Publicidade

Publicidade

21/10/2010 - 19:51

SESC Pinheiro apresenta “Rancor – Farsa Intelectual” de Otavio Frias Filho

Compartilhe: Twitter

Adriano Oliveira, especial para o Aplauso Brasil (adriano@aplausobrasil.com)

O ator Roney Facchini

SÃO PAULO – O SESC Pinheiros apresenta a partir desta sexta-feira (22) o espetáculo teatral “Rancor – Farsa Intelectual”. A peça aborda os conflitos de uma redação de jornal. O texto é de Otavio Frias Filho e a direção fica por conta de Ivan Feijó.

A trama tem como cenário a redação de um jornal para a discussão em torno da indústria cultural. O ambiente de uma grande cidade do 3º mundo é dominado por Berucci, o mestre da crítica que exerce seu poder intelectual de modo implacável.

O estopim do drama é a rebelião da jornalista Dada com o escritor Leon e o jovem poeta Nestor, contra o domínio do velho crítico.

O ator Nilton Bicudo

Os personagens travam duelos verbais que culminam numa devastação sem piedade, mas que deixa atrás de si a possibilidade de alguma esperança.
A estrutura da narrativa do espetáculo acontece num ambiente sem tempo determinado, mas que serve para exibir uma luta de egos e vaidades. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , ,
20/09/2010 - 20:18

Programe-se: Inscrições para o CPTzinho vai até a próxima sexta-feira

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Antunes Filho

Certamente os interessados nas artes cênicas já devem saber da existência do CPT (Centro de Pesquisa Teatral), um laboratório de experimentações e concretizações teatrais, cuja seriedade conquistou o universo teatral mundial. Coordenado por Antunes Filho, um dos principais alicerces qualitativos do nosso teatro, o curso de Introdução ao Método do Ator – CPTzinho tem inscrições até a próxima sexta-feira (24), no SESC Consolação.

São apenas 20 vagas disputadas por centenas de candidatos que são escolhidos em duas etapas, seguindo o cronograma abaixo,: entrevista individual e teste prático. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , ,
05/07/2010 - 18:09

Dzi Croquettes chega aos cinemas

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Dzi Croquettes, os internacionais

“Eu não sabia direito o que eles eram. Na minha visão de criança eles eram palhacinhos”. Estas são as falas iniciais do documentário sobre o revolucionário grupo de teatro-dança Dzi Croquettes – O Documentário, dirigido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez que, felizmente, chega, agora, dia 16 de julho aos cinemas brasileiros.

Tatiana criou o filme a partir de sua memória afetiva. Quando criança ela, junto de seu pai, o cenógrafo Américo Issa, conviveu com a trupe.  Portanto, recuperar a história da companhia é, também, recuperar a história de Américo, que foi um cenógrafo importante do teatro brasileiro.

O Dzi Croquettes era formado pelos seguintes artistas: Lennie Dale, Wagner Ribeiro, Cláudio Tovar, Cláudio Gaya, os irmãos Rogério de Poly e Reginaldo de Poly, Bayard Tonelli, Paulo Bacellar, Benedictus Lacerda, Carlos Machado, Eloy Simões, Roberto Rodrigues e Ciro Barcelos. Essa foi a formação original do grupo. Depois, nomes como Dario Menezes, Fernando Pinto e Jorge Fernando farão parte da companhia.

Deles, estão vivos apenas Tovar, Reginaldo, Bayard, Benedictus, Ciro, Jorge e Dario. Isso foi um dos fatores que dificultou o trabalho de Tatiana e Raphael para a realização do filme, a falta de material sobre as encenações do grupo e a ausência da maior parte dos seus integrantes.

No livro Ela é Carioca, o escritor Ruy Castro fala de uma maldição que aconteceu ao grupo, o fato de a maior parte dos integrantes terem morrido precocemente.

Eles surgiram no momento mais violento do regime militar brasileiro. A obra de Tatiana e Raphael contextualiza bem essa época com depoimentos de Ney Matogrosso, Aderbal Freire Filho, Elke Maravilha, entre outros. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
24/06/2010 - 16:48

Daniel Dantas e Renata Sorrah protagonizam Macbeth

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Renata Sorrah e Daniel Dantas protagonizam "Macbeth"

Quando Macbeth, tragédia de William Shakespeare sob direção de Aderbal Freire-Filho, esteve no último Festival de Curitiba, por engano de redação do guia que traz as peças participantes do Festival, a peça apareceu como Lady Macbeth. Mesmo sem o “Lady” do título, o espetáculo que estreia amanhã no Teatro Paulo Autran (SESC Pinheiros), protagonizado por Daniel Dantas e Renata Sorrah, traz interpretação inesquecível da atriz.

No caminho de volta para casa, ao lado de Banquo (Thelmo Fernandes), vencedor de uma batalha em que comandava o exército, Macbeth (Daniel Dantas) encontra três velhas feiticeiras (Andrea Dantas , Edgard Amorim e Felipe Martins) que predizem seu futuro: será o novo rei.

Ao chegar em casa, conta sobre a previsão à esposa, Lady Macbeth (Renata Sorrah), que começa a convence-lo à matar o Rei Duncan (Camilo Bevilacqua) e apressar o destino tornando-se rei. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , ,
22/06/2010 - 18:26

Musical sobre Renato Russo volta a São Paulo

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Bruce Gomlevsky é "Renato Russo"

Neste ano são celebrados os 50 anos de nascimento do compositor e cantor Renato Russo. Um filme que conta a sua trajetória está sendo feito e acaba de ser lançado um livro onde diversos escritores inspirados por suas canções, escreveram contos. Uma outra bela homenagem a sua obra está de volta aos palcos paulistanos a partir do dia 2 de julho no Teatro Folha. Trata-se do espetáculo Renato Russo, monólogo musical escrito por Daniela Pereira de Carvalho e interpretado por Bruce Gomlevsky.

A trajetória pessoal e artística do cantor e compositor, ícone da história do rock brasileiro, de personalidade indomável, porta-voz dos anseios, angústias, amores e valores de toda uma geração, é um dos grandes sucessos recentes do teatro brasileiro. O espetáculo conquistou o Prêmio Shell (RJ-2006) de melhor direção, que é assinada por Mauro Mendonça Filho. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , ,
01/06/2010 - 16:18

Policarpo Quaresma, um encontro de gênios

Compartilhe: Twitter

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Uma, de muitas, cenas antológicas de "Policarpo Quaresma"

A boa notícia vinda do CPT, que ocupa o Teatro Sesc-Anchieta com Policarpo Quaresma, com texto de Antunes Filho baseado no romance Triste Fim de Policarpo Quaresma do, também genial (mas, injustiçado), escritor Lima Barreto, vai ganhar mais algumas semanas naquela sala, graças ao sucesso de público, até o fim de julho.

Policarpo Quaresma é mais uma prova irrefutável da ebulição criativa que agita nosso mais completo, lúcido e coerente encenador Antunes Filho, senhor absoluto da caixa preta que ele sempre povoou de movimentos, luzes, cores e sons, em montagens antológicas, em seus mais de 50 anos de uma carreira sem hiatos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
26/04/2010 - 17:50

Peça escrita por Antunes Filho arrebata multidões

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

LAMARTINE BABO homenageia compositor de marchinas

Que ele é um dos diretores teatrais do Brasil que serve de referência ao que de melhor se passa nos palcos brasileiros não há dúvida, Antunes Filho, agora, causa filas em sua primeira incursão pela dramaturgia. Trata-se do musical Lamartine Babo, homenagem singela ao compositor das eternas marchinhas de carnaval como Linda Morena, O Teu Cabelo Não Nega, entre outras, dirigida por Emerson Danese, em cartaz apenas às quintas-feiras, 19 e 21h, no sétimo andar do SESC Consolação.

ABAIXO SEGUE CRÍTICA PUBLICADA EM FEVEREIRO DE 2010 Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , ,
11/02/2010 - 10:52

Peça revive outros carnavais

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

Musical homenageia Lamartine Babo

Musical homenageia Lamartine Babo

Às vésperas de mais um feriado de carnaval, ao assistir o musical Lamartine Babo, texto de Antunes Filho dirigido por Emerson Danesi, em cartaz apenas às quintas-feiras, 19 e 21h, lembramos saudosos da folia de outros tempos, em que reinavam as marchinhas de carnaval.

Esse parece ser o foco de Lamartine Babo, reviver o clima festivo de outros carnavais sem, no entanto, recorrer ao recurso de ambientar o espetáculo em determinada época. Lamartine Babo se situa na atemporalidade, ou seja, os belíssimos figurinos criados por Rosângela Ribeiro podem até sugerir tempos mais remotos, mas, de fato, a banda que ensaia naquela casa abandonada um repertório exclusivo de composições de Lamartine Babo, é atual e, até mesmo, repercute o que a geração do autor deve sentir ao ouvir as tolices do funk e axé music, salvo raras exceções, que servem ao gosto da massa. Não porque a massa se tornou burra e, sim, porque a mídia a faz desconhecedora do legado qualitativo de nossa música popular.

Músicas como Grau Dez, O Teu Cabelo Não Nega, Chegou a Hora da Fogueira, Joujoux e Balangandãs, No Rancho Fundo, Hino do Carnaval Brasileiro, só para citar algumas das inesquecíveis perolas de Lamartine estão arranjadas com preciosismo por Fernanda Maia, quem assina a direção musical com simplicidade e colorido de encontro de vozes que soam no timbre do prazer. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , ,
21/01/2010 - 15:30

Antunes virou dramaturgo

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil

Antunes Filho escreve musical em homenagem a Lamartine Babo

Antunes Filho escreve musical em homenagem a Lamartine Babo

Consagrado encenador brasileiro, Antunes Filho estreou na dramaturgia com a peça Lamartine e se saiu muito bem. Não foi pesquisar minuciosamente a vida de Lamartine Babo, grande compositor popular (1908/1963) de sucessos eternos como Eu Sonhei que Estavas Tão Linda, O Teu Cabelo Não Nega, Linda Morena, No Rancho Fundo, bem como hinos para campeões do futebol carioca como “uma vez flamengo, flamengo até morrer”. Compôs também para um time gaúcho entre outros. Mas é como sambista e mestre das marchinhas que está enfocado no ótimo texto curto.

Como não poderia deixar de ser, trata-se de um excelente musical com a maior parte do elenco se apresentando em coro e cantando lindamente sob direção de Fernanda Maia. E não é á toa, pois foi ela, juntamente com Zé Henrique da Paula, quem primeiro transformou Senhora dos Afogados, de Nelson Rodrigues, em teatro musicado.

É imperdível. Mesmo sem a direção de Antunes que confiou a tarefa a Emerson Danesi que deu bem conta do recado. Coisas do CPT (Centro de Pesquisa Teatral do Sesc Consolação) que tem formado bons profissionais.

Vale destacar que todos esses acertos se devem sem dúvidas à impecável interpretação do elenco que traz nos papéis centrais Sad Medeiros, Adriano Bolsch e especialmente Marcos de Andrade que faz um Silverinha (ou seria um Lamartine?) com perfeição. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
15/12/2009 - 16:33

Rio de Janeiro apresenta o primeiro tempo do Tempo_Festival das Artes

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

diretores Artísticos do <i>Tempo_Festival das Artes</i>

diretores Artísticos do Tempo_Festival das Artes

 

Começa amanhã a primeira etapa do Tempo_Festival das Artes, no Oi Futuro, Rio de Janeiro (Flamengo), festival internacional de artes cênicas que propõe três etapas de atuação: da reflexão e pensamento à criação e expressão. Essa fase vai até sexta (18) e presta homenagem ao diretor Antunes Filho que chega aos 80 anos tão irrequieto quanto o Zequinha, jovem de 19 anos que era quando o crítico, Décio de Almeida Prado, o indicou aos diretores italianos do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), para ser assistente.

 

Com direção artística e coordenação geral de Bia Junqueira, Cesar Augusto e Márcia Dias, o 1º Tempo do projeto Tempo_Festival das Artes é dedicado ao pensamento, às reflexões sobre o fazer artístico e tem contribuição na equipe de curadoria da filósofa, psicanalista e poeta Viviane Mosé. O objeto de suporte a essas reflexões serão palestras, debates, encontros, processos, residência artística e mostra de vídeo. 

O 2º Tempo acompanhará a expressão e terá contato com toda a diversidade artística; e no terceiro, participará de uma rede de conhecimento. 

Está no ar, também, o site Tempo Contínuo  que dará suporte ao Festival por 365 dias, objetivando a propagação das informações de cada tempo proposto. O site busca estabelecer uma rede de conhecimento, apostando na continuidade do Festival, na permanência do diálogo e na irradiação do pensamento.

Com atuação junto às redes sociais, o site pretende ser uma referência para as artes cênicas, com dois blogs, um informativo e outro que reunirá opiniões e estimulará o debate.

Blog Instantâneo

Blog Simultâneo

CLIQUE AQUI e confira a programação completa.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo