Publicidade

Publicidade

24/10/2010 - 14:58

Miguel Falabella quer estrear “Memórias de um Gigolô” em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes para o jornal O Diário de São Paulo

matéria publicada dia 21 de outubro na edição impressa do jornal

Miguel Falabella em "A Gaiola das Loucas"

A superprodução musical “A Gaiola das Loucas” chega a São Paulo (Teatro Bradesco) espalhando no ar o doce perfume de uma bem-sucedida temporada carioca (concorre ao Prêmio Shell de Teatro com os figurinos de Cláudio Tovar). E um sorridente Miguel Falabella (quem assina direção, adaptação e, também, protagoniza a peça, ao lado de Diogo Vilela) já planeja com entusiasmo sua próxima empreitada: a adaptação do romance “Memórias de um Gigolô”, de Marcus Rey. “Tenho certeza que será um musical excelente e precisa estrear em São Paulo, porque tem tudo a ver com a história da cidade”, (a obra de Rey é ambientada no fim dos anos 1920 em São Paulo) disse um empolgado Falabella.

Mesmo sem data certa para sua estreia – “ainda não fechamos patrocínio” –, Falabella se diz mais preparado para realizar musicais – “traduzir, dirigir e atuar nesses clássicos dos musicais me tornam mais ciente de sua estrutura, dramaturgia etc.” Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , ,
23/10/2010 - 15:32

Um cabaré chamado “A Gaiola das Loucas”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Miguel Falabella e Diogo Vilela protagonizam "A Gaiola das Loucas"

SÃO PAULO – O cabaré “A Gaiola das Loucas”, orgulho de St. Tropez, ergue suas cortinas para o público paulistano hoje, 21h, no Teatro Bradesco. Trata-se da estreia do musical homônimo dirigido por Miguel Falabella, protagonizado por ele e Diogo Vilela.

Baseado na peça “Le Cage Aux Folles”, do francês Jean Poiret, o espetáculo “A Gaiola das Loucas” conta a história de Georges (Miguel Falabella), dono de um cabaré – que dá nome à peça – famoso por seus shows em que transformistas cantam e dançam em diversos cenários com luxuosos figurinos, e Albin (Diogo Vilela), casado há 20 anos com Georges e estrela principal dos shows do cabaré, a vedete Zazá. Uma aventura de Georges nos bastidores do Lido de Paris resultou no nascimento de Jean Michel (Davi Guilherme) que, por inexperiência da mãe, recebeu o, nada convencional, lar de Georges e Albin/ Zazá como berço de criação.

Zazá/ Albin (Diogo Vilela) e Georges (Miguel Falabella)

Tudo corre perfeitamente bem quando, aos 20 anos de idade, Jean Michel se apaixona por Anne (Carla Martelli) e decide se casar.

Até aí o único problema é a preocupação normal de pais que acham o menino jovem demais para se casar: ele tem 20 anos. Só que Anne é filha única de Édouard Dindon (Maurício Moço), presidente do PTFM (Partido da Família, Tradição e Moralidade) e, uma de suas promessas de campanha, é acabar com os homossexuais da região. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,
17/10/2010 - 19:05

Sábado “A Gaiola das Loucas” aporta no Teatro Bradesco

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Diogo Vilela e Miguel Falabella

SÃO PAULO – Depois da longa espera dos fãs de musicais, sobretudo os que são assinados por Miguel Falabella, podem iniciar contagem regressiva, “A Gaiola das Loucas”, mega-produção musical protagonizada pelo diretor e pelo ator Diogo Vilela, estreia neste sábado (23), no Teatro Bradesco. Na segunda-feira (25), como havia divulgado, será uma sessão especial para convidados.

O musical norte-americano criado em 1983 para a Broadway por Harvey Fierstein (texto) e Jerry Hermann (músicas) é baseado na peça “La Cage Aux Folles”, do autor francês Jean Poiret, e serviu de material de base para que a montagem brasileira de “A Gaiola das Loucas” surgisse.

Versão brasileira é assinada por Diogo Vilela e Miguel Falabella

Mais de 40 trocas de cenários, cerca de 300 figurinos e uma centena de perucas, a produção do musical promete 350 mudanças de luzes, contando para isso com cinco painéis de leads, além da orquestra de 14 músicos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,
15/10/2010 - 01:23

Grupo 3 encena Murilo Rubião

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"O amor e outros estranhos rumores" -da esquerda para direita Débora Falabella, Rodolfo Vaz, Maurício de Barros - crédito Rodrigo Hypolitho 323

SÃO PAULO – O Grupo 3 de Teatro monta “O Amor e Outros Estranhos Rumores”, baseado na obra do principal escritor brasileiro dedicado exclusivamente ao gênero fantástico, Murilo Rubião. A estreia para o público será neste sábado (16), 21h30, no Tuca. Protagonizado pela atriz Débora Falabella e dirigido por Yara Novaes, quem dirigiu a atriz em peças como “Noites Brancas” e “A Serpente”, a peça conta com a participação especial do ator Rodolfo Vaz (Grupo Galpão).

Adaptado pela dramaturga Silvia Gomez, que despontou no Núcleo de  Dramaturgia do CPT (Centro de Pesquisa Teatral), coordenado por Antunes Filho, e lá sendo encenada a peça “O Sol Cinco Minutos Antes do Meio-dia”, O Amor e Outros Estranhos Rumores” entrelaça três contos de Rubião.

No primeiro, o amor ganha ares de lista contábil, como planilha de Excel. O protagonista chega a declarar “Jandira me custou tantas cartelas de aspirina e tantas passagens de bonde, me saiu por tantos contos de reis”. Um homem que está sempre contabilizando seus ganhos e perdas no amor, um homem que nunca se realiza, um homem que nunca se satisfaz.

"O amor e outros estranhos rumores" Débora Falabella - crédito Rodrigo Hypolitho 059 b

Na segunda trama, um homem meio Barba Azul, colecionador de esposas que vai matando, busca uma felicidade/ um amor inatingível, porque preso no plano da memória.

O terceiro conto adaptado, narra o amor de um marido por sua esposa alienada, imersa num universo próprio e narcísico. Seu apetite material é insaciável e ela não o vê senão como fonte de satisfação de seus desejos Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,
10/10/2010 - 20:46

Confirmado: “A Gaiola das Loucas” dia 25 de outubro em SP

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Versão brasileira é assinada por Diogo Vilela e Miguel Falabella

Agora é pra valer: a superprodução musical de Miguel Falabella, A Gaiola das Loucas, estreia dia 25 de outubro no Teatro Bradesco em São Paulo.

Sucesso nos teatros de diversos países e, também, nas telas cinema do mundo todo com o mesmo nome, A Gaiola das Loucas é uma adaptação da peça La Cage Aux Folle, do francês Jean Poiret, por Harvey Fierstein, com músicas de Jerry Herman, que estreou em 1983 na Broadway, dez anos depois da peça de Poiret estrear em Paris.



<a href="“>

Autor: - Categoria(s): Multimídia, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , ,
21/09/2010 - 23:42

Prepare-se: A Gaiola das Loucas em São Paulo

Compartilhe: Twitter

<a href="“>Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Diogo Villela e Miguel Falabella protagonizam "A Gaiola das Loucas"

Essa breve nota é para avisar que a versão brasileira, assinada por Miguel Fallabela, protagonizada por ele e Diogo Villela, estreia em outubro no Teatro Bradesco.

Falabella divide a direção do espetáculo com Cininha de Paula e deve substituir o musical Jekyl & Hyde – O Médico e o Monstro que deixa a sala no próximo dia 26.


Autor: - Categoria(s): Multimídia, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , ,
05/07/2010 - 18:09

Dzi Croquettes chega aos cinemas

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Dzi Croquettes, os internacionais

“Eu não sabia direito o que eles eram. Na minha visão de criança eles eram palhacinhos”. Estas são as falas iniciais do documentário sobre o revolucionário grupo de teatro-dança Dzi Croquettes – O Documentário, dirigido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez que, felizmente, chega, agora, dia 16 de julho aos cinemas brasileiros.

Tatiana criou o filme a partir de sua memória afetiva. Quando criança ela, junto de seu pai, o cenógrafo Américo Issa, conviveu com a trupe.  Portanto, recuperar a história da companhia é, também, recuperar a história de Américo, que foi um cenógrafo importante do teatro brasileiro.

O Dzi Croquettes era formado pelos seguintes artistas: Lennie Dale, Wagner Ribeiro, Cláudio Tovar, Cláudio Gaya, os irmãos Rogério de Poly e Reginaldo de Poly, Bayard Tonelli, Paulo Bacellar, Benedictus Lacerda, Carlos Machado, Eloy Simões, Roberto Rodrigues e Ciro Barcelos. Essa foi a formação original do grupo. Depois, nomes como Dario Menezes, Fernando Pinto e Jorge Fernando farão parte da companhia.

Deles, estão vivos apenas Tovar, Reginaldo, Bayard, Benedictus, Ciro, Jorge e Dario. Isso foi um dos fatores que dificultou o trabalho de Tatiana e Raphael para a realização do filme, a falta de material sobre as encenações do grupo e a ausência da maior parte dos seus integrantes.

No livro Ela é Carioca, o escritor Ruy Castro fala de uma maldição que aconteceu ao grupo, o fato de a maior parte dos integrantes terem morrido precocemente.

Eles surgiram no momento mais violento do regime militar brasileiro. A obra de Tatiana e Raphael contextualiza bem essa época com depoimentos de Ney Matogrosso, Aderbal Freire Filho, Elke Maravilha, entre outros. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
04/03/2010 - 10:32

Abaixo o preconceito

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Bom dia, Baltimore!

Bom dia, Baltimore!

Hairspray, escrito por Mark O’Donnell e Thomas Meehan, sem dúvida não é o primeiro musical americano a tratar de preconceitos, buscando sua extinção. No entanto é o mais alegre e jovial. Certamente porque seus personagens são jovens e liberais que a princípio afrontariam o espectador com alguma prevenção contra negros e contra mulheres gordas. Como seria bom se fosse uma guerra ganha. Nesse aspecto, o que nos diferencia dos americanos, é só o constrangimento de demonstrar os preconceitos enraizados no fundo do nosso ser, e que eles assumem sem muito escrúpulo.

Mas falando de teatro, a peça tem uma versão brasileira e é dirigida pelo Miguel Falabella. Isso não é suficiente para ir ao Teatro Bradesco no Shopping Bourbon? Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , ,
23/02/2010 - 15:17

Hairspray a partir desta sexta-feira no Teatro Bradesco

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

HAIRSPRAY estreia sexta no Teatro Bradesco

HAIRSPRAY estreia sexta no Teatro Bradesco

O grito do carnaval 2010 fez a melodiosa canção Bom dia, Baltimore (Good morning, Baltimore), que abre o musical Hairspray, adiar uma semana sua performance. Mas, a partir desta sexta-feira (26), o clássico da Broadway, filmado e refilmado, cuja versão adaptada e dirigida por Miguel Falabella conquistou os cariocas, chega ao público paulistano, no Teatro Bradesco.

Para refrescar a memória, a última versão cinematográfica de Hairspray, originalmente um musical da Brosdway, teve o ator John Travolta na pele de Edna Turnblad, mãe da espevitada Tracy Turnblad, vividos no musical brasileiro pelos atores Edson Celulari e Simone Gutierrez, respectivamente.

Temas como a aceitação e boa convivência entre os fisicamente diferentes estão na pauta da superprodução que conta com 31 atores-bailarinos-cantores em cena, entre eles Arlete Salles e Danielle Winits, além de orquestra, ao vivo, de 11 músicos.

LEIA TAMBÉM

Preparem o laquê: Hairspray estreia em São Paulo

Hairspray

Teatro Bradesco. Rua Turiaçu, 2.100. Telefone 3670-4141.

Quinta, às 21h. Sexta, às 21h30. Sábado, às 17h e 21h30. Domingo, às 18h.

Ingresso: de R$ 40 a R$ 70. Até 16/5.

1.457 lugares. 160 minutos. Livre.

www.hairspray.com.br.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , ,
10/02/2010 - 00:12

Preparem o laquê: Hairspray estreia em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

HAIRSPRAY estreia em SP

HAIRSPRAY estreia em SP

Um dos maiores sucessos do teatro carioca em 2009, chega a São Paulo em fevereiro. Trata-se do musical da Broadway Hairspray que ganhou no Brasil a versão assinada pelo talentoso Miguel Falabella. A estreia será no recém inaugurado Teatro Bradesco, no dia 19 de fevereiro.

A superprodução conta com um elenco formado por 31 atores, 12 músicos e é um dos mais premiados espetáculos norte-americanos. Nos Estados Unidos foi vencedor de 8 Tony Awards, incluindo melhor musical, melhor trilha sonora original, melhor direção e melhor figurino. Arrebatou ainda 7 prêmios Drama Desk, 3 Prêmios Outer Critics Circle, foi vencedor do Drama League e Grammy Awards e foi considerado o melhor musical, segundo o New York Drama Critics Award.

Baseado no filme da New Line Cinema, escrito e dirigido pelo cultuado cineasta John Waters, a versão brasileira traduzida e dirigida por Miguel Falabella é estrelada por Edson Celulari, Danielle Winits, Arlete Salles, Jonatas Faro e apresentando Simone Gutierrez no papel de Tracy Turnblad. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , ,
Voltar ao topo