Publicidade

Publicidade

12/04/2012 - 23:12

A plateia bate palma e pede bis

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Sylvia Bandeira vive Marlene Dietrich

SÃO PAULO – E não é para menos. Parece que a gente está participando de um show maravilhoso e íntimo que nos apresenta pessoalmente ninguém menos do que Marlene Dietrich em Marlene Dietrich – As Pernas do Século, de Aimar Labaki, em cartaz no Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca). Tudo bem simples, sem os exageros da Broadway. Mas em compensação Sylvia Bandeira nos leva para passear na Alemanha, na França e até no Brasil, cantando as músicas da época tão bem que não dá pra saber se quem canta melhor Non, Je Ne Regrette Rien é ela ou a Edith Piaf.

É simplesmente fantástico, ainda mais que contracenam com ela José Mauro Brant, Márcia Luna Cabral e Silvio Ferrari – os três com larga experiência em musicais – fazendo papeis variados neste musical, surpreendendo  o tempo todo pela qualidade do trabalho seja como atores seja como cantores. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
05/04/2012 - 00:19

Sylvia Bandeira revive no palco o mito Marlene Dietrich

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Sylvia Bandeira protagoniza "Marlene Dietrich - As Pernas do Século"

De Aimar Labaki e direção William Pereira, Marlene Dietrich – As Pernas do Século é uma biografia musicada de uma das mais glamourosas estrelas do cinema e da música do século XX. Ao lado de Sylvia estão José Mauro Brant, Marciah Luna Cabral e Silvio Ferrari

SÃO PAULO – Tendo como pano de fundo os principais acontecimentos do século 20 do século passado, Marlene Dietrich – As Pernas do Século, em cartaz no Teatro Nair Bello, é a primeira montagem teatral brasileira que retrata o mito da atriz e cantora alemã, naturalizada norte-americana, Marlene Dietrich.

Aimar Labaki, autor da peça, optou por contar a trajetória de vida da grande estrela de maneira inusitada, ou seja, do fim para o começo; aos 90 anos, no final de sua vida, sentada em seu apartamento de Paris é que Marlene recebe um entregador que nem imagina com quem está falando. O garoto é convencido pela velha senhora a sentar e ouvir um pouco de sua história. É desta forma que os principais momentos vividos pela estrela são retratados no palco, desde o início da carreira em Berlim dos anos 20, ao glamour de Hollywood dos anos 1930 e 40, sua opção por cantar no front da II Guerra Mundial para os soldados aliados até se tornar a grande estrela dos musicais e percorrer o mundo cantando. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo