Publicidade

Publicidade

13/09/2011 - 21:27

CataDores: dois palhaços provocam reflexão

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplauso@gmail.com)

Paulo Gorgulho e Jairo Mattos, ao lado do maestro Marcello Amalfi, voltam a encenar o espetáculo de Cláudia Maria de Vasconcellos que conta a história de dois palhaços que questionam o sentido da vida

Até 9 de outubro o Teatro Eva Herz traz de volta à cidade a fábula CataDores, da premiada dramaturga da nova geração, Cláudia Maria de Vasconcellos, com direção de Jairo Mattos, que divide o palco com Paulo Gorgulho e o maestro Marcello Amalfi, que não só compôs a trilha sonora como participa em cena como um músico ambulante que tem diversos instrumentos grudados ao corpo e pontua o espetáculo.

Palhaços fazem rir, mas estes dois, mesmo maquiados e bem caracterizados, fazem o público refletir sobre a vida cotidiana e rotineira.

Desde a cena inicial a autora já dá o tom de sua fábula — que ela define como existencial para dois palhaços: o velho palhaço vivido por Paulo Gorgulho resolve extirpar as causas de suas dores, arrancando os calos, a corcunda, o bigode e troca os cabelos brancos por uma cabeleira negra. Vira um rapaz forte e bem disposto! Sua relação com o companheiro começa a modificar, mas eles continuam a caminhada, catando papéis pela vida.

Num cenário que lembra o circo (eles giram em círculo enquanto trabalham/vivem), não só os atos são repetitivos, mas os sentimentos e os pensamentos. A rotina da vida é reproduzida em cena e é exatamente essa rotina que num determinado momento o velho/novo palhaço questiona o amigo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , ,
Voltar ao topo