Publicidade

Publicidade

14/12/2009 - 17:19

Daqui a pouco começa mostra teatral no Galpão do Folias

Compartilhe: Twitter

<i>Mostra Folias</i> homenageia Reibaldo Maia

Mostra Folias homenageia Reibaldo Maia

 

Como é fato recorrente há alguns anos, em dezembro o Galpão do Folias, sede da trupe Folias D’Arte, realiza um festival em que apresenta alguns espetáculos que fazem parte de seu repertório. Esse ano a Mostra do Folias presta homenagem ao dramaturgo, filósofo e professor Reinaldo Maia.

 

Morto em abril deste ano, Maia trabalhou na dramaturgia de espetáculos como Orestéia – O Canto do Bode – que abre, às 20h, a Mostra -, além de livros utilizados como alicerce teórico por diversas companhias teatrais e estudiosos das artes.

No sábado (19) e domingo (20), também às 20h,  serão apresentados os ensaios abertos do espetáculo Êxodos, próxima estréia do grupo, prevista para  janeiro de 2010. Com dramaturgia de Jorge Louraço Figueira, editor do Estado do Crítico, site português parceiro do Aplauso Brasil, terá a direção de Marco Antonio Rodrigues.

CLIQUE AQUI para conferir a programação da Mostra Folias.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
06/11/2009 - 20:54

Impressões lusitanas da passagem de Antunes Filho por lá

Compartilhe: Twitter
Cena de <i>A Falecida Vapt-Vupt</i>, com o Grupo Macunaíma

Cena de A Falecida Vapt-Vupt, com o Grupo Macunaíma

 

Antes da estreia no 7° andar do SESC Consolação, onde fica a sede do CPT (Centro de Pesquisa Teatral), o espet´´aculo A Falecida Vapt-Vupt, terceira incursão do diretor Antunes Filho para A Falecida, do dramaturgo carioca Nelson Rodrigues, a peça estreou em solo português, no Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, em maio deste ano, ao lado de Prèt-a-Porter (Coletânea 2). É sobre as impressões do trabalho dos núcleos Macunaíma e CPT, ambos coordenados por Antunes Filho, que versa o texto do crítico português Jorge Louraço Figueira. Boa leitura e não percam a instigante obra.

 

Subitamente, no banheiro das senhoras [TNSJ]

By Jorge Louraço Figueira

Antunes Filho, o mais reputado encenador de São Paulo, vai mais longe, na cenografia de A Falecida Vapt-Vupt. O espaço é um bar onde param os clientes do costume, indiferentes ao desenrolar das cenas entre marido e mulher, família, amante e agentes funerários. No meio, tirando apontamentos durante toda a função, está a figura do autor. A parede do fundo é um imenso painel cheio de inscrições típicas de WC público, sugerindo que o anjo pornográfico, como lhe chamaram, escrevia directamente da secreta.

CLIQUE AQUI para ler a crítica completa.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
03/11/2009 - 20:51

Aplauso Brasil faz parceria com o site português Estado do Crítico

Compartilhe: Twitter

 

Jorge Louraço Figueira é, entre outros, crítico teatral do jornal Público, Porto (PT)

Jorge Louraço Figueira é, entre outros, crítico teatral do jornal Público, Porto (PT)

 

A partir deste artigo, está firmada a parceria entre os sites Aplauso Brasil, de Michel Fernandes, e Estado do Crítico, de Jorge Louraço Figueira, do Porto, em Portugal, iniciando assim, nossa incursão participação efetiva no fomento da discussão da cena de países que, em comum, têm a língua portuguesa como língua-pátria.

 

 

Uma escadaria no centro do palco, um conjunto de quatro músicos no canto superior esquerdo, inúmeras plantas espalhadas pela cena e, no ponto alto, um grupo de coristas fazendo oitos e saindo graciosamente. Normalmente é isto que acontece. Mas hoje, por alguma razão que desconhecemos, é uma noite diferente, e o palco está vazio. Nem sequer veio o apresentador que costuma dizer umas piadas para aquecer o público. Ou pelo menos é o que nos conta o actor dos Forced Entertainment, vestido com um fato de treino preto e um capuz onde pintaram um esqueleto. Este saco de ossos entra em cena como se, surpreendido pelo vazio do palco, tentasse explicar o que aconteceria. A dada altura, entra no palco uma actriz que insiste em fazer a sua grande cena de morte, a despeito de nada do previsto estar em cena e nenhum dos outros participantes no espectáculo ter aparecido. Provavelmente a representação foi cancelada porque a actriz morreu em cena e ainda não se apercebeu, o seu espírito permanecendo em palco para sempre, apenas acompanhado desta figura jocosa da morte enquanto mestre-de-cerimónias.

CLIQUE AQUI para ler o artigo completo.

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo