Publicidade

Publicidade

08/05/2012 - 17:59

Celso Frateschi protagoniza Processo de Giordano Bruno

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Processo de Giordano Bruno" - foto de João Caldas

Dirigido por Rubens Rusche, o espetáculo apresenta a trajetória do filósofo condenado à fogueira pela Inquisição

SÃO PAULO – A peça Processo de Giordano Bruno, do dramaturgo italiano Mário Moretti, apresenta momentos da vida do filósofo italiano que foi vítima da Inquisição, estreia nesta sexta-feira (11)o, às 21h, no SESC Vila Mariana. O personagem é vivido pelo ator Celso Frateschi.  Rubens Rusche é responsável pela direção e tradução do texto.

Processo de Giordano Bruno apresenta os últimos oito anos da vida do filósofo, astrônomo e matemático italiano, Giordano Bruno (1548-1600), o qual criou mais de 20 obras revolucionárias e que foi punido por defender que o universo é infinito e que a Terra girava em torno do Sol.

Para contar a história de Giordano Bruno, o autor Mário Moretti realizou minuciosa pesquisa dos processos dos tribunais da Inquisição de Veneza e Roma, o que dá as cenas um atrativo especial e faz um resgate histórico. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,
11/02/2012 - 12:32

Volksbühne e o teatro brasileiro

Compartilhe: Twitter

Manoel Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Volksbühne

SÃO PAULO – Neste brilhante artigo de Manoel Candeias, escrito pós temporada em Lisboa (Portugal) em estudos para sua tese de doutorado ele, ao assistir a um monólogo do grupo alemão Volksbühne, traça pertinente reflexão acerca da temática e modus operandi entre a companhia alemã e o teatro brasileiro, utilizando, inclusive, fatos recentes como a ocupação da Funarte e posições de grupos como o Oficina Uzyna Uzona para estimular a reflexão dos leitores.

Volksbühne e o teatro brasileiro

Em 2011 morei por oito meses em Lisboa, em decorrência de estudos que tive de fazer para meu doutoramento. Nesse período, assisti a montagens teatrais bastante diversificadas. Desde revistas feitas à moda tradicional, a trabalhos de grupo, dos quais destacaria o coletivo O Bando, cuja linguagem evidencia um longo trabalho de apuramento. No entanto, chamou-me atenção especial a apresentação que o grupo teatral alemão Volksbühne fez na capital portuguesa. Porque era artisticamente interessante, claro, mas, sobretudo, porque levantou questões que ganharam relevância para mim após alguns acontecimentos na cultura do Brasil, conforme comentaremos.

Comecemos pela montagem do Volksbühne

Ich schau dir in die Augen, gesellschaftlicher Verblendungszusammenhang! (traduzido como Olho-te nos olhos, contexto de ofuscação social!) é um espetáculo solo, escrito e dirigido por René Pollesch, protagonizado por Fabian Hinrichs, ator que esteve no elenco de algumas das montagens apresentadas pelo grupo no Brasil. Essas assinadas por Frank Castorf, diretor da companhia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, Multimídia Tags: , , , , , , ,
30/11/2011 - 20:28

O Grande Inquisidor agora no SESC Pompeia

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"O Grande Inquisidor" - crédito Águeda Amaral

SÃO PAULO – Sucesso de público e crítica, o espetáculo O Grande Inquisidor tem adaptação e direção de Rubens Rusche, cenografia e figurinos de Sylvia Moreira e traz à cena o ator Celso Frateschi. A montagem está de volta, dessa vez no SESC Pompeia.

“Recentemente, encenadores, como Patrice Chéreau e Peter Brook, entre outros, realizaram versões teatrais da obra com grande sucesso. O que nos inspira montar esse texto nos dias de hoje é sua pertinência poética e a contundência das questões que ele concretiza para o homem e para a sociedade do início do século 21. Talvez esta seja a sua contribuição para o teatro”, diz Celso Frateschi.

Sobre a construção de seu personagem, Frateschi detalha: “Busco a complexidade de suas relações e suas múltiplas possibilidades, para depois sintetizar, em ações essenciais, signos poéticos que possam estimular o prazer e a reflexão da plateia. O nosso Grande Inquisidor, feliz e infelizmente, é aquilo que está em cada um de nós e que, se ainda nos resta alguma esperança, repudiamos. É mais fácil vê-lo nos outros do que em nós mesmos, mas ele está em cada um de nós, passiva ou ativamente. Essa é a grande provocação de Dostoievski”. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , ,
04/11/2011 - 16:38

Sub-Pop-Ópera dos Mendigos faz sessões gratuitas

Compartilhe: Twitter

Adriano Silva,especial para o Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Escrito e dirigido por Celso Correia Lopes, musical é inspirado em obra de John Gay

GRANDE SÃO PAULO (ABC) – O espetáculo Sub-Pop-Ópera dos Mendigos tem estreia marcada para hoje no Teatro Lauro Gomes, em São Bernardo do Campo. O texto, escrito em 1.727 por John Gay, tem direção e adaptação de Celso Correia Lopes, indicado ao Prêmio Femsa de Teatro infantil 2008, e direção musical de Reinaldo Sanches. A peça tem foco na discussão social e marca o debut do grupo O Maravilhoso Escritório Teatral.

A trama, dividida em três atos, consegue perpassar por diversos assuntos  como o crime consentido, suas justificações e implicações morais, além da inversão de valores na sociedade atual.

“Não se trata de um programa cultural do mainstream e sim algo mais alternativo que incentiva a reflexão”, afirma Celso. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
03/10/2011 - 16:17

Fernanda Montenegro emociona Zé Celso

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

O ator, diretor e autor José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso

Deu no Blog do Zé Celso: Ao ser convidada pelo cantor, compositor e escritor brasileiro Eric Poète – que escreve um compêndio literário “com retratos biográficos de artistas brasileiros. Para isso pediu à Fernanda Montenegro um depoimento sobre a minha pessoa, e meu trabalho no Oficina Uzyna Uzona. A grande Dama da Arte do Poder do Teatro escreveu o texto que segue, ao qual eu respondo, também em seguida:”, escreveu, emocionado Zé Celso.

Entre os elogios que, CLICANDO AQUI, você lê na íntegra, a atriz escreveu que ”

A partir do Bexiga e do Oficina(esses espaços, no meu entender, são um só) o Zé se espraiou por muitas zonas e muitas gerações. Desse Bexiga, o Zé nos imprime o desassossego mais provocador, mais tonitruante, mais triunfante de São Paulo.

Nossa Grande Dama do Teatro, Fernanda Montenegro

O Oficina (o Zé) dá ao Bexiga a dimensão de seu amor à vida e projeta esse bairro à altura da Cidade e do País.

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , ,
17/12/2010 - 15:47

Oficina apresenta repertório e celebra “Teatro de Extádio”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (

"Taniko - O Rito do Mar" abre as "Dyonisíacas 2010"

)

Durante todo o ano de 2010, o grupo liderado por José Celso Martinez Corrêa, o Oficina Uzyna Uzona, viajou por sete capitais brasileiras realizando quatro peças de seu repertório –“Taniko – O Rito do Mar”, “Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!!”, “Bacantes” e “O Banquete” -, além de realizar oficinas e vivências artísticas, sendo todas as atividades gratuitas.

De volta a São Paulo, ou “Sampã” como denominam os “atuadores” (termo que define os intérpretes do Oficina) do grupo, lugar em que iniciaram as “Dyonisíacas em Viagem 2010” em maio deste ano, eles celebram o sucesso das viagens com direito a um tira-gosto do que será o Teatro de Extádio.

As oficinas oferecidas onde o grupo passou, chamadas Uzynas Uzonas, tiveram papeis fundamentais ao grupo. Além de servir como introdução ao sistema de trabalho do Oficina Uzyna Uzona, os oficineiros vivenciaram o trabalho da trupe liderada por Zé Celso participando como coreutas nos espetáculos apresentados.

Segundo a atriz Camila Mota, que faz parte da diretoria do grupo, essas oficinas gratuitas, seguidas das participações dos oficineiros nos espetáculos, resultaram em experiências bastante ricas, tanto para eles quanto para os atuadores do Oficina Uzyna Uzona. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , ,
28/06/2010 - 14:01

Alberto Guzik escreveu sobre os 50 anos do Teatro Oficina

Compartilhe: Twitter

O queridíssimo Alberto Guzik

Tive a honra de contar com a participação de Alberto Guzik nos primórdios do Aplauso Brasil, e, numa humilde homenagem de quem admira e se desespera com a impressão de que podia fazer mais, re-publico o que, considero uma pérola, dentre tantas que produziu, em que escreveu sobre os 50 anos do Teatro Oficina. Evoé, Alberto!

Zé Celso: Trajetória de coerências e inquietações

Alberto Guzik, especial para o Aplauso Brasil

Ver os trabalhos de Zé Celso Martinez Correa tem sido para mim, como para muitos outros espectadores, ao longo dos últimos quarenta e tantos anos, um caminho de aprendizado traçado na coerência.

O projeto que, desde sua criação – em fins dos anos 1950 – na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, vem sendo executado pelo teatro Oficina e por seu mentor, Zé Celso (José Celso Martinez Corrêa), impressiona pela organicidade que extrai da diversidade. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , ,
19/05/2010 - 14:35

Ultrapassados ou não?

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

O ator Celso Frateschi comemora 40 anos de carreira no monólogo "O Grande Inquisidor"

Alguns espectadores que saem do Teatro Bibi Ferreira discutem se A Dança Final está ultrapassada ou não. Tudo por conta do Viagra. Em primeiro lugar a peça em cartaz no momento, com as maravilhosas interpretações de Denise Weinberg e Norival Rizzo, foi escrita por Plínio Marcos em 1993 e re-escrita em 2002, para a primeira montagem dirigida por Kiko Jaez, onde se incluía o Viagra que o protagonista não podia tomar.

O espetáculo atual se baseia no texto de 1993 e não inclui o medicamento propositadamente, pois menciona que alguém do mesmo prédio não podia tomá-lo por ser diabético. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
29/04/2010 - 10:48

Zé Celso e Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona esquentam os motores para o Festival Dionisíacas em Viagem

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

TANIKO abre o FESTIVAL DIONISÍACAS EM VIAGEM

Com espetáculos e oficinas, o grupo Oficina Uzyna Uzona, liderado por José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, esquenta os motores a partir de hoje com apresentações – apenas duas semanas – das peças que compõe o repertório do Festival Dionisíacas em Viagem que percorrerá oito estados brasileiros, sendo a primeira delas Taniko, um clássico do nô japonês, com abela interferência “bossa-nova”, dada por Zé Celso.

Será a primeira turnê, em mais de 50 anos de Oficina, em viagem com quatro espetáculos de seu recente repertório – Taniko, Bacantes, Cacilda!! – Estrela Brazyleira à Vagar e O Banquete de Platão – em que o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona e oficinas de troca. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
17/03/2010 - 00:40

Leitura de Adeus Doutor no Sesc Santana

Compartilhe: Twitter

Zé Celso e Bete Coelho leem ADEUS DOUTOR, sob direção de Ricardo Bittencourt

Nesta terça-feira, dia 17, acontece a leitura de Adeus Doutor. Dirigida por Ricardo Bittencourt, a peça se estrutura em torno de dois personagens principais: o Doutor, o grande psicanalista francês Jacques Lacan, e Seriema, sua paciente brasileira.

Com autoria de Betty Milan, Adeus Doutor narra a viagem de Seriema à França e o seu retorno ao Brasil. A leitura da peça será no Sesc Santana, às 21h, e a entrada é franca.

O quê: leitura da peça Adeus Doutor

Local: Sesc Santana – SãoPaulo-SP

Horário: 21h

Entrada franca

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo