Publicidade

Publicidade

03/10/2012 - 18:32

Uma Inteligente discussão sobre arte e amizade

Compartilhe: Twitter

Crítica de Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Arte"

SÃO PAULO – Arte foi o texto que fez com que a dramaturga Yasmina Reza se tornasse um dos principais (na minha opinião, o principal) nomes da dramaturgia contemporânea. Sua primeira montagem no Brasil aconteceu em 1998, sob a direção de Mauro Rasi, tendo no elenco Paulo Goulart, Pedro Paulo Rangel e Paulo Gorgulho. Agora, a peça de Yasmina ganhou uma nova encenação com a direção de Emílio de Mello.

Emílio tem se revelado um diretor especializado em encenar os textos da autora. Ele já foi o responsável pelas montagens de O Homem Inesperado e Deus da Carnificina.

No programa da montagem brasileira de Deus da Carnificina, Yasmina escreveu que produz um “teatro de tensão”. É uma definição precisa e exata sobre a sua obra dramatúrgica. Suas personagens estão sempre em volta de uma discussão acirrada, o que fez dela uma escritora que trouxe de volta à cena contemporânea o valor da palavra. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, DESTAQUE Tags: ,
15/09/2012 - 12:12

Amizade masculina dissecada em Arte

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

''Arte" - crédito André Wanderley

A compra de um quadro de arte contemporânea provoca uma reviravolta na relação entre Ivan, Marcos e Sérgio, vividos por Vladimir Brichta, Marcelo Flores e Claudio Gabriel. Direção de Emílio de Mello

SÃO PAULO – Partir de um fato corriqueiro para discutir temas profundos da relação humana. Mais uma vez a dramaturga francesa Yasmina Reza tem esta intenção com a peça ARTE, em cartaz na cidade, no Teatro Renaissance, depois de grande sucesso carioca.

Assim como fez em Deus da Carnificina — que a briga entre dois garotos na escola provoca um turbilhão na vida de seus pais —, desta vez é um quadro de arte contemporânea (supostamente em branco) adquirido por Sérgio, interpretado por Claudio Gabriel, causa uma revolução na relação de amizade entre ele e Marcos e Ivan, vividos por Marcelo Flores e Vladimir Brichta. Mais do que discutir conceitos estéticos das artes plásticas, os três rapazes entram numa briga visceral, trazem à tona rugas antigas, pontos de vista diversos sobre a vida, colocando, inclusive, em cheque a amizade entre eles. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE Tags: , , , , , , , , ,
03/02/2012 - 23:27

Municipal de SP comemora 90 anos da Semana de Arte Moderna

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewsk, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – Entre os dias 15 e 26 de fevereiro, o Theatro Municipal de São Paulo apresentará uma programação especial em comemoração aos 90 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, que ocorreu entre 13 e 17 de fevereiro daquele ano no próprio Municipal. São duas óperas – uma delas, Magdalena, de Villa-Lobos, nunca encenada em São Paulo -, um espetáculo de dança inédito e dois concertos.

Compositores e autores dessas obras participaram da Semana de Arte Moderna de 1922 (Villa-Lobos e Mario de Andrade) ou foram influenciados por ela (Camargo Guarnieri, Radamés Gnatalli, Lorenzo Fernandez).

A programação está assim dividida:

FEVEREIRO:15 qua 20h, 17 sex 20h, 19 dom 18h, 23 qui 20h, 25 sab 20h Magdalena.Ópera em 2 atos de Heitor Villa-Lobos. Produção original do Theatre du Chatelet – Paris – 201 Orquestra Sinfônica Municipal, Coral Lírico Municipal e Coral Infantil Heliópolis. Luís Gustavo Petri – direção musical e regência. Mário Zaccaro – regente do coro. Kate Whoriskey – direção cênica. Derek McLane – cenografia. Paul Tazewell – figurinos. Alexander Koppelman – desenho de luz. Warren Adams – coreografia. Elenco: Rosana Lamosa (Maria);  Luciana Bueno (Teresa);  Rubens Medina (Pedro);  Sávio Sperandio (General Carabaña);  Saulo Javan (Padre José);  Miguel Geraldi (O Velho Homem); Paulo Queiroz (Zoggie);  Pedro Ometto (Major Blanco) Duração: (1º. ato: 55’ – intervalo de 20’- 2º. ato: 40’- total: 1h55’) Ingressos: R$ 100,00; R$ 60,00 e R$ 40,00.

A ópera Magdalena, de Heitor Villa-Lobos, com libreto dos americanos Robert Wright e George Forrest, fez sua estreia na Broadway em 1948 e teve sua première brasileira apenas em 2002, no Festival Amazonas de Ópera, em Manaus, com versão em português de Cláudio Botelho. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , ,
17/10/2011 - 17:06

A Troca entre Grupo e Comunidade

Compartilhe: Twitter

Tatiana Rehder

Diretora do Grupo Arte Simples de Teatro que realiza um projeto de residência artística na Comunidade de Heliópolis  na cidade de São Paulo.

www.artesimples.com.br

Arte Simples de Teatro comanda festival com jovens da comunidade de Heliópolis

Tenho imenso prazer em inaugurar o Espaço Grupos & Cias. Com um artigo tão interessante quanto esse da Tatiana Rehder, diretora do grupo Arte Simples de Teatro, que desenvolve um transformador trabalho com a comunidade do bairro Heliópolis, na periferia de São Paulo. Notável a consciência do trabalho contínuo, mesmo com verba escassa, conforme discorre Tatiana no artigo abaixo. Devemos atentar sobre a ética na conduta de trabalhos artísticos que envolvam comunidades e cobrar, SEMPRE, para que os órgãos públicos e, por que não?, privados entendam, de uma vez por todas, o poder transformador da a arte junto a uma comunidade e viabilizem, assim, sua continuidade.

(Michel Fernandes)

A Troca entre Grupo e Comunidade

Tatiana Rehder

Ao iniciar esse texto onde o tema é a troca entre grupo de teatro e comunidade, dei-me conta que, antes mesmo de começarmos nosso projeto de residência artística na comunidade de Heliópolis, a palavra “Troca” foi o que nos moveu até esse encontro. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, ESPAÇO GRUPOS & CIAS. Tags: , , , , , , , , ,
12/11/2010 - 21:10

Seleção de voluntário para espetáculo do La Fura dels Baus

Compartilhe: Twitter

O catalão La Fura dels Baus apresenta "Cielos Arte" dia 04 de dezembro no Memorial da América Latina

Até o dia 25 de novembro, estão abertas as inscrições para homens ou mulheres, com idade mínima de 18 anos, que desejem participar, como voluntárias, do espetáculo “Cielo Arte“, do grupo catalão La Fura dels Baus.

Os La Fura del Baus são um grupo de teatro catalão que se notabilizou pelos seus espetáculos polêmicos e visualmente poderosos.

Fundado em 1979, o grupo começou por fazer  de rua, adquirindo visibilidade com a peça Lenguaje Furero (1983), inserida num ciclo mais amplo de espetáculos apelidado de Accions.

Com estes espetáculos, imprimiram um novo conceito teatral alicerçado na utilização de numerosos recursos cênicos como música, dança, pirotecnia, uso de materiais naturais e interação com o espetador, criando uma simbiose entre ator e autor, fundindo-se numa mesma criação coletiva.

Perfil:

* Homens e Mulheres – Maiores de 18 anos

Pré – Requisitos:

* Não ter medo de altura – Todo o espetáculo será a 30 metros de altura.

* Não ter problemas de tontura.

* Não ser claustrofóbico

* Ter noções de circo, perna de pau, acrobacias, dança, ginástica olímpica,
movimento corporal em geral.

Cronograma:

1 dia de workshop com os integrantes do La Fura dels Baus

3 dias de ensaios

1 dia de apresentação – Dia 04/12/2010

Local:

Memorial da América Latina

* Será oferecido aos participantes:

Ajuda de custo para transporte em espécie

Alimentação durante o período dos ensaios

Certificado de participação assinado pelo Diretor Fundador do La Dels Baus

* Inscrições:

Até 25/11/2010

Encaminhe seu CV e Foto para: <mailto:elenco@kabukiproducoes.com.br>
elenco@kabukiproducoes.com.br

Juliana Costa e Alice Wolfenson

Produção de Elenco

julianacosta.produtora@gmail.com

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , ,
19/02/2010 - 23:05

A Arte de Escutar em Porto Alegre

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

A peça estará dias 5, 6 e 7 de março no Theatro São Pedro

A peça estará dias 5, 6 e 7 de março no Theatro São Pedro

“… Escutar é mais que ouvir. É mais do que estar parada em frente a alguém dividindo o mesmo metro quadrado. Escuta-se por todas as células do corpo. Escuta-se com as mãos, com os olhos, com a respiração, escuta-se inclusive com os ouvidos… Uma postura escuta, um gesto escuta, a boca escuta. Há que se deixar apagar e se concentrar no outro. Há também que se eliminar quaisquer ruídos de interferência – como pensamentos que voam, telefones que tocam, vaidades que afloram, vontades de ir ao banheiro… Muitos dizem que a fala distingue o ser humano dos outros animais. Discordo. Saber escutar é o que nos dá humanidade.”

Um dos mais elogiados espetáculos cariocas dos últimos anos fará uma curta temporada em Porto Alegre, abrindo a programação teatral do Theatro São Pedro, nos próximos dias 5, 6 e 7 de Março. Falo de A arte de escutar que tem recebido diversos elogios da crítica e foi indicado aos prêmios Shell, APTR e Contigo de melhor texto dramático. Antes de Porto Alegre, o espetáculo se apresenta na Sala Martins Pena do Teatro Nacional nos dias 26, 27 e 28 de Fevereiro. Esta pequena turnê de A Arte de Escutar foi possível graças ao patrocínio da Petrobrás.

A peça mostra a história de uma “protagonista coadjuvante”, uma personagem dotada de um talento bastante peculiar e incomum nos dias de hoje. Por razões que a própria razão desconhece, esteja onde estiver, em qualquer lugar, hora ou situação, a “protagonista coadjuvante” atrai, involuntariamente, pessoas – conhecidas ou desconhecidas – e provoca curiosos efeitos colaterais. Todos reagem da mesma forma diante de sua presença: sentem uma coisa, um troço, uma comichão na língua, uma coceira na alma – sensações seguidas, imediatamente, de uma vontade incontrolável de contar suas histórias.

As reflexões da protagonista sobre o que é a arte de escutar e as revelações sobre a complexidade do ser humano vêm à tona em relatos de saborosos encontros onde ela escutou as aventuras e desventuras de seus semelhantes: uma senhora “sobrevivente” de Woodstock na fila de um banco; as confidências sombrias de um tio e uma tia numa noite de Natal; as peripécias sexuais de uma mulher numa academia de ginástica e a história de um homem atormentado no Metrô servem de fio condutor para o texto. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , ,
04/02/2010 - 15:18

Folias D’ Arte faz réquiem teatral

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

Folias D'Arte apresenta novo espetáculo

Folias D'Arte apresenta novo espetáculo

Depois dos premiadíssimos Otelo e Oresteia – O Canto do Bode o competente e instigante coletivo teatral, o Folias D’Arte, apresenta seu novo trabalho Êxodos – O Eclipse da Terra, com dramaturgia dos atores e Atelier de Escrita do português Jorge Louraço, parceiro do Aplauso Brasil com Estado do Crítico, dirigido pelo sempre surpreendente, Marco Antonio Rodrigues, a partir desta quinta-feira (4), 21h, que, segundo material de divulgação, é o réquiem de um ciclo que se completa com os dois espetáculos citados.

O norte do trabalho – que pretende falar sobre as imigrações reais e imaginárias – foram desde as experiências pessoais dos atores até inspiração das obras do escritor Gabriel García Marques e do fotógrafo Sebastião Salgado.

Por meio de seis personagens vindos dos quatro cantos do mundo, Êxodos – O Eclipse da Terra pretende retratar com lente de aumento a fuga humana, a fuga de territórios em que dantes estavam confinados. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo