Publicidade

Publicidade

06/07/2012 - 18:53

Mistério Buffo traz jovens atores aos palcos paulistanos

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Misterio Buffo"

SÃO PAULO – Academia de Palhaços é um grupo formado por alunos da Unicamp que se formaram em 2010 e agora trazem à capital paulista Mistério Buffo, montagem contemplada pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo – Concurso de Apoio a Projetos de Produção e Espetáculo Inédito de Teatro. A direção é de Fernando Neves. Cenografia, Visagismo e Figurinos são assinados por Leopoldo Pacheco e Carol Badra. O texto, do dramaturgo Russo Vladimir Maiakóvski, foi adaptado para a realidade brasileira por Laíza Dantas.

Mistério Buffo é o resultado de uma pesquisa realizada sobre as técnicas do palhaço e o universo circense. A participação de Neves na produção é apropriada, visto que o ator e diretor é descendente da Família Neves, uma das mais tradicionais do circo-teatro brasileiro.

Na peça, os atores interpretam diversos personagens, demonstrando versatilidade. Cantam com competência e têm a tarefa de realizar trocas de roupas muito rápidas e transmitir à plateia a alegria do universo circense. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , ,
21/03/2012 - 23:04

Neyde Veneziano dirige LaMínima em comédia de Dario Fo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo" - foto de Carlos Gueller

SÃO PAULO – Duas potências no quesito teatro cômico brasileiro, a diretora Neyde Veneziano e a trupe LaMínima (que celebra 15 anos de existência), encontram-se a partir de amanhã juntas em peça do italiano Dario Fo (leia-se Fó), Mistero Buffo, no Teatro Popular do SESI.

Num didatismo agradável, o público – parte dele disposto em arquibancadas armadas no palco que torna-se semi arena e dá o tom de espetáculo circense – recebe os atores-saltimbancos da companhia LaMínima, Domingos Montagner e Fernando Sampaio, acompanhados pelo ator convidado Fernando Paz que apresentam o que o público assistirá aquela noite, além de dizer de onde vem esse estilo teatral que Mistero Buffo representa: mistérios medievais tratados em tom satírico colhidos e transformados por Fo.

Episódios encontrados nas sagradas escrituras, como a ressurreição de Lázaro, tomam no texto dimensões de ácida crítica social. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
21/03/2012 - 22:43

Leia entrevista com Neyde Veneziano

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo"

SÃO PAULO – Toda obra de arte que possui histórias bíblicas é contada de forma reverente, certo? Errado. Mistero Buffo, uma comédia em tom satírico de Dario Fo, ganhou adaptação de Neyde Veneziano para o grupo LaMínima e estreia sexta-feira (22) no Teatro do Sesi-SP (Avenida Paulista, 1313). Em cena, vinte personagens são desdobrados pela dupla Domingos Montagner e Fernando Sampaio, tendo como parceiro sonoro, no palco, o ator (e também palhaço) Fernando Paz, com Marcelo Pellegrini na direção musical. Neyde Veneziano assina a direção e tradução, esta última em parceria com André Carrico. Esta estreia abre as comemorações de 15 anos, completados em 2012, de criação do grupo LaMínima.

São quatro pequenas histórias, escritas por Fo com inspiração em passagens da Bíblia, mas que subvertem a seriedade do assunto através de uma linguagem repleta de gírias, dialetos e situações, que se mesclam à estética de Dario Fo e à do palhaço. Os quadros que compõem o espetáculo são A Ressurreição de Lázaro, O Cego e o Paralítico, O Louco e a Morte e O Louco aos pés da Cruz. Mistero Buffo faz parte das comemorações do Momento Brasil-Itália e é uma produção do SESI-SP. A direção musical é de Marcelo Pellegrini, com trilha sonora executada ao vivo pelo Fernando Paz, que leva ao palco seu trompete, viola caipira, cavaquinho e até um serrote, instrumento típico do repertório musical dos palhaços.

Leia abaixo entrevista que Neyde Veneziano concedeu ao Aplauso Brasil.

Aplauso Brasil – Como surgiu a sua paixão pela obra de Dario Fo?

Neyde Veneziano – Em 1988 recebi de uma amiga que voltava da Itália o texto Arlecchino, de Dario Fo. Naquele momento, eu estava fazendo um curso de pós sobre commedia dell´arte e dava aulas na UNICAMP. Resolvi montá-lo com os alunos do último ano. O espetáculo fez muito sucesso e se apresentou durante dois anos, ganhando vários prêmios. Quase 10 anos depois fiz um projeto de pós-doutoramento para a Itália, a fim de pesquisar Dario Fo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo