Publicidade

Publicidade

07/08/2012 - 13:24

As Polacas – As Flores do Lodo estreia em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Polacas - Flores do Lodo", texto e direção de João das Neves

SÃO PAULO – A montagem As Polacas – As Flores do Lodo cumpriu temporada carioca no CCBB do Rio de Janeiro e entra em cartaz no SESC Ipiranga, em São Paulo. A estreia é neste sábado (11), às 21 horas. João das Neves assina o texto e a direção.

No palco, 13 atores contam a história de prostitutas judias e negras do Leste Europeu (polacas) que chegam ao Brasil fugindo da fome e da perseguição religiosa.  Em sua maioria, são aliciadas pela rede Zwi Migdal, de tráfico de mulheres e são obrigadas a se prostituirem.

Aqui no Brasil enfrentam o preconceito da comunidade judaica e das prostitutas locais. Para lutar contra a discriminação e promover a cultura e a religião judaica em nosso país, as polacas fundam uma associação e constroem um cemitério. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , ,
06/05/2012 - 20:42

Paulo Santoro veio pra ficar

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

César Augusto assina a direção de "Plinio Contra as Estrelas"

SÃO PAULO – Tudo indica que vai ficar. Esse é o quarto texto dele encenado. O primeiro, O Canto de Gregório, foi dirigido por Antunes Filho , logo em seguida do autor ter cursado dramaturgia no CPT. O segundo, O Fim de Todos os Milagres foi editado em livro junto com o primeiro. Entre suas produções dramatúrgicas, a terceira obra encenada foi A Mulher Que Ri, sob direção de Yara Novaes. Agora é a vez de Plínio Contra as Estrelas, dirigida por César Augusto, que fica em cartaz até sexta-feira (11), na sala Beta do SESC Consolação.

No texto, Santoro consegue contrapor duas visões do mundo atual. A dos adultos que atribuem a ele estado de profunda depressão por viver trancado no quarto com seu computador quase todo o tempo, e a dele, ou dos jovens atuais que consideram a situação perfeitamente normal e aparentam grande satisfação de viver. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , ,
12/04/2012 - 23:12

A plateia bate palma e pede bis

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Sylvia Bandeira vive Marlene Dietrich

SÃO PAULO – E não é para menos. Parece que a gente está participando de um show maravilhoso e íntimo que nos apresenta pessoalmente ninguém menos do que Marlene Dietrich em Marlene Dietrich – As Pernas do Século, de Aimar Labaki, em cartaz no Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca). Tudo bem simples, sem os exageros da Broadway. Mas em compensação Sylvia Bandeira nos leva para passear na Alemanha, na França e até no Brasil, cantando as músicas da época tão bem que não dá pra saber se quem canta melhor Non, Je Ne Regrette Rien é ela ou a Edith Piaf.

É simplesmente fantástico, ainda mais que contracenam com ela José Mauro Brant, Márcia Luna Cabral e Silvio Ferrari – os três com larga experiência em musicais – fazendo papeis variados neste musical, surpreendendo  o tempo todo pela qualidade do trabalho seja como atores seja como cantores. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
09/01/2012 - 16:11

Saiba quem são as “mimosas” da Praça Tiradentes

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Elenco de "As Mimosas da Praça Tiradentes"

RIO DE JANEIRO – Com texto inédito, As Mimosas da Praça Tiradentes é uma espécie de Priscilla, a Rainha do Deserto à brasileira. O espetáculo também historicamente bebe em uma tradição carioca, que foram os grandes shows de artistas transformistas.

Claudio Tovar, César Augusto, Gustavo Gasparani, Jonas Hammar, Marya Bravo e Milton Filho, experientes atores de outros importantes musicais, dão vida às drags: Lola, a imperatriz, Samantha Overbook, Vanilla Cherry, Miguelito Cigano, Divina Rúbia e Catula de Montecarlo.

Na peça um grupo de transformistas ensaia um show para arrecadar fundos em prol do Cabaré das Mimosas, ameaçado de fechar suas portas. Ao longo dos ensaios são reveladas as histórias das personagens e suas relações pessoais. Cada uma delas representa um período da Praça Tiradentes – são negros, ciganos, vedetes, dançarinas de gafieira, a corte portuguesa e os estrangeiros que ao longo do tempo ajudaram a construir a identidade desta região. Alternando números musicais com cenas dramáticas, o espetáculo cria um mosaico de acontecimentos e fatos que mostra a importância e a razão pela qual a Praça Tiradentes foi considerada uma das regiões mais tradicionais do Rio de Janeiro, sendo conhecida, por muito tempo, como a Broadway brasileira. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , ,
26/09/2011 - 18:08

As Cegas: misto de dança e teatro discute a mortalidade

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplauso@gmail.com)

"As Cegas" em cartaz no Viga Espaço Cênico, quartas e quintas

Com texto e direção de Cláudia Maria de Vasconcellos, o espetáculo faz uma sátira ao mundo tecnológico de hoje e como o homem ainda não sabe lidar com a morte. No elenco, Gil Grossi, Neca Zarvos e Vera Bonilha

A morte rondando tanto uma cega como uma psiquiatra, que vive plugada em todos os aparelhos da mais alta tecnologia dos tempos atuais. Esse o mote do espetáculo que se apresenta no Viga Espaço Cênico, As Cegas, texto e direção de Cláudia Maria de Vasconcellos.

O enredo foi criado a partir de estudo e pesquisa do grupo, além de entrevistas com filósofos e psiquiatras sobre a mortalidade. O resultado é um espetáculo com poucas palavras, que são substituídas por gestos, dança e pantomima.

Como em CataDores (em cartaz no Teatro Eva Herz), Cláudia retoma o tema da morte e a incapacidade do homem de lidar com ela. Se naquele texto eram dois palhaços que questionavam o cotidiano rotineiro, a repetição de atos e sentimentos (viver é estar à espera da morte?), em As Cegas a autora personifica a morte. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , ,
16/08/2011 - 15:36

Sabrina Korgut é uma d’ As Bruxas de Eastwick

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Sabrina Korgut, Maria Clara Gueiros e Renata Ricci em "As Bruxas de Eastwick"

Veterana em musicais da dupla Möeller & Botelho, Sabrina Korgut que já alcançou destaque e respeito em espetáculos como Sassaricando, Ópera do Malandro e Avenida Q (que, entre outros, lhe valeu a indicação ao Prêmio Shell de Melhor Atriz do Rio de Janeiro) dá vida à Jane Smart, uma das protagonistas de As Bruxas de Eastwick, cuja estreia para convidados será nesta quinta-feira (18), 21h, no Teatro Bradesco.

Três mulheres – Alexandra (Maria Clara Gueiros), Jane (Sabrina Korgut) e Sukie (Renata Ricci) – que vivem na pacata Eastwick se reúnem semanalmente para tomar um drink na casa de uma delas e conversar sobre a vida tediosa que levam. Mesmo que, entre si, concordem que um homem, mesmo que ideal, não solucione os problemas de sua vida elas acabam por evocar a sinistra presença de Darryl Van Horne (Eduardo Galvão), ninguém menos que o demônio.

A partir daí uma série de episódios que modificam a vida das pessoas de Eastwick, como uma incontrolável explosão da sensualidade, faz com que as amigas decidam extinguir aquilo que provocaram.

Sabrina Korgut concedeu entrevista exclusiva ao Aplauso Brasil, em vídeo (Imagens de José Saraiva Júnior), em que fala sobre a transformação de Jane, sobre seu trabalho e seus desejos como trazer Fascinante Gershwim – Uma Revista Musical a São Paulo e integrar o elenco de O Mágico de Oz que a dupla Möeller & Botelho apresentará em 2012.

Assista a Entrevista
<a href="“>

Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias, Multimídia Tags: , , , , , , , , , ,
14/08/2011 - 14:42

Assista a um número de As Bruxas de Eastwick

Compartilhe: Twitter

"As Bruxas de Eastwick" - Renata Ricci, Maria Clara Gueiros, Fafy Siqueira, Eduardo Galvão e Sabrina Korgut - crédito Marcos Mesquita

Dançar com o Demônio, número musical da superprodução da T4FUN, As Bruxas de Eastwick, dirigido por Charles Möeller e versão brasileira de Claudio Botelho.

No número, Eduardo Galvão e elenco.

<a href="“>

Imagens de José Saraiva Júnior

LEIA TAMBÉM

Vem aí mais uma superprodução musical da dupla Möeller & Botelho


Autor: - Categoria(s): Multimídia Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
05/08/2011 - 16:05

Marco Pigossi estreia em clássico de Molière

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Eruditas" - Marco Pigossi e Gláucia Rodrigues - foto de Cláudia Ribeiro 2011

Para celebrar duas décadas de vida, a Cia. Limite 151, do Rio de Janeiro, resolveu encenar uma comédia clássica do francês Molière, As Eruditas. Com a participação do ator Marco Pigossi (que estará na telenovela, Fina Estampa, da TV Globo), entre outros atores que entram na trupe de Edmundo Lippi, Gláucia Rodrigues e Wagner Campos, estreia hoje no Teatro Brigadeiro.

Penúltimo texto do autor, As Eruditas conta a história de Henriqueta (Janaína Prado) e Armanda (Jacqueline Brandão), duas filhas de Filomena (Theresa Amayo) e Crisaldo (Élcio Romar), um fidalgo da alta sociedade parisiense. Filomena deslumbra-se com o mundo das letras e da filosofia a ponto de querer casar Henriqueta com Tremembó (Gustavo Ottoni), um oportunista que tenta conquistar, com seus versos, a mão e o dote de uma das moças. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
04/08/2010 - 19:15

Cenógrafa jovem e surpreendente

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Criadas", texto de Jean Genet, sob direção de Elvira Gentil

Desde que freqüento o Espaço dos Satyros II, não me lembro de ter visto cenografia melhor do que a de Lirian Pedrazzini para As Criadas. de Jean Genet, autor francês cujo principal texto teatral foi O Balcão, sob direção de Elvira Lima Gentil, em cartaz apenas às quintas-feiras.

É fato que a maioria dos espetáculos lá apresentados não focalizam pessoas que têm a seu serviço duas criadas, como agora. O que justifica plenamente o extremo bom gosto de todos os elementos cênicos, entre os quais muitas flores e cabides com roupas de belas cores.

Os figurinos de Eneida Palermo e a iluminação de Valdecir Araújo não ficam nada atrás. Claro que são qualidades que também levam a assinatura da direção, a cargo de Elvira Lima Gentil. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , ,
23/07/2010 - 01:42

Hélio Cícero e Samir Yazbek estreiam nova peça

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Folhas do Cedro" -HelioCicero,GabrielaFlores -foto de FernandoStankuns

Nesta sexta-feira (23), 21h, no Teatro do SESC Vila Mariana, estreia o novo espetáculo da Companhia Teatral Arnesto nos Convidou, As Folhas do Cedro, com texto e direção de Samir Yazbek(O Fingidor, A Entrevista, A Máscara do Imperador, entre outras) e, firmando antiga parceria, com o ator Hélio Cícero na pele do patriarca da trama.

Narrada pela filha de um casal de imigrantes libaneses no Amazonas, ela revisita suas origens quando, na década de 1970, período marcado pelos anos sinistros da ditadura militar, em busca de sua própria identidade. Sua mãe fora buscar o marido que trabalhava como empreiteiro de obras na construção da estrada Transamazônica, durante a ditadura militar.

Por meio de sua memória e imaginação, procura desvendar Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo