Publicidade

Publicidade
15/05/2012 - 20:40

Grupo Dragão 7 representa o Brasil em Festival angolano

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Grupo Dragão 7 leva "O Auto da Barca do Inferno" à Luanda

LUANDA – Depois de turnê por diversas cidades brasileiras e apresentações na Europa e África, o espetáculo Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, fará apresentações no Festival de Teatro e Artes, em Angola. O festival, que acontecerá entre quinta-feira (17) e 31 de Maio em Luanda, é organizado pelo Elinga Teatro, em parceria com o Ministério da Cultura de Angola e o Governo Provincial de Luanda.

Os artistas do Grupo Dragão 7, que tem a direção de Creusa Borges, terão a oportunidade de estabelecer intercâmbio com países lusófonos. Grupos de Angola, Cabo Verde, Moçambique e Portugal estarão presentes nesta segunda edição do evento.

Em Auto da Barca do Inferno, escrita em 1517, personagens estão num lugar imaginário e ao morrerem procuram pela barca que julgam merecer por direito: A do Céu ou do Inferno.

O Grupo Dragão 7 tem como alvo o público estudantil, produzindo montagens baseadas nas obras de autores importantes da Dramaturgia e Literatura Brasileira e Portuguesa, como Martins Pena, Machado de Assis, Gil Vicente, Castro Alves e Carlos Alberto Soffredini.

Grupo Dragão 7 leva "O Auto da Barca do Inferno" à Luanda

O ator Pascoal da Conceição foi um dos fundadores do grupo, que está em atividade desde 1988 e apresenta Auto da Barca do Inferno há 17 anos, ininterruptamente.

CIRCUITO  DE TEATRO PORTUGUES

Todos os anos, com o objetivo de a integração entre artistas e cias de países de língua portuguesa, o Dragão 7 promove no Brasil  o Circuito de Teatro Português.  .

Neste ano, a sétima edição do evento acontecerá de 01 a 16 de Setembro em São Paulo, no ABC, no interior Paulista e Bahia (Salvador e Camaçari) com produções teatrais, palestras e workshops gratuitos.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo