Publicidade

Publicidade

06/04/2012 - 15:00

Pernambucanos do Coletivo Angu em busca de uma poética da cena

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Coletivo angu de Teatro apresenta "Essa febre que não passa"

CURITIBA – De volta ao Festival de Curitiba, dessa vez na Mostra Oficial, o grupo pernambucano Coletivo Angu de Teatro busca nos contos da jornalista conterrânea Luce  Pereira, que estão no livro Essa febre que não passa, homônimo ao espetáculo, o material para a peça que aborda o universo feminino. Com o espetáculo, a trupe deseja estabelecer uma poética da cena: processo colaborativo a partir de uma matriz literária.

Nos espetáculos Ópera e Angu de Sangue, o ponto de partida “eram textos que não foram escritos para o teatro. Em Ópera partimos de textos de Newton Moreno (renomado dramaturgo, autor de Agreste, As Centenárias e Maria do Caritó), e em Angu, a base eram contos de Marcelino Freire.” , conta André Brasileiro, um dos diretores do espetáculo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
27/10/2011 - 16:47

Cia. Teatro Rock aposta em musical alternativo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

"Se essa rua fosse minha"

SÃO PAULO – Para aqueles que imaginavam ser os musicais uma febre passageira, a primeira década desse novo século comprovou que o que parecia ser momentâneo não apenas se firmou como exigiu aprimoramento de artistas e técnicos. Dentre as dezenas de superproduções que estrearam neste ano, Se Essa Rua Fosse Minha – O Amor nos Anos de Chumbo, de Marcos Ferraz, com a Cia. Teatro Rock, aposta numa linha diferente, seja em relação aos temas tratados, a pesquisa na forma dramatúrgica, bem como no modesto orçamento das produções.

“Somos  o ‘primo pobre’ do teatro musical (referência aos 55 mil que custou a produção de Se Essa Rua Fosse Minha em comparação aos 5 milhões que custou Cabaret), mas fazemos o que acreditamos. Gosto de algumas superproduções musicais, mas a preocupação da Cia. Teatro Rock é pesquisar uma linguagem dramatúrgica de musicais com produções mais baratas”,  diz Marcos Ferraz, também roteirista do programa Descolados,  da MTV.

Sob direção de Fezu Duarte e Marcos Okura, Se Essa Rua Fosse Minha inspira-se  na história  de amor impossível entre Romeu e Julieta, protagonistas da peça homônima do bardo inglês William Shakespeare, mas aqui, ao invés da inimizade das famílias Capuleto e Montechio, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , ,
30/10/2010 - 16:35

Dois quase novatos promissores

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil

Mônica Grannado é "Essa Moça"

SÃO PAULO – Mônica Granndo dá show como atriz do monólogo “Essa Moça” – em cartaz no Teatro Augusta, sala experimental – creio que o primeiro espetáculo que ela protagoniza em São Paulo.

Além dela, o autor Alberto Guiraldelli mostra-se um dramaturgo muito promissor, pois é seu terceiro texto montado por seu próprio grupo.

O único senão desta peça, talvez seja o fato de ser um tanto longa para ser monólogo, mas mostra um dramaturgo irretocável como construtor de texto instigante e com suspense, conseguindo prender a atenção do público. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , ,
Voltar ao topo