Publicidade

Publicidade

13/09/2012 - 20:17

Bibi Ferreira festeja seus 90 anos e o público é o agraciado

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Bibi Ferreira: SÓ ATÉ DIA 30!

Bibi, Histórias e Canções é um passeio pela carreira da atriz. Com o maestro Flávio Mendes e 20 músicos, Bibi canta samba, tango, fado e números de musicais famosos. O repertório de Edith Piaf é o destaque

SÃO PAULO – As comemorações são pelos 90 anos de vida e 71 de carreira de Bibi Ferreira, mas o presente quem ganha é o público. Em Bibi, Histórias e Canções a atriz, cantora, diretora desfila por 80 minutos seus grandes sucessos — detalhe, com um lindo vestido negro e um sapato de salto alto, Bibi se apresenta de pé o tempo todo! Como ela mesma brinca durante o show, parece que tem uns 13 ou 14 anos! Depois de imenso sucesso no Rio, o espetáculo fica em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca até o final de setembro; depois em novembro vai abrir os eventos do Ano do Brasil em Portugal e em seguida irá a Nova York para um concerto no Lincoln Center.

Com roteiro assinado por ela, pelo maestro Flávio Mendes e Nilson Raman, Bibi apresenta um breve resumo de sua carreira. Com a ajuda do maestro que faz um contraponto, alinhavando fatos, histórias e marcos da carreira, Bibi começa com os números dos musicais norte-americanos que ela trouxe para o país, como Minha querida Lady (adaptação de 1962 do musical My fair lady) e Alô Dolly ( adaptação de Hello, Dolly, de 1965). O Homem de La Mancha de 1972 (que Bibi estrelou ao lado de Paulo Autran) e Gota d’Água, espetáculo de 1975 assinado pelo marido Paulo Pontes e Chico Buarque também são relembrados. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE Tags: , , , , , , , ,
03/09/2012 - 15:08

Vinte Anos com Bibi

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Bibi Ferreira - Histórias e Canções"

SÃO PAULO -Quando estava sentado na plateia do Teatro Frei Caneca no dia 19 de agosto para assistir Bibi, Histórias e Canções me dei conta de que há vinte anos acompanho a carreira de Bibi Ferreira. Foi no dia 30 de agosto de 1992 que assisti Bibi In Concert no extinto Teatro da Ospa, em Porto Alegre. O dia em que assisti o mito pela primeira vez em cena.

Nestes vinte anos com Bibi a assisti duas vezes representando o repertório de Piaf; a vi em uma remontagem de Brasileiro, Profissão Esperança, de Paulo Pontes ao lado de Gracindo Jr, em seu Bibi In Concert III (em que ela cantava um rap) e na sua volta a um espetáculo que não era musical, o que aconteceu em Às Favas com os Escrúpulos, de Juca de Oliveira, sob a direção de Jô Soares. Isso sem falar nos diversos espetáculos cuja a assinatura da direção levava seu nome. Meno Male, As Atrizes, Noites de Cabrita, Letti e Lotte me mostraram que ela sabe como poucos dirigir uma boa comédia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , ,
24/08/2012 - 19:33

O Cabaret de Claudia Raia volta a SP

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

Claudia Raia é Sally Bowles em "Cabaret"

SÃO PAULO – Um dos grande espetáculos que estreou na capital paulista ano passado, o musical Cabaret, dirigido  por José Possi Neto e protagonizado pela “diva” Cláudia Raia, que, ao lado de Sandro Chaim, assina a superprodução, volta ao Teatro Procópio Ferreira neste sábado (25), 17h.

Desde sua estréia, em outubro de 2011, Cabaret arrebatou o público, conquistou a crítica e recebeu diversas indicações a prêmios paulistanos, como o Prêmio Shell de Melhor Ator a Jarbas Homem de Mello, o MC, mestre de cerimônias do Kit Kat Club, cabaré decadente situado na Berlim pré-nazista, 1931, em que, entre outros números, a inglesa Sally Bowles (Claudia Raia), apresenta os seus. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Matérias, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
10/08/2012 - 17:13

Bibi Ferreira canta e conta histórias de seus 90 anos de vida

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Bibi Ferreira - Histórias e Canções"

SÃO PAULO – Na última terça-feira, no Programa do Jô, TV Globo, desfrutamos de belíssima homenagem à Bibi Ferreira, que ganhou todos os blocos do programa só para ela, recebendo ilustres depoimentos de figuras ímpares da arte brasileira como Antunes Filho e Chico Buarque. Mais que merecida celebração para receber a breve temporada de Bibi – Histórias e Canções que estreia hoje e fica em cartaz, no Teatro Frei Caneca (Shopping Frei Caneca), até 30 de setembro.

"Bibi Ferreira - Histórias e Canções"

Filha do grande ator cômico Procópio Ferreira, Bibi, acompanhada por orquestra composta por 21 músicos regidos pelo Maestro Flávio Mendes, canta canções de espetáculos antológicos de sua carreira como Gota D’ Água, Piaf, a Vida de Uma Estrela da Canção e Bibi Ferreira Vive Amália Rodrigues, entre tantos outros que permeiam os 90 anos de vigorosa vida que, ao lado de célebres solilóquios que interpretou, costuram o espetáculo que traz em seu repertório canções de clássicos da música  brasileira, trechos de óperas etc.

O espetáculo abre, em novembro, o Ano do Brasil em Portugal, e no dia 21 do mesmo mês segue para Nova Iorque, onde se apresenta no Lincoln Center. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, DESTAQUE, Matérias, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , ,
29/02/2012 - 15:21

Assista vídeo com cenas de Tim Maia, Vale Tudo – O Musical

Compartilhe: Twitter

Tiago Abravanel vive Tim Maia

SÃO PAULO – Depois de estrondoso sucesso na temporada carioca de 2011, Tim Maia, Vale Tudo – O Musical, de Nelson Motta, dirigido por João Fonseca, estreia no dia 09 de março de 2012, no Teatro Procópio Ferreira. Quem dá vida ao ídolo da MPB, o carioca de voz exuberante Tim Maia, é o paulistano de apenas 24 anos Tiago Abravanel.

<a href="“>


Ficha Técnica:

Texto: Nelson Motta

Direção: João Fonseca

Direção musical: Alexandre Elias

Elenco: Tiago Abravanel, Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, Andreh Viéri, Bernardo La Rocque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Aline Wirley e Leticia Pedroza.

Coreografias: Sueli Guerra

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Cenário: Nello Marrese

Figurinos: Rui Cortez

Fotos: Caio Gallucci

TIM MAIA – VALE TUDO, O MUSICAL

Teatro Procópio Ferreira (671 lugares)

Rua Augusta, 2.823 – Cerqueira César

Informações: 3083-4475

Vendas: www.ingressorapido.com.br e tel.: 4003-1212.

Reservas e grupos: (11) 3064-7500

Bilheteria: de terça à domingo, das 14h até o início do espetáculo. Acesso a deficientes físicos, ar condicionado e entrega de ingressos a domicílio.

Estacionamento conveniado na Rua Augusta, 2.673 – R$ 10,00 (período de 4 horas. Retirada de selo do estacionamento na bilheteria).

Quinta e Sábado às 21h.

Sexta às 21h30.

Domingo às 18h

Quintas e sextas
Setor Premium: R$ 120,00
Setor I: R$ 100,00
Setor II: R$ 50,00

Sábados e Domingos
Setor Premium: R$ 150,00
Setor I: R$ 130,00

Setor II: R$ 70,00

Ingressos já estão à venda

Duração: 160 minutos

Classificação 14 anos

Estreia para convidados: dia 12 de março, segunda-feira, às 21h.

Estreia dia 09 de março.

Temporada: até 24 de junho

Autor: - Categoria(s): Multimídia Tags: , , , , , , , , , , , , ,
26/10/2011 - 02:32

Claudia Raia realiza sonho e protagoniza Cabaret

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em "Cabaret"

SÃO PAULO – Vinte e dois anos depois da montagem de Cabaret, dirigida por Jorge Takla, cuja estreia ocorreu no Teatro Procópio Ferreira, a atriz Claudia Raia consegue realizar um sonho antigo e subir ao palco do mesmo teatro na pele da prostituta Sally Bowles, protagonista do musical inspirado em romance de Christopher Isherwood, com música de John Kander e letras de Fred Ebb, nesta sexta-feira (28), sob direção de José Possi Neto.

Convidada para protagonizar a montagem de 1989, Claudia Raia teve que declinar do convite por causa de compromissos  com a televisão, mas o desejo de interpretar a personagem não adormeceu.

“Foii uma corrida pelos direitos autorais esse tempo todo. Um dia eu cheguei para o (Sandro) Chaim e disse: – Você tem que me ajudar a conseguir os direitos de Cabaret. Preciso fazer Cabaret antes de estar andando de bengala. Ele topou, foi atrás e conseguiu. É uma produção cara de mais ou menos cinco milhões”, conta Claudia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
22/09/2011 - 00:21

Claudia Raia estreia dia 27 de outubro

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Claudia Raia dá vida a Sally Bowles em "Cabaret" - Foto Reprodução

SÃO PAULO – Atenção senhoras e senhores que, ansiosamente, aguardam para ver o mestre de cerimônias do Cabaret anunciar a entrada de Sally Bowles (que será vivida por Claudia Raia), agora já pode agendar a estreia do musical dirigido por José Possi Neto: a partir de 27 de outubro, no Teatro Procópio Ferreira.

Em seu extenso currículo no teatro, Claudia Raia especializou-se nos grandes musicais. Foi a protagonista de, entre outros, Sweet CharityO Beijo da Mulher-Aranha.  Agora, a atriz se prepara para realizar um dos maiores sonhos de sua carreira: dar vida à cantora e dançarina Sally Bowles, personagem principal de Cabaret, sucesso da Broadway nos anos 1960, vencedor de oito prêmios Tony, cuja transposição para o cinema, na década seguinte, conquistou o mesmo número de estatuetas no Oscar.

Claudia Raia em "Sweet Charity"

Miguel Falabella assina a tradução do texto e a versão das canções para o português. A montagem prevista para estrear no dia 27 de outubro, no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, com produção de Sandro Chaim e da própria Claudia, terá direção de José Possi Neto, direção musical e vocal de Marconi Araújo e coreografia de Alonso Barros.  O elenco de mais de 20 atores inclui Jarbas Homem de Mello, como o Mestre de Cerimônias, e Guilherme Magon, no papel do escritor Cliff Bradshaw.

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , , , , ,
13/12/2010 - 16:45

Provocando uma discussão sobre o Ministério da Cultura

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

E você? Qual a sua opinião? Como você vê o papel do Ministério Cultural? Como você avalia a atual gestão do MINC? O que está bom? O que precisa melhorar?

Pedro Neschling, o provocador

Sem nenhum interesse político e/ ou pessoal acerca do atual Ministro da Cultura, Juca Feirreira, proponho aqui uma discussão sobre os futuros rumos desejados pela classe artística a respeito da pasta ministerial de cultura. Para que a reflexão seja frutífera conto com a participação de você, leitor, deixando opinião ao final do texto.

Parto da inquietação sentida ao ler artigo de Pedro Neschling, para a Folha de São Paulo, em que critica um artigo escrito pelo cineasta e produtor Luiz Carlos Barreto, publicado no último dia 09 no mesmo jornal, em que o primeiro crítica a postura de Barretão, como é conhecido o cineasta, sobre a atuação reprovável de Juca Ferreira no Ministério da Cultura, além de colocar em dúvida o apoio da classe artística à continuidade do ministro na pasta cultural, o que Neschling prontamente refuta como representante da classe artística.

Destaco, mais uma vez, que não se trata nem de questão política, nem relacionada à gestão de Ferreira, mas relativo aos rumos seguidos e desejados frente à captação de recursos na produção de bens artísticos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
12/10/2010 - 11:42

70 anos de Bibi Ferreira ao som de tango

Compartilhe: Twitter

Adriano Oliveira com colaboração de Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Bibi Ferreira inicia show celebrando sete décadas de carreira

É com o espetáculo “De Pixinguinha a Noel, Passando por Gardel”, com única apresentação nesta quarta-feira (13), no Teatro Bradesco, que Bibi festeja seus 70 anos de carreira. A cantora, atriz, diretora e compositora – ufa!- interpreta grandes clássicos: de Pixinguinha a Noel Rosa, visitando o artista argentino Carlos Gardel.

A montagem possui dois atos. Estes decididos pela própria artista Bibi. Na primeira parte, a atriz separou canções brasileiras que cantou nos seus últimos espetáculos. No repertório, alguns nomes como Antônio Carlos Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes estão presentes. Também acrescentou três fados, além de uma homenagem à Amália Rodrigues e três canções da cantora francesa Piaf (Bibi fez shows inesquecíveis com músicas interpretadas pelas duas cantoras). E um especial em homenagem ao centenário de Noel Rosa, com três dos seus maiores sucessos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , ,
08/12/2009 - 16:48

Lama para limpar a alma

Compartilhe: Twitter

Milton Ferreira Verderi, especial para o Aplauso Brasil

traj2Artaud quando usa o termo “crueldade” fala da crueldade metafísica. O teatro da crueldade a que se referiu é uma maneira de fazer uma crítica sobre a cultura do espetáculo. Artaud fala sempre de um teatro que não se confina num palco, mas que pode se realizar numa conferência, por exemplo, e que pode se metamorfosear em qualquer situação. Trata-se de re-elaborar o pensamento e quebrar uma linguagem formal. Normalmente, o discurso está sempre armado e falta a confrontação com o interno, onde o pensamento titubeia. Há uma crueldade nesse pensamento, na confrontação com o nascimento da linguagem. Nasce de uma atitude interior e de uma experiência também ligada ao interno. E é isso que vai transformar o que Artaud chama de vida. Uma atitude de desarmamento, uma maneira de se lançar ao desconhecido. Artaud vai negar a idéia de cultura enquanto produção, de consumo. Para ele, a cultura é uma questão social mais urgente. Assim, o artista fala a partir da dor de existir. Uma dor de fundo, este é o impulso metafísico. Crueldade e interrupção: com o automatizado, com o discurso pronto. O interromper para abrir-se para outro espaço. Mas antes do analisar, do racionalizar.

Traje de Banho Para Sujar, apresentado no final de novembro na cidade de Catanduva, segue a linha Artaudiana do princípio ao fim, com toques de Pina Bausch e elementos musicais onde temos s impressão de estarmos dentro de uma apresentação de composições de John Cage. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , ,
Voltar ao topo