Publicidade

Publicidade

21/10/2010 - 14:02

Gaiato, “Bixiga, um Musical” é pura festa de congraçamento

Compartilhe: Twitter

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Revista musical mostra universo do bairro paulistano Bela Vista, vulgo Bixiga

SÃO PAULO – É tanta gente boa junta na coxia, no palco e no poço da orquestra de “Bixiga, um Musical”, que o crítico nem acreditou estar vendo uma revista musical à brasileira, feita por pessoas nem nascidas na fase áurea do gênero. Tudo em clima de feira da Achiropita, aproximando cordialmente as três diferentes raças que se aglutinaram no diminuto espaço geográfico chamado de Bixiga, na verdade um apelido de parte do oficial bairro Bela Vista. Tentando definir: Bixiga é um estado de espírito dos boêmios, dos sambistas e dos bons de garfo!

Nenhum aspecto desse bairro escapou do nobre projeto idealizado por Mário Masetti, juntando aprendizes e profissionais experientes das diversas áreas de uma encenação teatral, numa troca de conhecimento através de oficinas e pesquisas, muitas pesquisas. A proposta foi prontamente assimilada, supomos, na alta esfera da Secretaria do Estado da Cultura, pelos sintonizados agitadores culturais, Andrea Matarazzo e André Sturm.

Mário Masetti é figura bissexta nos palcos paulistas, embora jamais longe das lides artísticas. Em 1975, já na sua estréia com “Porandubas Populares”, que tinha também muito a ver com o universo humilde, mas, muitas vezes, agressivo do Bixiga, Masetti foi premiado como revelação de diretor pela APCA. Desta vez ele buscou como co-diretor o não menos premiado Carlos Meceni. Ambos comandaram, habilmente, a heterogênea multidão (200 pessoas) de colaboradores, extraindo, como se vê (e se ouve) no palco, o melhor de cada um. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , ,
Voltar ao topo