontrei
no rosto amado, um mundo à mão, ali,
aroma em minha boca, eu só seu rei?

Ah, eu bebi. Com que sede eu bebi.
Mas eu também estava pleno de
mundo e, bebendo, eu mesmo transbordei.

(Tradução: Augusto de Campos)

Ivo Müller, além de interpretar o poeta Rilke em Cartas a um Jovem Poeta, continua em cartaz com a peça 12 Homens e Uma Sentença.

Roteiro:
Catas a um Jovem Poeta
. Texto: Rainer Maria Rilke. Direção, adaptação e interpretação: Ivo Müller. Codireção: Claudio Cabral. Supervisão: Arieta Corrêa. Iluminação: Davi de Brito e Vânia Jaconis. Figurino: Domingas Person. Trilha musical: músicas de Gustav Mahler. Contrarregragem, edição e operação de som: Daniel Becker. Fotos: Betina Humeres.

Serviço:
Viga Espaço Cênico (74 lugares), Rua Capote Valente, 1.323 (Próximo ao metrô Sumaré), tel: 3801-1843.  Horários: terças e quartas às 21h. Ingressos: R$ 30 e R$ 15. R$ 10 (Promoção e Grupos). Classificação: 12 anos. Duração: 60 minutos. Temporada: até 30 de maio.

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo