Publicidade

Publicidade

07/08/2012 - 13:24

As Polacas – As Flores do Lodo estreia em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"As Polacas - Flores do Lodo", texto e direção de João das Neves

SÃO PAULO – A montagem As Polacas – As Flores do Lodo cumpriu temporada carioca no CCBB do Rio de Janeiro e entra em cartaz no SESC Ipiranga, em São Paulo. A estreia é neste sábado (11), às 21 horas. João das Neves assina o texto e a direção.

No palco, 13 atores contam a história de prostitutas judias e negras do Leste Europeu (polacas) que chegam ao Brasil fugindo da fome e da perseguição religiosa.  Em sua maioria, são aliciadas pela rede Zwi Migdal, de tráfico de mulheres e são obrigadas a se prostituirem.

Aqui no Brasil enfrentam o preconceito da comunidade judaica e das prostitutas locais. Para lutar contra a discriminação e promover a cultura e a religião judaica em nosso país, as polacas fundam uma associação e constroem um cemitério. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , ,
13/07/2012 - 20:18

Humor e elegância são manipulados com exatidão em comédia dirigida por Jô Soares

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Atreva-se" - foto de Priscila Prade

SÃO PAULO – A elegância das mansões soturnas, lares de seres ambíguos e cercados por mistério, sai das telas de cinema, sobretudo dos filmes noir que fizeram história na década de 1940, e ganham contornos farsescos na hilária comédia Atreva-se, de Maurício Guilherme, sob primorosa direção de Jô Soares, em cartaz no Teatro das Artes (Shopping Eldorado).

Uma música cheia de pompa, feito aquelas que, no cinema, anunciam que a película vai começar, é a deixa para que a personagem de Mariana Santos, uma espécie de lanterninha que conduz  a história, com seus flashbacks que darão o sentido final da trama, conquiste a cumplicidade da plateia.

Mariana conduz com segurança, agilidade de raciocínio, carisma e talento insuspeitos que demonstram que a comédia, pelo menos a de maior gabarito, é alicerçada pelo saudável exercício da razão. E os elementos que mesclam a espinha dorsal desta ficção de Maurício Guilherme mixados  aos fatos cotidianos e a interação da atriz com a plateia exigem a participação ativa do espectador que, certamente, diverte-se bastante.

Os excelentes atores-comediantes Marcos Veras, Júlia Rabello e Carol Martini completam o elenco de Atreva-se, dando vida aos personagens que percorrem os diferentes períodos da trama. Será que tais personagens tem, entre si, alguma ligação? Será que as historias das pessoas que viveram na mansão tem conexão? Será que os vivos e os mortos realmente são o que são? Essas perguntas deixo a você, leitor que tiver o privilegio de assistir a este espetáculo, o sabor de descobrir as respostas.

Só adianto que Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , , , , , ,
11/06/2012 - 17:14

Abertas inscrições para a 11ª edição do EncontrArte

Compartilhe: Twitter

Estão abertas as inscrições para os grupos de teatro que desejem participar da 11ª edição do EncontrArte, encontro de artes cênicas programado para ocorrer entre 22 de setembro e 1º de outubro na baixada fluminense.

Interessados em ler o edital e em inscrever-se CLIQUE AQUI para saber mais.

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Notas e Oportunidades Tags: , , , , ,
26/05/2012 - 00:38

Escritório das Artes anuncia montagem de Ricardo III protagonizada por Leonardo Brício

Compartilhe: Twitter

Marco Antonio Rodrigues dirige texto de Shakespeare

SÃO PAULO – Sob direção de Marco Antonio Rodrigues , diretor da aclamada montagem de Otelo, com o grupo Folias D’ Arte, o Escritório das Artes – que, recentemente, produziu Casting, A Tempestade e Romeu e Julieta – soltou hoje o flyer de divulgação de sua nova empreitada, seu terceiro Shakespeare: Ricardo III que será protagonizado pelo ator Leonardo Brício.

Paulo Goulart Filho, Nicolas Trevijano, Heitor Goldflus e Fernando Nitsch também estão no elenco; Davi de Brito e Vânia Jaconis assinam a iluminação; o cenário fica à cago de Ulisses Cohn e os figurinos são de Beth Filipeck e Renaldo Machado. É esperar para conferir.

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , ,
14/05/2012 - 13:52

Adriane Galisteu e Lúcia Veríssimo celebraram o Dia das Mães no teatro

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Elenco e diretor de "Uma Mulher do Outro Mundo"

SÃO PAULO – O final da temporada é no próximo dia 29, mas a sessão de ontem da peça Uma Mulher do Outro Mundo, do autor inglês Noel Coward, dirigida por Alexandre Reinecke, em cartaz no Teatro das Artes, teve sabor de comemoração.

No Dia das Mães estavam presentes na plateia as mães de Adriane Galisteu e Lúcia Veríssimo que, ao lado de Jairo Mattos, Iara Jamra, Márcio de Luca e Dani Mustafci, formam  o elenco do espetáculo.

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
04/05/2012 - 18:52

A Mecânica das Borboletas retrata conflito entre irmãos

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"A Mecânica das Borboletas" - foto de Guga Melgar

Eriberto Leão e Otto Júnior são os gêmeos Rômulo e Remo que assumem posturas opostas na vida e 20 anos depois precisam fazer um acerto de contas. Suzana Faíni e Ana Kutner completam o elenco da peça de Walter Daguerre dirigida por Paulo de Moraes


SÃO PAULO – O argumento de A Mecânica das Borboletas, em cartaz no Teatro Anchieta (SESC Consolação), nasceu depois que o dramaturgo Walter Daguerre passou uma temporada numa fazenda gaúcha em que os afazeres eram somente os rurais e campestres, nada da vida urbana e tecnológica. estes opostos (urbano/rural, digital/analógico) motivaram o autor a criar os gêmeos Rômulo e Remo, interpretados respectivamente por Eriberto Leão e Otto Júnior, que encarnam ideais de vida opostos e ao mesmo tempo muito próximos e inconciliáveis: a liberdade que o mundo oferece e a responsabilidade em cuidar da família.

Rômulo deixa o lar e se aventura pelo mundo, tornando-se um escritor de sucesso; já Remo assume a oficina mecânica deixada pelo pai após sua morte, casa-se e cuida da mãe, que ficou perturbada com tantas perdas. A volta do filho pródigo provoca atritos e uma reviravolta no destino de toda a família. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
22/03/2012 - 19:41

Até hoje no SESC Vila Mariana

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Cia. Palácio das Artes comemora 40 anos com "Tudo Que se Torna um"

O espetáculo comemora os 40 anos da Cia de Dança do Estado de Minas Gerais. Com direção artística de Sônia Mota, traz 23 bailarinos em cena, luz de Pedro Pederneiras, figurino de Fábio Namatame, cenário de Felippe Crescenti e trilha sonora de Daniel Maia. A montagem ganhou o Prêmio SESC/SATED 2011 de Melhor Trilha Original e figurino

SÃO PAULO – Passagem do tempo, celebração, luto, memória e transição. Esses são alguns temas abordados no espetáculo de dança contemporânea Tudo que se Torna Um, na nova montagem da Cia. de Dança Palácio das Artes, de Belo Horizonte, que se apresenta até hoje, às 21 horas, no Teatro do SESC Vila Mariana.

Realizado pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, com a parceria do SESC São Paulo, o espetáculo tem a direção deSônia Mota, diretora artística da Cia. desde 2010, e integra a programação de comemoração dos 40 anos do grupo. O espetáculo venceu o Prêmio SESC/SATED 2011 de Belo Horizonte de melhor trilha sonora original, composta por Daniel Maia e melhor figurino de Fábio Namatame. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, Multimídia Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
22/03/2012 - 13:09

Adriane Galisteu é Uma Mulher do Outro Mundo

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Elenco e diretor de "Uma Mulher do Outro Mundo"

SÃO PAULO – Uma Mulher do Outro Mundo, escrita em 1941 pelo dramaturgo inglês Noël Coward, é inédita no Brasil e tem produção de Ecilia Mutzenbecher, quem administra o Teatro das Artes, local em que as apresentações da comédia protagonizada por Adriane Galisteu começam amanhã.

Ecilia viu Uma Mulher do Outro Mundo na Broadway e vislumbrou seu sucesso aqui no Brasil: “O texto tem tudo a ver com o Brasil, pois é uma comédia alegre, simpática e trata de temas atemporais¨, afirma a produtora.

Toda a equipe técnica e o elenco foram convidados pela produção. Além de Adriane Galisteu, Jairo Mattos, Lúcia Veríssimo e Iara Jamra, a atriz Dani Mustafci interpreta Edith, a empregada, e o ator Marcio de Luca faz o papel do Dr. Bradman, amigo da família.

Com o intuito de obter informações para um novo livro, o escritor Charles Condomine (Jairo Mattos) e sua segunda esposa, Ruth (Lúcia Veríssimo), convidam uma médium, Madame Arcati (Iara Jamra), para jantar e realizar uma sessão espírita.

Madame Arcati se revela possuidora de reais poderes e por não ter controle sobre eles, ela acaba trazendo do ¨além-túmulo¨ a primeira esposa de Charles, Elvira (Adriane Galisteu). Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
01/03/2012 - 15:26

João Candido Portinari: “É a melhor peça de teatro que já vi em toda a minha vida”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Nise da Silveira". Com Mariana Terra. Foto de Rafael Viana

SÃO PAULO – Certa vez, em alguma entrevista coletiva perdida na memória, um ator afirmou que o público de teatro paulistano é mais exigente que de outras praças brasileiras. Sendo assim, o espetáculo Nise da Silveira – Senhora das Imagens, de Daniel Lobo, tem motivos de sobra pra celebrar a temporada no Teatro Eva Herz cujas apresentações, sempre lotadas, recebem acalorados aplausos de uma emocionada plateia.

Com exata performance de Mariana Terra, senhora dos mais preciosos instrumentos dos artesão do palco: corpo, voz, inteligência e carisma, o solo ganha projeção multiplicada com visíveis recursos de plena consciência corporal e uma sinfonia vocal que dá tons e nuances diferentes a cada um dos personagens que contam a sublime trajetória da Dra. Nise da Silveira, uma das primeiras mulheres a se formar em medicina e que enveredou para o serviço psiquiátrico. Discípula de Jung , libelo da Liberdade, ela disse não ao eletro-choque, prática adotada nos hospitais psiquiátricos públicos, e introduziu a arte, especificamente a pintura, como terapia aos doentes mentais, fundando o Museu de Imagens do Inconsciente, entre tantos outros feitos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Dança, Música e Cinema, Matérias Tags: , , , , , , , , , , ,
14/02/2012 - 23:00

Uma grande revolução pacífica

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Nise da Silveira". Com Mariana Terra. Foto de Rafael Viana

SÃO PAULO – É certo que as revoluções provocadas por descobertas científicas costumam ser pacíficas. É o caso da comandada por Nise da Silveira em matéria de psiquiatria. Como é sabido, os remédios para as psicoses são recentes ainda mais os que se dedicam à esquizofrenia – que têm cerca de dez anos. No século XIX usavam-se drogas como o absinto, entre outras. Bem melhor do que anteriormente, quando a internação era definitiva. No século XX, em casos de crise grave os médicos utilizavam choque elétrico.

Doutora Nise, uma alagoana que viveu de 1905 a 1999, inconformada com a situação, criou centros de para terapia através das artes. Com um grande sucesso,transformou o espaço onde eram mantidas as obras de seus pacientes num museu no Rio. Chama-se Museu de Imagens do Inconsciente e além de funcionar com tratamento chegou a formar artistas que se destacaram como Arthur Bispo do Rosário que obteve prestígio até fora do país.

Em 2002, a médica foi a protagonista da peça Anjo Duro, de Luiz Valcazaras, com Bertha Zemel premiada no papel. O artista plástico também foi retratado pelo teatro numa peça intitulada Bispo. Foram excelentes espetáculos e mesmo quem viu e gostou deve comparecer ao Teatro Eva Herz da Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

Nise da Silveira, Senhora das Imagens tem enfoque sobre detalhes da vida pessoal da psiquiatra, os quais não foram assuntos das outras montagens, sem deixar de dar a ela o valor profissional que ela teve. Escrita e dirigida por Daniel Lobo tem leveza jovial e modernidade no estilo da bela e jovem intérprete que esbanja dança com coreografia de ninguém menos do que Ana Botafogo. Ela é Mariana Terra e tem grande possibilidade de tornar seu assunto mais próximo de quem nunca ouviu falar dela e desconhece a questão da psiquiatria. Excelente! Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo