Publicidade

Publicidade
23/05/2012 - 00:53

Conto de Guimarães Rosa ganha adaptação para o teatro

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Peça é baseada em "Esses Lopes", do escritor mineiro

SÃO PAULO – O conto de Guimarães Rosa, publicado no livro Tutaméia, ganha no teatro o nome de Maria Miss. A estreia é dia 29 de maio, terça, às 21 horas, no Teatro Eva Hertz, mas hoje haverá estreia para convidados. A Adaptação é de Evill Rebouças e a direção de Yara de Novaes. No elenco estão Tania Casttello, como Maria Miss, Daniel Alvin e Cacá Amaral.  Cenários e figurinos de Márcio Medina, luz de Wagner Freire e produção da Mesa 2 Produções.

A estreia marca o 45º aniversário de morte de João Guimarães Rosa e celebra os 45 anos do lançamento do livro Tutaméia, obra na qual pela primeira vez o escritor dá voz às mulheres.

Esses Lopes foi uma das últimas obras publicadas de Guimarães Rosa e reúne 40 histórias curtas. Como todas as suas criações literárias, a obra fala do sertão mineiro, mas transcende o espaço geográfico por retratar um universo em que questões sociais, políticas, metafísicas e psicológicas se misturam. O neologismo, isto é, a criação ou recriação de palavras, também está presente.

A história se passa no sertão mineiro, nos anos 1960. Flausina é uma mulher subjugada, que desejava se chamar Maria Miss, e narra, por meio de lembranças, sua trajetória ao lado dos quatro irmãos Lopes, interpretados por Cacá Amaral e Daniel Alvin.

Maria Miss quando criança foi vendida para os irmãos Lopes, foi estuprada e teve três filhos. Apesar de ser tratada com desrespeito e ter sido colocada para tomar conta da casa, consegue se instruir ao aprender ler e escrever às escondidas. Impulsionada por desejo de liberdade, e sem piedade, assassina os irmãos e se afasta dos filhos. No final, encontra o amor, mas não consegue esquecer os momentos de sofrimento, nem se desligar das atrocidades que cometeu em nome da liberdade e da justiça.

Tania Casttello, idealizadora do projeto, ressalta que “o conto fala de uma mulher que transformou seu destino, como tantas brasileiras. E isso me encanta. Guimarães Rosa é um gênio da palavra, ainda muito pouco conhecido pelo povo”.

Tania Castello dá vida à Maria Miss

Uma personagem que tem a vida traçada pela violência física e moral, mas que é retratada com poesia por Guimarâes Rosa: A narrativa do autor possibilita, segundo Evill Rebouças, que assina a adaptação dramaturgica, infinitas leituras poéticas.

“O belo no conto de Guimarães Rosa é o modo como ele mostra o silêncio de uma mulher subjugada. Maria Miss sofre as piores atrocidades físicas e morais, mas no seu silêncio ela traça a liberdade”, comenta.

Para a diretora Yara de Novaes, o maior desafio foi transpor para o palco a trajetória da protagonista.

“A peça tem as características de um conto curto, mas precisamos mudar um pouco a linguagem porque o espetáculo começa muito pesado. A partir do momento em que a personagem começa a virar o jogo, vai adquirindo humor, alegria e um certo deboche até alcançarmos uma linguagem mais popular, mais leve”, explica.

O cenário de Marcio Medina foi inspirado na geografia mineira. Uma lona no chão remete o espectador a Minas Gerais, com chão batido de terra que lembra o tom avermelhado do sertão mineiro. Além disso, um sol construído de papel tyvek delimita a passagem de tempo. O figurino, por sua vez, foi criado a partir de fotos que retratam as vestimentas dos vaqueiros e jagunços.

Equipe:

Direção: Yara de Novaes.

Conto: Guimarães Rosa.

Adaptação:Evill Rebouças.

Elenco: Tania Casttello, Daniel Alvin e Cacá Amaral.

Cenografia e Figurinos: Márcio Medina.

Direção Musical: Rodrigo Mercadante.

Iluminação: Wagner Freire.

Direção de Produção: Mesa2 Produções Artísticas.

Serviço:

Maria Miss

Teatro Eva Herz da Livraria Cultura – Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073, Metrô Consolação.Bilheteria: (11) 3170-4059. De segunda a sábado, das 14 às 21 horas e aos domingos e feriados, das 12 às 20 horas. Ingressos à venda pela Internet: www.teatroevaherz.com.br ou www.ingresso.com.br. Vendas/Call-center: 4003-2330. Compras pelo sistema da ingresso.com, funciona da seguinte maneira: Call-center: (adicional de 20%) Inteira: Os ingressos são retirados na bilheteria do próprio teatro. Formas de pagamento: dinheiro e todos os cartões de débito e crédito – não aceitam cheque.Classificação etária: a partir de 14 anos. Capacidade do teatro: 166 lugares.

Duração:: 75 minutos. Classificação indicativa: 14 anos.

Temporada: Terças e quartas às 21 horas.

Até 25 de julho.

Ingressos: R$30.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo