Publicidade

Publicidade

11/04/2010 - 16:31

Agora é moda por aqui também

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Autor inglês, Mike Leigh, escreveu A FESTA DE ABIGAIL, encenada no Brasil pelo mesmo diretor

Quem gosta de ir ao teatro e está acostumado a ver uma história com começo meio e fim, ou com um tema comum e algumas conclusões, provavelmente está estranhando bastante muitos espetáculos que colocam os personagens numa mesma circunstância e só. Esse estilo foi teorizado por Hans Thyes-Lehmann (teatrólogo alemão) e se chama pós-dramático. Apresenta como que algumas fotografias de uma mesma circunstância sem busca de uma progressão ou lógica. Insisto em chamá-lo circunstancial e não teatro de situação, porque esse nome já foi usado por Sartre para denominar o teatro existencialista que acreditava que não nascemos com uma personalidade fixa, mas somos moldados pelos acontecimentos de nossas vidas. A turma do pós-dramático não acredita em nenhuma das duas coisas, apenas no caos.

Há peças como In On It (Teatro FAAP) ou mesmo Cachorro Morto (Teatro Imprensa) que guardam alguma proximidade com essas teorias. No entanto, quem casa inteiramente com elas são Cinema e Êxtase. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo