Publicidade

Publicidade

22/12/2011 - 02:17

Jarbas Homem de Mello introduz estética Dzi Croquettes

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em "Cabaret"

SÃO PAULO – Naturalmente os Deuses do teatro abençoaram a atual montagem de Cabaret, musical de Joe Masteroff, dirigido por José Possi Neto, em que tudo é orquestrado com maestria. E, para estar à altura da exuberante interpretação de Claudia Raia para Sally Bowles, Jarbas Homem de Mello, o MC (Mestre de Cerimônias), enfrentou desafio maiúsculo em sua carreira e o resultado superou a dificuldade: o ator imprime ao personagem um tom andrógino que nos remete à estética dos Dzi Croquettes.

A leitura da peça por José Possi Neto, aliás, é plena de referencias ao estilo do Dzi Croquettes, grupo de dança-teatro nascido nos anos 1970 e formado por atores-bailarinos ou vice-versa cujas características principais, registradas magnificamente no documentário homônimo de Tatiana Issa e Raphael Alvarez, são, além da sátira ao status político atual (no caso de Cabaret, à figura de Hitler que estava em ascensão) e ao travestimento  (os saltos altos usados pelos bailarinos do KitKat Club), a plástica sensual e ousada que os Dzi Croquettes – representantes natos da contracultura – utilizavam, colocando a virilidade de corpos masculinos em situações referentes a um universo homossexual de uma Berlim em que se podia ser o que se era.

A concepção de Jarbas está, pois, prenhe dessa androginia e, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , , ,
05/07/2010 - 18:09

Dzi Croquettes chega aos cinemas

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Dzi Croquettes, os internacionais

“Eu não sabia direito o que eles eram. Na minha visão de criança eles eram palhacinhos”. Estas são as falas iniciais do documentário sobre o revolucionário grupo de teatro-dança Dzi Croquettes – O Documentário, dirigido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez que, felizmente, chega, agora, dia 16 de julho aos cinemas brasileiros.

Tatiana criou o filme a partir de sua memória afetiva. Quando criança ela, junto de seu pai, o cenógrafo Américo Issa, conviveu com a trupe.  Portanto, recuperar a história da companhia é, também, recuperar a história de Américo, que foi um cenógrafo importante do teatro brasileiro.

O Dzi Croquettes era formado pelos seguintes artistas: Lennie Dale, Wagner Ribeiro, Cláudio Tovar, Cláudio Gaya, os irmãos Rogério de Poly e Reginaldo de Poly, Bayard Tonelli, Paulo Bacellar, Benedictus Lacerda, Carlos Machado, Eloy Simões, Roberto Rodrigues e Ciro Barcelos. Essa foi a formação original do grupo. Depois, nomes como Dario Menezes, Fernando Pinto e Jorge Fernando farão parte da companhia.

Deles, estão vivos apenas Tovar, Reginaldo, Bayard, Benedictus, Ciro, Jorge e Dario. Isso foi um dos fatores que dificultou o trabalho de Tatiana e Raphael para a realização do filme, a falta de material sobre as encenações do grupo e a ausência da maior parte dos seus integrantes.

No livro Ela é Carioca, o escritor Ruy Castro fala de uma maldição que aconteceu ao grupo, o fato de a maior parte dos integrantes terem morrido precocemente.

Eles surgiram no momento mais violento do regime militar brasileiro. A obra de Tatiana e Raphael contextualiza bem essa época com depoimentos de Ney Matogrosso, Aderbal Freire Filho, Elke Maravilha, entre outros. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
05/07/2010 - 18:01

Assista ao clipe do documentário Dzi Croquettes

Compartilhe: Twitter

De Tatiana Issa e Raphael Alvarez
<a href="“>

Autor: - Categoria(s): Multimídia Tags: , , ,
14/12/2009 - 12:14

Documentário recupera a história das fabulosas Dzi Croquettes

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

<i>Dzi Croquettes</i>, os internacionais

Dzi Croquettes, os internacionais

 

DZI! DZI! Croquettes

, as internacionais. Este era o grito de guerra do grupo de teatro-dança, que trouxe importantes modificações para a cena artística brasileira, mas cuja importância havia sido esquecida pela nossa história. Agora, os bravos Tatiana Issa e Raphael Alvarez nos trazem este presente que é o documentário Dzi Croquettes, onde através de depoimentos dos que trabalharam com eles ou foram influenciados pela estética do grupo, além das poucas imagens em vídeo das apresentações da trupe é feito o resgate da trajetória das fabulosas Dzi.

 O Dzi Croquettes era formado pelos seguintes artistas: Lennie Dale, Wagner Ribeiro, Cláudio Tovar, Cláudio Gaya, os irmãos Rogério de Poly e Reginaldo de Poly, Bayard Tonelli, Paulo Bacellar, Benedictus Lacerda, Carlos Machado, Eloy Simões, Roberto Rodrigues e Ciro Barcelos. Essa foi a formação original do grupo. Depois, nomes como Dario Menezes, Fernando Pinto e Jorge Fernando farão parte da companhia.

Deles, estão vivos apenas Tovar, Reginaldo, Bayard, Benedictus, Ciro, Jorge e Dario. Isso foi um dos fatores que dificultou o trabalho de Tatiana e Raphael para a realização do filme, a falta de material sobre as encenações do grupo e a ausência da maior parte dos seus integrantes. No livro Ela é Carioca, o escritor Ruy Castro fala de uma maldição que aconteceu ao grupo, o fato de a maior parte dos integrantes terem morrido. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo