Publicidade

Publicidade

04/04/2012 - 17:43

Homenagem a Goethe do Festival de Curitiba ao Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Wagner Antonio, Caetano Vilela e Germano Melo em coletiva de "Licht+Licht"

Com o núcleo paulistano da Cia. De Ópera Seca, o espetáculo Licht+Licht se apresenta, hoje e amanhã, na capital paranaense e dias 11 e 11 de abril, quarta e quinta-feira, em São Paulo

CURITIBA – Com direção de Caetano Vilela, o novo espetáculo do núcleo paulista da Cia. De Ópera Seca, Licht+Licht (Luz, Mais Luz), tem estreia nacional hoje na 21ª edição do Festival de Curitiba e nas próximas quarta (11) e quinta-feira (12) se apresenta no Auditório Ibirapuera que, devido à parceria entre o Itaú Cultural e o Festival, apresentará algumas produções que participaram da Mostra Oficial deste ano.

Em 2012, 180 anos após a morte do escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe, o diretor Caetano Vilela concebeu um espetáculo que traz à cena, após o autor suas últimas palavras antes de morrer: “Licht mehr Licht” (Luz, mais Luz), um delírio em que vê seus personagens (Fausto/Mephisto, Werther/Willelm Meister e Margarida/Charlotte) em relações bem diferentes das imaginadas por ele.

O diretor conta que se baseou no ‘romance de formação’ do autor de Fausto, obra-prima de Goethe, pouco lido no Brasil Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister para montar o texto e, também, se inspirou no universo operístico que lhe é familiar – além de assinar a iluminação de diversas óperas, ano passado dirigiu La Bohème, de Puccini. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
01/02/2012 - 16:21

Álamo Facó estreia monólogo em SP

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Álamo Facó é dirigido por César Augusto

SÃO PAULO – Sob direção de César Augusto, da Cia dos Atores, o ator Álamo Facó traz ao Auditório do SESC Pinheiros, a partir desta sexta-feira (3), 20h, o monólogo Talvez, com texto de sua autoria.

O espetáculo mostra Dário, personagem que decide trancar-se em casa até que sua mulher volte de viagem. O que começa como uma simples promessa, ganha proporções inesperadas já que ele está disposto a levar seus pactos ao limite. Apenas o computador está ligado e, assim, se inicia uma curiosa relação com os espectadores.

Os dias passam e Dário não está disposto a voltar atrás. Sua capacidade de introspecção e esquizofrenia transforma a sua realidade num possível “talvez”. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , ,
16/11/2011 - 22:26

Monólogo sobre Síndrome do Pânico estreia no SESC Pinheiros

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Gabi Brites atua e escreveu "Nariz Pra Fora D’água"

SÃO PAULO – Uma atriz sentada de costas para o público. Durante o espetáculo ela vai se revelando, na medida em que se torna capaz de enfrentar o olhar direto da plateia. A atriz vê e conversa com o público por dois monitores e terá seu rosto projetado nas próprias costas. Com essa mescla de teatro e vídeo, o monólogo Nariz Pra Fora D’água estreia nesta sexta-feira (18), às 20 horas, no Auditório do SESC Pinheiros. A montagem, com atuação e texto da atriz e cineasta Gabi Brites, tem direção de Georgette Fadel e foi contemplada com o Prêmio Funarte Myriam Muniz 2010.

Em Nariz Pra Fora D’água, a personagem relata sua dificuldade de exposição aos olhos do mundo. Ela não se sente apta a encarar o público, embora ela saiba que o tenha que fazer. Por isso o espectador pode assistir às cenas – que a atriz não tem a priori, coragem de revelar – mediadas pela tela “protetora” da lente de uma câmera.

Envolvida com o universo teatral desde pequena, a atriz Gabi Brites morava no Rio de Janeiro e estava trabalhando em um espetáculo quando teve Síndrome do Pânico.

“Isso foi há nove anos. Como não tinha mais condições de subir no palco, larguei tudo e virei publicitária”, conta ela, que depois de um tempo achou que deveria compartilhar o assunto com outras pessoas. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
09/12/2010 - 14:23

Tulipa Ruiz e Karina Buhr apresentam seus CDs no Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Edson Jr., especial para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

As cantoras Tulipa Ruiz e Karina Buhr

Tulipa Ruiz e karina Buhr apresentam seus álbuns de estréia Efêmera e Eu menti pra você nesta sexta (10) e sábado (11) de dezembro no Auditório Ibirapuera. O encontro é de cunho autoral, já que ambas assinam canções em suas obras e dividem a originalidade, espontaneidade, criatividade  e experiência de quem há algum tempo experimenta o palco e que agora iniciam o registro solo de suas vozes no mercado fonográfico. O que valoriza ainda mais a riqueza de suas gravações.

O encontro dessas representantes da nova geração da música popular brasileira confirmam as palavras de Bethânia quando a diva diz “ O Brasil é um país de cantoras” . Desde sempre a MPB é povoada por cantoras de vozes lindíssimas, expressivas , inteligentes e sensuais de Aracy Cortês a inigualável Dalva de Oliveira, do samba anasalado de Aracy De Almeida a elegância e refinamento de Elizeth Cardoso.

Tulipa e Karina reúnem qualidades fundamentais para a boa perfomance tanto no palco quanto em estúdio a escolha de repertório e o despudor com que revelam sua arte. O que torna o espetáculo no mínimo interessante.   Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , ,
07/12/2010 - 01:22

Fios maleáveis teceram as “Texturas Brasileiras” no Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Edson Jr., especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

OBA - Orquestra Brasileira do Auditório

A apresentação dos estudantes de música da Orquestra Brasileira do Auditório Ibirapuera que aconteceu nos dias 02 e 03 de dezembro, foi a celebração em grande estilo de um profícuo período de formação.

O repertório que, entre o clássico e o popular, valorizou a diversidade de gêneros, construiu a “textura brasileira” proposta pelo espetáculo dialogando com autores clássicos do cancioneiro nacional e recorrendo a autores universais como Prokofiev e Camille Saint-Sans. Uniram-se às músicas, lindas vozes dos também estudantes que formam o coral do auditório.

A récita contou com a presença da Banda Mantiqueira, conhecida por uma linguagem sonora que expressa a brasilidade em suas interpretações, e da diva Elza Soares, madrinha da Orquestra Brasileira do Auditório.

Elza, conduzida pelos maestros José Roberto Branco e Wanderley Banci, interpretou Mais que nada (Jorge Ben Jor) Se acaso você chegasse ( Lupícinio Rodrigues) e finalizou o espetáculo com Laranja madura ( Ataulfo Alves) sucesso em 1966. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Multimídia Tags: , , , , ,
02/12/2010 - 15:04

As “Texturas Brasileiras” no Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Edson Jr., especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

Elza Soares no Auditório Ibirapuera

O Auditório Ibirapuera reúne sua orquestra para apresentação de fim-de-ano hoje (02) e amanhã (03) com a especialíssima participação de Elza Soares e Banda Mantiqueira.

A récita nomeada “Texturas Brasileiras” traz em seu repertório clássicos do cancioneiro popular como Vatapá (Dorival Caymmi), Palpite Infeliz (Noel Rosa), a divertida e ligeira Canção pra inglês ver (Lamartine Babo), entre outros.

Os arranjos ficaram a cargo de José Roberto “Branco”, Edson José Alves e Nailor Azevedo “Proveta”, diretor artístico da escola do Auditório. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , ,
29/10/2010 - 13:37

“Porgy and Bess” no Auditório Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Edson Júnior, especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

Jazz Sinfônica - foto Gerardo Lazzari

O clássico de George e Ira Gershwin poderá ser visto em apenas duas apresentações no auditório Ibirapuera: hoje – sexta (29) – e amanhã – sábado (30). “Porgy and Bess”, ambientada em uma cidade fictícia da década de trinta do século passado, conta a história do romance entre uma prostituta viciada em drogas  ( Bess) e um  deficiente físico ( Porgy).

A trama se desenrola numa atmosfera de intolerancia racial e preconceito étnico dos mais violentos, neste contexto os geniais e celebrados irmãos Gershwin se debruçam sobre o clássico, o jazz, blues, spirituals, elementos genuinamente afro-americanos e em 1935 os Estados Unidos ganhou uma obra universal.

A Jazz Sinfônica convidou o maestro Carlos Prazeres para reger a orquestra e quatro excelentes cantores : Edinéia de Oliveira – mezzo-soprano, Edna d’Oliveira –soprano, Sebastião de Oliveira –barítono,  e Geílson dos Santos – tenor -, para prestar sua homenagem aos compositores e à obra que é famosa no mundo todo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , ,
13/08/2010 - 11:12

Saravá Mario Adnet, Saravá Philippe , a benção Baden Powell

Compartilhe: Twitter

Edson Júnior, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Auditório Ibirapuera recebe "Afrosambajazz"

Afro Samba Jazz, um dos mais interessantes CDs lançados no ano passado, pelo  “bem casado”  da música brasileira, a  sofisticada  gravadora Biscoito Fino e que concorre ao prêmio da música Brasileira 2010  em duas categorias: melhor arranjador ( Mario Adnet e Phillippe  Baden Powell  ) e melhor disco instrumental, traz ineditismo e  repertório conhecido dos afrosambas.

Compostos pelo instrumentista Brasileiro Baden Powell ,  alguns com assinatura  de Vinicius de Moraes e Paulo César Pinheiro parceiros seus na incursão sobre o universo da religiosidade Afro-brasileira.

O projeto de Mario Adnet e Phillippe  Baden Powell  chega a São Paulo em show  único no auditório Ibirapuera no próximo sábado , 14 de agosto, 21h, com a presença de Mônica Salmaso ,convidada especial da récita e que também registrou sua participação no CD na faixa Canto de Yemanjá.

No repertório, todas as canções que integram o CD, serão interpretadas pela quase totalidade  dos músicos que participaram da gravação  , pode –se conferir o som incrível do baixo acústico de Jorge Helder , a percussão enigmática de Armando Marçal e o som metálico do trompete de Jessé Sadoc. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , ,
05/12/2009 - 16:18

Ná Ozzetti em apresentação única no Auditório do Ibirapuera

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

balagandãs“Silêncio, façam alas, ordem, respeito e nem um grito de bamba, quero os tamborins de grande gala que vai passar” a imperatriz do samba, parafraseando Waldemar Silva, compositor de Imperador do Samba, música que abre Balangandãs, show de Ná Ozzetti que tem apresentação única logo mais, 21h, no Auditório do Ibirapuera, convidamos nosso leitor da maneira mais respeitosa que esse espetáculo merece a não perder a única apresentação que ele terá.

Assisti, ainda no primeiro semestre do ano, a estréia de Balagandãs e recordo que Ná Ozzetti disse que o trabalho era fruto de uma admiração que nutria, desde sua juventude, por nossa “Imperatriz do Samba”, Carmen Miranda, e acendia refletores em composições menos comuns (se é que isso é possível!) do repertório interpretado no início da carreira da Brazilian Bombshell. A leitura dada por Ná nas músicas faz jus ao Prêmio Bravo! Prime 2009 de Melhor CD de MPB que Balangandãs traz em sua bagagem.

Além de Ná-Carmen sobem o palco os músicos-Bando da Lua (grupo que, por anos, seguiu Miss. Miranda) Dante Ozzetti, Mário Manga, Sérgio Reze e Zé Alexandre Carvalho, nesse show que traz canções de Assis Valente (Camisa Listada, Recenseamento), Synval Silva (Adeus Batucada, Ao voltar do samba), Ary Barroso (Na batucada da vida), Dorival Caymmi (A preta do acarajé) e Braguinha (Touradas em Madri), entre outros. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo