Publicidade

Publicidade

01/08/2012 - 22:44

Um delicioso chá de maçã pode reservar desagradáveis surpresas em Serpente Verde Sabor Maçã

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Serpente Verde Sabor Maçã"SÃO PAULO – Serpente Verde Sabor Maçã, de Jô Bilac e Larissa Câmara, apresenta a loucura da Senhora G, que mata as suas visitas se estas lhe parecem portadoras de um caráter duvidoso. Depois de temporada na capital paulista e viagens por cidades do interior, através do projeto SESI Viagens Teatrais 2012, a peça fica em cartaz nos Parlapatões entre sexta-feira (3) e 22 de agosto.

As vítimas são pessoas interessadas na compra da casa em que Senhora G reside. Nenhum personagem é totalmente bom ou mau. Aos poucos eles vão expondo as suas qualidades e defeitos.

A anfitriã, Senhora G, considera que está fazendo um favor á humanidade quando elimina um ser abominável. Ela decide quem vive, quem é bom ou mau, e se sente importante pelo poder que detém sobre o destino dessas pessoas: se escolher o chá do bule prateado o envenenamento, do contrário a pessoa ainda tem uma chance de sobreviver.

Num tom expressionista e de humor negro, a peça transcorre com humor.A cada momento em que a Senhora G vai servir o chá há o suspense: mais um assassinato? Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, DESTAQUE Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
19/07/2012 - 07:19

Vida & Obra de um Tipo à Toa: um retrato do universo masculino

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Nova comédia de Mário Viana está em cartaz no Espaço dos Parlapatões

Novo texto de Mario Viana acaba de estrear no Espaço Parlapatões e mostra o conflito entre o escritor e seu personagem, o biógrafo e o biografado. Daniel Alvim assina a direção e divide o palco com Maurício de Barros

SÃO PAULO – Fina ironia e humor inteligente aliados a uma reflexão sobre a vida do homem contemporâneo. Esta é a proposta de Vida & Obra de um Tipo à Toa, peça inédita do dramaturgo, escritor e jornalista Mario Viana que estreou na última sexta-feira, no Espaço Parlapatões. Daniel Alvim está com dupla função neste projeto: além de assumir a direção, interpreta o escritor João, que tem como meta escrever a biografia de um homem, não um herói ou alguma personalidade importante, mas um cidadão comum, que frequenta a academia, o boteco, o futebol, as festas familiares e os encontros com os amigos para uma cervejinha.

Zezo, vivido por Maurício de Barros, é o escolhido, pois reúne estas características, ou seja, vive como a maioria dos homens de hoje em dia, é o típico homem comum.

A relação do biógrafo e do biografado é o que move a trama criativa e reflexiva de Viana. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , ,
10/07/2012 - 23:54

Daniel Alvim dirige e atua em comédia de Mário Viana

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – Vida e Obra de Um Tipo à Toa, de Mario Viana, traz aos palcos paulistanos os atores Daniel Alvim e Maurício de Barros. Leopoldo Pacheco assina a cenografia e o figurino.  Estreia nesta sexta-feira (13), no Espaço Parlapatões.

O texto de Viana fala do encontro de dois homens numa academia de ginástica. João é escritor e quer escrever a biografia de seu colega Zezo, que acha a sua vida muito banal para ser transformada em livro. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , ,
07/06/2012 - 18:29

Elenco de Slavianski Baazar surpreende

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Daniel Morozetti e Gisa Guttervil em "Slavianski Bazaar"

SÃO PAULO – É assim com boa parte dos textos atuais. As personagens em alguns momentos creem que tiraram suas dúvidas e adquiriram certezas definitivas para, repentinamente, não saberem de nada  mais. Será que a TV é pior que o teatro ou ao contrário, devo trocar de par? Um retrato desses eternos conflitos é a peça Slavianski Bazaar, de Beto Bellini. E se o texto prende a atenção a encenação realmente encanta. É o próprio autor que dirige e deu certo.

É uma montagem com doze ótimos atores: Gisa Guttervil, Camilla Camargo, Daniel Morozetti, Heitor Saraiva, Ruy Andrade, Maria Carolina Mossele, Joana Pegorari, Danilo Amaral, Lilian Prado, Mateus Simões, Raquel Rosarouge, Ednor Messias. Estão citados por ordem de entrada. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, DESTAQUE Tags: , , , , , , , , , , , ,
01/06/2012 - 22:43

O Belo Indiferente agora no Espaço dos Satyros Um

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Djin Sganzerla em "O Belo Indiferente" - foto André Guerreiro Lopes

SÃO PAULO – O Belo Indiferente, do francês Jean Cocteau, sucesso de público e crítica, traz aos palcos a atriz Djin Sganzerla para contar a história da paixão entre uma cantora e seu amante, sob direção de André Guerreiro Lopes em parceria com Helena Ignez, mãe de Djin. A re-estreia será dia 2 de junho, sábado, às 21 horas, no Espaço dos Satyros Um.

O Belo Indiferente é um monólogo com dois personagens: Ela e Ele.  Apresenta a história de uma cantora que está à espera de seu amante, Emílio (Dirceu de Carvalho), num quarto de hotel. Como ele está demorando a chegar, ela fica aflita e tenta encontra-lo telefonando a amigos.

Quando finalmente Emílio chega, deita-se na cama, lê o jornal e está aparentemente alheio à mulher que está à sua frente e tenta, de todas as maneiras, chamar a sua atenção e não se abala mesmo quando o seu amor recebe um telefonema de outra mulher, provavelmente sua amante. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
23/05/2012 - 22:43

Cia. Teatro da Cidade abre processo de criação

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com

Ano passado, a companhia que é dirigida por Claudio Mendel,estreou "Um Dia Ouvi a Lua"

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – O autor russo Antón Chekov (1860-1904), um dos principais nomes da dramaturgia mundial, terá sua vida e obra (além de obras-primas como as peças A Gaivota e As Três Irmãs, escreveu centenas de contos) como tema de pesquisa da Cia. Teatro da Cidade, de São José dos Campos, que, graças ao apoio do SESC, realiza, até o dia 12 de agosto, uma série de palestras e oficinas abertas ao público objetivando compartilhar o processo de criação.

Completando 22 anos de idade, a Cia. De Teatro da  Cidade traz o projeto Almas Abaixo de Zero que terá a orientação teórica da professora russa Elena Vássina para a criação de cenas, cuja dramaturgia final será de Samir Yazbek.

É possível acompanhar o trabalho do grupo através do blog http://doc-tchecov.blogspot.com.br/.

Maio

Palestras

22 – “A Obra de Anton Tchekhov e o teatro contemporâneo”, com Elena Vássina

29 -“A cenografia para as encenações de Anton Tchekhov”, com Fausto Viana

Horário das palestras: 19h

Oficina

Paisagens sonoras, com Beto Quadros

Dias 26 e 27 (sábado e domingo)

Horário: das 14h às 18h

20 vagas

Junho

Palestra

12 – “O Universo de Tchekhov e a dramaturgia”, com Samir Yazbek

Horário: 19h

Agosto

Oficina

Criação Atoral, com Claudio Mendel e atores da Cia Teatro da Cidade

Dias 11 e 12 (sábado e domingo)

Horário: das 14h às 18h

Serviço:

Almas Abaixo de Zero

Abertura de processo de pesquisa e montagem de novo espetáculo da Cia Teatro da Cidade sobre vida e obra de Anton Tchekhov.

SESC – av. Adhemar de Barros, 999. São José dos Campos/SP.

Telefone para informações: (12) 3941-7631

www.ciateatrodacidade.com.br

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , ,
09/03/2012 - 20:37

Excesso e superficialidade marcam Os Sete Gatinhos

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Renato Borghi e Elcio Nogueira Seixas são convidados especiais do Círculo dos Canastrões

SÃO PAULO – Ao mesmo tempo que um grande êxito, caso de Luís Antonio Gabriela, representa um prazer indizível a seus criadores, as exigências de um novo trabalho da equipe – ou, no caso de Os Sete Gatinhos, do diretor, Nelson Baskerville – responsável pelo êxito é mais rigorosa. Portanto, a concepção de Baskerville, está bastante aquém de outros trabalhos assinados pelo autor (como os espetáculos exemplarmente dirigidos por Antunes Filho), pecando pelo excesso de referências que afogam o espetáculo na superfície.

Os textos escritos pelo “bardo carioca” não precisam de re-escrituras cênicas para expressarem os intrínsecos valores arquetípicos que se escondem nas camadas mais subterrâneas do texto, ao contrário,  excessos plásticos, referências desnecessárias, entre outros, acabam por ocultar o sumo da peça: o desmoronamento de uma família que apostou tudo – dinheiro inclusive – na pureza da filha/ irmã mais jovem para redimir essa degradada instituição familiar. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
02/02/2012 - 17:00

Cia. Imaginários volta aos dramas kafkanianos

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – Baseado na obra A Metamorfose, de Franz Kafka, a Cia. dos Imaginários volta com a peça Niklasstrasse, 36, sábado (4), às 21 horas, no Teatro Commune. A trama tem a direção de René Piazentin, responsável também pela adaptação do texto e  direção de arte.

Em cena, os personagens vividos pelos atores Aline Baba, Camila Nardoni, Luana Frez, Lucas Pinheiro e Mariana Viana revezam-se no papel de narradores da história.

“Uma nova temporada é sempre uma oportunidade para revisitar o próprio trabalho, especialmente quando ela não ocorre logo em seguida à primeira. É uma chance não só de levar a público novamente o trabalho, mas de olhá-lo com outro frescor. Como a temporada no Teatro Cacilda Becker foi curta, muitos nos perguntaram sobre a peça, achando que ela ainda estava em cartaz e acabaram perdendo a oportunidade de assistir. Esperamos que agora mais pessoas possam conhecer Niklasstrasse, 36“, diz o diretor. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , ,
27/12/2011 - 15:36

Razões Inversas celebra 21 anos apresentando seu repertório

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Agreste" - Cia. Razões Inversas

SÃO PAULO – Uma das mais premiadas companhias teatrais do Brasil, a Cia. Razões Inversas, criada pelo diretor Marcio Aurelio e pelo ator Paulo Marcello, celebra seus 21 anos, ou seja, sua maioridade, apresentando quatro espetáculos de seu repertório que marcaram a trajetória da companhia. A partir de 07 de janeiro, o Espaço Parlapatões receberá as montagens A Bilha Quebrada, Agreste, A Ilusão Cômica e Anatomia Frozen. Os espetáculos serão apresentados até o dia 24 de março, com sessões sempre de terça a domingo.

Mostra

No mês de janeiro, o palco dos Parlapatões receberá os espetáculos durante a semana da seguinte maneira: Agreste, terças e quartas (21h); A Ilusão Cômica, quintas e sextas (21h) e aos sábados (21h) e domingos (20h), A Bilha Quebrada. Já Anatomia Frozen será apresentada aos sábados, à meia-noite.

Marcio Aurelio (centro) e elenco "A Ilusão Cômica" foto Denise Braga.

A partir de fevereiro, até o final da mostra, haverá uma mudança na grade: Agreste e A Bilha Quebrada passam a ter uma única sessão por semana, terças e quartas, respectivamente, e A Ilusão Cômica será às quintas e sextas (21h). Nesse mesmo período, a mostra da Razões Inversas divide espaço com os espetáculos dos Parlapatões aos finais de semana, mantendo Anatomia Frozen à meia-noite.

PROGRAMAÇÃO

A BILHA QUEBRADA

Foi o espetáculo que projetou a companhia na cena teatral de São Paulo, em 1993, recebendo três indicações para o Prêmio Shell , uma indicação para o prêmio Mambembe e duas outras para o APETESP. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,
04/11/2011 - 16:38

Sub-Pop-Ópera dos Mendigos faz sessões gratuitas

Compartilhe: Twitter

Adriano Silva,especial para o Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Escrito e dirigido por Celso Correia Lopes, musical é inspirado em obra de John Gay

GRANDE SÃO PAULO (ABC) – O espetáculo Sub-Pop-Ópera dos Mendigos tem estreia marcada para hoje no Teatro Lauro Gomes, em São Bernardo do Campo. O texto, escrito em 1.727 por John Gay, tem direção e adaptação de Celso Correia Lopes, indicado ao Prêmio Femsa de Teatro infantil 2008, e direção musical de Reinaldo Sanches. A peça tem foco na discussão social e marca o debut do grupo O Maravilhoso Escritório Teatral.

A trama, dividida em três atos, consegue perpassar por diversos assuntos  como o crime consentido, suas justificações e implicações morais, além da inversão de valores na sociedade atual.

“Não se trata de um programa cultural do mainstream e sim algo mais alternativo que incentiva a reflexão”, afirma Celso. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo