Publicidade

Publicidade
06/07/2012 - 18:15

Atriz Bel Kutner dirige Maratona de Nova York

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Maratona de Nova York" - Foto de Desirée do Valle

SÃO PAULO – Texto inédito no Brasil, Maratona de Nova York às 21 horas de hoje, no Teatro Cacilda Becker. O autor é o italiano Edoardo Erba.  No elenco estão os atores Anderson Muller e Raoni Carneiro. A tradução é assinada por Beth Rabetti; a trilha sonora foi composta por André Abujamra; a iluminação é de Paulo César Medeiros.

Os protagonistas Mario (Muller) e Steve (Raoni) têm um objetivo, o qual é o centro da encenação: participar da Maratona de Nova York – a mais importante no mundo dos esportes. Durante os treinos relembram momentos de suas vidas e colocam em discussão questões como: Correr para quê? Superar quem?

O espetáculo é produzido por Anderson Muller, que já foi maratonista e sempre carregou o sonho de correr em cena. Quando conheceu essa peça, pelas mãos de Raoni Carneiro, o ator ficou encantado com o seu conteúdo e convidou Bel Kutner para dirigir a montagem, quem, além de assinar a direção, é parceira na produção.

Muller já tinha sido dirigido por Bel e, além de querer dar à produção um ar feminino, queria uma pessoa que tivesse amplo conhecimento não somente de artes, mas de esportes.

"Maratona de Nova York" - Foto de Desirée do Valle

Maratona de Nova York fala com leveza de assuntos pertinentes ao cotidiano, como o sonho, a dedicação a um objetivo, a superação e o amadurecimento que a vida proporciona

Os dois atores correm o tempo todo, o que exige muito preparo físico. Para Raoni Carneiro, a peça é uma espécie de parábola e quem decide o final da história é o púbico.

“Não se sabe ao certo quem são os personagens, se são amigos ou apenas conhecidos. São dadas pistas e o espectador tira as suas próprias conclusões”, diz.

Anderson Muller complementa dizendo “que a peça é uma grande comédia, que traz para a cena o jogo do teatro, isto é, uma dosagem de emoções e sentimentos da vida real. Assim como acontece no texto, a cada momento a vida nos reserva surpresas, novidades e obstáculos”.

O humor está nos diálogos entre os dois homens que colocam em pauta questões do universo masculino, com teor machista e sem deixar de lado assuntos típicos como futebol.

Cada personagem tem a sua personalidade e a competição entre eles é saudável. Steve é determinado, se esforça ao máximo e quer muito vencer a maratona. É ele quem conta ao público um pouco da história das corridas. Já Mario, apesar de mais velho, é mais brincalhão e não tem a mesma certeza do colega de treino quanto à importância da maratona para a sua vida.

O cenário da peça é formado por projeções da cidade de São Paulo, captadas por uma câmera 360º, buscando mais dinamismo e vivacidade às cenas. Outro destaque é a trilha original composta por André Abujamra.

A projeção e a trilha segundo os atores, são molduras e ilustram a história, já que o foco da direção está nos diálogos.

Como os atores precisam de muito preparo para estarem bem fisicamente no palco, eles contam com a presença do ator Celso Bernini, assistente de direção e uma espécie de coringa. Ele conhece todas as falas e marcações e pode fazer qualquer um dos personagens, se houver necessidade durante a temporada.

O elenco também conta com a ajuda da preparadora corporal Denise Stutz, para dar suporte à intensa movimentação que acontece e evitar acidentes.

Após a curta temporada em São Paulo (somente até 29 de julho), a montagem viaja pelo Brasil e volta novamente para a capital paulista, ainda sem data definida.

Anderson Muller declara que houve uma cumplicidade muito grande entre ele e Raoni Carneiro e a ideia é que a temporada seja longa. A peça rendeu uma amizade para toda a vida e os dois já têm planos de outros trabalhos em conjunto.

Sobre o autor

Edoardo Erba nasceu em Pavia em 1954 e graduado em letras, formou-se em dramaturgia pela Escola Piccolo Teatro de Milão. Vive em Roma. Dentre suas obras estão A noite de Picasso (1990), O homem da minha vida (1999), Boas notícias (2002) e Maratona de Nova York (1992). A peça, contemplada com vários prêmios, já foi traduzida para cinco idiomas, tendo sido publicada na Inglaterra pela Obern Book e na Argentina pelas Ediciones de La Flor. Na Itália foi publicada pela Ricordi e por Ubulibri. Edoardo Erba é também autor de programas televisivos.

Ficha técnica:

Autor: EDOARDO ERBA. Tradução: BETH RABETTI. Direção: BEL KUTNER. Iluminação: PAULO CESAR MEDEIROS. Direção de Arte: MAURO VICENTE FEREIRA. Assistente de Arte: ROGERIO CHIEZA. Vídeo 360 graus: CHARLES BOGGISS. Vídeo Grafismo: EDUARDO SALLES E CRISTIANA QUEIROGA. Figurino: ASICS. Preparação Corporal: DENISE STUTZ. Trilha Sonora: ANDRE ABUJAMRA. Fotografia: DESIRÉE DO VALLE. Programação Visual: LEONARDO BRASIL. Assessoria de Imprensa: ARTE PLURAL. Assistente de Direção: CELSO BERNINI. Operação de Som: ALLYSSON LEMES. Operação de Luz: ALEXANDRE BAFÉ. Direção de Vídeo: MICHEL PAULO. Operação de Vídeos: ALEXANDRE GONZALEZ. Direção de Produção: DEA MARTINS E ANDERSON MULLER. Produção Executiva em SP: DEA MARTINS E GERARDO FRANCO. Assistente de Produção RJ; MARCELO GOMES. Assistente de Produção SP: FLÁVIA PRIMO. Direção de Palco: MARCELO GOMES. Realização: Logomarca Kauidea (Dea Martins) e PRÓSPERAS PRODUÇÕES (Anderson Muller e Thereza Falcão).Patrocínio: ASICS.

Serviço:

Maratona de Nova York

Estreia dia 6 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295 – Lapa São Paulo. Tel: (0xx)11 3864-4513Temporada: de 6 de julho a 29 de julho. Sextas e sábados, às 21h e domingos às 19h. Duração: 115 minutos. Preço: R$ 20. Censura: 12 anos.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo