Publicidade

Publicidade

11/07/2012 - 20:38

A delicadeza do ser singelo seduz em Facas nas Galinhas

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Facas nas Galinhas" no Espaço da Companhia do Feijão

SÃO PAULO – Num primeiro momento ela sabe pouco. Sua trajetória desconhece a metáfora, a poesia que se atinge ao moldar as palavras. Para ela, o que se diz é o que se diz e ponto, sem a virgula que pode esculpir as ideias. Aos poucos, a Mulher do Lavrador descobre que também tem  nome e poesia dentro de si e, essa trajetória seduz o público que lota o aconchegante Espaço do Feijão para assistir Facas nas Galinhas, do escocês David Harrover (Blackbird), em cartaz apenas até domingo (15).

A atriz Eloísa Elena dá vida à personagem que, aos poucos, descobre o sentido das coisas e o prazer em ser. Casada com um rústico Lavrador (Cláudio Queiroz), mais atencioso com seus cavalos do que com a esposa, daí ser chamado de potro, é incumbida de levar os pesados fardos de grãos para sua moenda, no Moleiro (Thiago Andreuccetti) da cidade, figura mitificada pelas pessoas como feiticeiro e assassino da mulher e filho.

A Mulher, instruída pelo marido que ficara cuidando de uma égua prenha, chega absolutamente hostil. Quando, finalmente aceita esperar seus grãos serem moídos na porta da casa do Moleiro, descobre que há mais que se pode apreender das coisas da vida do que sua limitada edu Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
01/06/2012 - 18:30

Autor de Blackbird volta em Facas nas Galinhas

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Francisco Medeiros dirige "Facas nas Galinhas", do escocês David Harrower

SÃO PAULO – Após arrebatar a plateia paulistana com Blackbird, sua estreia no Brasil, o dramaturgo escocês David Harrower tem seu texto Facas nas Galinhas encenado por Francisco Medeiros. Produzido pelo Barracão Cultural, o espetáculo estreia hoje no Espaço da Companhia do Feijão.

Eloísa Elena (em memorável interpretação n’A Mulher Que ri) é uma jovem mulher que vive em uma aldeia qualquer num tempo indefinido. Casada com um camponês opressor adúltero, ela tem um encontro com o odiado moleiro (dono do moinho) local que a impulsiona no percurso da descoberta de si mesma.

Segundo o diretor Francisco Medeiros, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
26/08/2011 - 17:06

Cia. do Feijão apresenta seu Enxurro de graça

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Enxurro" - foto de José Romero

A dimensão utópica faz parte da linha de frente da pesquisa temática escolhida pela Companhia do Feijão que, a partir de hoje, apresenta o espetáculo Enxurro, de graça, às 21h, na sede da companhia.

Enxurro é uma rapsódia cênica criada a partir de estímulos literários, cênicos e musicais de diversos autores e épocas, em torno de temas relacionados ao momento de transição civilizatória por que passamos.

Numa corrente caleidoscópica, entrecruzam-se de maneira simbólica: anomalias, assombros, cumplicidade, devastação, encontros, espelhos, inspirações, mentiras, poder, radicalismo, reação, reconstruções, reencontros, resistência e horizontes. Esboços de um vir-a-ser.

A pesquisa

A pesquisa da Companhia do Feijão sobre o grande tema da Utopia se desdobra e multiplica desde 2006:

Numa primeira fase, tratando desse tema sem saber ao certo se era dele que falávamos, surgiu Pálido Colosso (2007), onde buscamos retratar os últimos 50 anos da história do Brasil, nos deparando ao final com o encurralamento do presente. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo